quinta-feira, 31 de março de 2011

A loirinha nada burra

É fácil gostar da Branca de Neve, não é? Doce, generosa, sofrida. Uma fofa.
É fácil amar a pobre Cinderela. Humilde, cordata, amiga dos ratinhos, miserável.
E a gente se emociona tranquilamente com o amor verdadeiro da Bela pela horrorosa Fera. Boa moça aquela, se casaria até com Ed. Motta (para quem não entendeu vá para o post Teste do Ed Motta).
É facílimo gostar de todas as mocinhas dos contos de fadas, menos...

...Cachinhos de Ouro!

O mundo odeia a pequena menina linda, rica, mal educada e voluntariosa, mas eu adoro.
-Este mingau está muito quente, este tá muito doce, este é perfeito, vou comer tudo, esta cadeira é macia demais, esta é grande demais, ah, essa pequena está ótima.... ups, quebrei, dane-se, tô com sono, vou subir as escadas, esta cama é dura, esta é muito mole, esta é ótima e vou dormir aqui mesmo, bye-bye.

Hahaha, adoro!!
Sabe por quê? Porque eu desobri com o tempo que é uma delícia a gente poder se dar ao luxo de ser exigente com a vida.

-Eu gosto deste mas não beija bem, este é lindo mas é meio burro, este é um tesão mas não seria um bom pai, este é inteligente mas é feinho, este é divertidíssimo mas decepciona na cama. Ai, ai, acho que vou subir as escadas... 
-Este emprego é ótimo mas paga pouco, este é perto mas não gosto do chefe, este dá estabilidade mas acho que minhas capacidades estão desperdiçadas aqui, este trabalho paga bem mas não concordo com a filosofia da empresa...estou com sono, vou dormir.

Somos educados por uma mentalidade judaico-cristã que prega o sacrifício, o altruísmo, a humildade e diz que devemos agradecer por tudo que temos na vida.
-O mingau está doce? Bom, pelo menos você tem um minagu, agradeça por ele.
-O emprego é ruim? Pelo menos você tem um salário.
-O casamento não é o que você queria? Você tá querendo demais!
Vocês já ouviram isso, né? Eu já, muitas vezes.

"A vida não é do jeito que você gostaria que fosse."
Ok, ok, vou ter que suportar a minha, então.

Aí vem a lindíssima Cachinhos de Ouro nos salvar dizendo que a vida pode ser exatamente do jeito que a gente quer.
Você não precisa comer mingau muito doce, sentar em cadeira desconfortável e nem dormir em cama dura.
Você pode ser exigente, pode recusar o que a vida te dá.
O desejo tem espaço.
O desejo é bem-vindo.
O desejo é bonzinho.
E de brinde na mensagem da garotinha está implícito que você pode também querer tudo isso e ainda ser: loira, cabelos cacheados, olhos azuis, ser bem vestida e fofa e não precisar se sentir culpada por isso.
Cachinhos de Ouro é a Carolina Dieckmann dos bosques, haha. (para quem não entendeu vá para o post Minhas 3 Graças).

Mas o problema é que Cachinhos de Ouro, que nada mais é do que a porta-bandeira do desejo, é tão mal vista que inventaram um enredo onde ela aparece como mal educada, invasiva, gulosa, mimada, destruidora de cadeiras, preguiçosa e, além de tudo, covarde porque foge quando é flagrada pelos 3 ursos.
Tadinha, deram um jeito de encaixar a menina em quase que todos os 7 pecados capitais!

Foi exilada para os bosques tamanha a sua baixa popularidade.

Uma criança que ouve esta história aprende que não devemos ser exigentes com a vida porque isso é coisa de gente mal educada e fútil.

E aí crescemos ouvindo as outras mocinhas sofrendo e encontrando a felicidade na aceitação. E passamos então a acreditar que isso é o correto.
Não!!!
Podemos sim olhar os dentes dos cavalos que o destino nos dá. Cinderela poderia sim ter virado para a fada madrinha e dito: "Ah, dona, vestido azul? Mas é que eu fico tããããão bem de lilás!!!".

Existe uma ONG chamada "Make a Wish" que se dedica a realizar desejos (em geral os últimos) de pacientes gravemente enfermos. Quer serviço mais legal? Brincar de Gênio da Lâmpada! Eu adoraria!

Bom, antigamente, se esta ONG aparecesse em casa e me perguntasse qual era o meu maior desejo, eu diria:
-Quero ser a Cachinhos de Ouro por um dia!

Queria acordar de manhã e ter muitos pães sobre a mesa para degustar e me decidir qual eu gostaria de comer. E, atenção, não ter dó de jogar todos fora depois!!! Sem culpa! Queria passar horas decidindo qual dos vestidos maravilhosos ficaria melhor em mim. Queria ter muitos carros na garagem para eu fazer test-drives. Queria ter a vida EXATAMENTE do jeito que eu sonhei um dia, com um marido perfeito, uma casa perfeita, um trabalho perfeito.

Mas quer saber? Isso não é tão difícil assim, sabia?
É só a gente deixar de pensar que se o almoço foi ótimo, devemos nos dar por satisfeitos e engolir um Miojo no jantar. Se você tem um belo rosto, pode suportar um corpo feio. Se sua namorada é uma mulher para casar, ela não tem a obrigação de ser uma mulher para transar.
Estes pensamentos deprimentes fazem com que a sua vida não seja do jeito que você gostaria que ela fosse. E aí cabe a você ter mesmo que suportar.
Azar o seu.

Mas, você pode ter tudo no mesmo pacote, é claro que dentro dos seus desejos.
E as ótimas novidades são:
1) Os seus desejos não são tão rigorosos como se imagina.
2) Não é difícil suportar detalhes ruins quando nossos desejos estão sendo obedecidos e respeitados.
3) Peneirando bem todos os desejos que as propagandas de margarina, as novelas e a sua família exigem para se ter uma vida feliz, você descobre que só precisa de uma vida que tenha exatamente a sua cara.
Só isso!!!
E isso não é tão difícil de se conquistar!

E neste maravilhoso dia de descoberta, a sua "Cachinhos de Ouro" interna, que se esconde no submundo da sua consciência, poderá crescer e assumir publicamente todos os 7 pecados, com a diferença que agora eles não serão mais pecados porque você já perdoou a loirinha por ela ser assim..cheia de vontades!

"Hum, deixa eu ver, qual dos 3 ursos eu quero primeiro na minha cama?"



Um comentário:

Se você não tiver uma conta Google e quiser comentar: escreva na caixa, assine (para eu saber quem escreveu!) e escolha a opção "Anônimo". Pronto! Seu comentário aparecerá imediatamente no blog.