terça-feira, 22 de março de 2011

Filosofando sobre ativo e passivo

Eu odeio Charles Drawin. Detesto.
Não entendo como o mundo não percebeu que Drawin ia prejudicar os casamentos e infernizar a vida comunitária.
Divórcios? Culpa de Darwin! Convivência tensa nas repúblicas dos estudantes? Darwin? Problemas com a nova estagiária? Tudo Darwin!!!

Explico:
Na cabecinha oca dele o ambiente é passivo e a condição de nascimento totalmente determinante para o sucesso daquele ser vivo. E aí o povo deita e rola nessa teoria e, diante de qualquer cobrança do ambiente, já vem com com aquele discurso darwinista que eu odeio:

-Poxa, você não fecha a tampa de nada, deixa a garrafa de água vazia na geladeira, não joga a roupa suja no cesto, não arruma suas ferramentas depois que usa!!!! Caramba!!!
-Ô morrrr, desculpa, mas é que eu sou assim. Não consigo mudar. Não é má vontade!!!!! Se você quiser pode perguntar para a minha mãe.

E isso vale para tudo.
A girafa não consegue comer as folhas altas? Culpa do pescoço pequeno: "Eu nasci assim!"
Macunaíma era preguiçoso? Nasceu assim!
Macunaíma nascendo, hahaha!
O adolescente não percebe que incomoda os colegas da república? "Juro que não me dou conta! Eu sou assim, distraído!"
Numa entrevista de emprego temos que dar de bandeja os nossos 3 maiores defeitos e todos encaram isso como falhas indissolúveis de caráter, e aí o entrevistador pensa: "Isso é dele, nunca vai mudar! Vamos contratar o outro."






O marido não levanta a tampa da privada para fazer xixi?
"Sempre fui assim, paixão, eu sou esquecido mesmo."


E o pior é que Darwin não tinha a menor noção das minúcias envolvidas num DNA para embasar sua teoria maluca. E pior ainda: ignorava totalmente o enorme peso que fatores ambientais tinham na nossa vida.

Ambiente passivo??? Imagina! É ativo!!! O ambiente, definitivamente, é espada! Hahaha!
E mesmo assim todos idolatram Charles Darwin e jogaram o pobre Lamarck no lixo da comunidade científica.

Sou Lamarckista!! E com orgulho! Acredito que meu filho pode ser um cara chato mesmo eu e o pai dele sendo pessoas legais. É um risco que todos nós corremos quando decidimos procriar. Mas também acredito que vamos adaptando nossa vida familiar para que a chatura do meu filho seja minimizada ou eu me torne uma pessoa igualmente chata! hahaha!

Agora, sério mesmo, os filhos diferentes trazem esta necessidade de adpatação da família. E todas se reorganizam! Umas com mais sofrimento, outras menos, mas como disse um esperto da cultura popular:

"É no balanço da carroça que as melancias se ajeitam."


Vocês sabiam que o QI de uma pessoa pode ser alterado???? A configuração do cérebro muda consideravelmente quando precisamos que ela se transforme. O fenômeno chama-se plasticidade neural e é um velho conhecido dos médicos.
O sujeito ficou cego num acidente de carro? No problem!!!!!  Em menos de um ano o córtex se reorganiza para que a área da visão fique inativa e o espaço cortical destinado a outras funções, agora mais necessárias como o tato, equilíbrio, organização espacial, audição, fiquem maiores e repletos de novas sinapses.
Há pouco tempo descobriram que até a meditação é capaz de transformar o cérebro.

A criança ficou órfã? Traumatizada numa guerra? Existe uma perda visível no sistema límbico. E o luto, para mim, nada é mais do que uma reorganização do espaço que aquela pessoa ocupava no seu cérebro. Um dia volto a falar sobre isso.

Bom, resumindo. É óbvio que podemos nos transformar e mudar. Os casais precisam aprender que a teoria de Darwin até pode valer para o pescoço da girafa ou o bico torto do papagaio, mas não se adapta às relações sociais.

Não tem como ser psicólogo e ser Darwinista ao mesmo tempo. São crenças inconciliáveis. Ou eu acredito na transformação ou eu fico no determinismo.
E todo mundo que procura uma terapia precisa acreditar na transformação e, se a pessoa não tem capacidade de mudar (algumas não tem), o que precisamos mudar é a maneira de encarar nossas limitações.

E acredito também que o outro que convive com você se adapta lentamente ao seu estilo.
Mas as vezes é lento demais, e é por isso que os primeiros anos de um casamento são um inferno!!! Se forem pessoas darwinistas, então...

2 comentários:

  1. Que coragem! Você já peitou a Bíblia, a escola publica, e agora Darwin! Essa e minha garota. Ainda vou ter que te visitar na prisão ou na Suécia quando você receber o Prêmio Nobel de contestação.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, Claudinha. Você não sabe, mas hoje meu dia precisava começar com isso depois de uma visita ultra cedo à coordenadoria da escola com a minha pequenininha morrendo de medo do novo. Vamos agarrar esse ambiente e virar as coisas de pernas pro ar, ativar!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir

Se você não tiver uma conta Google e quiser comentar: escreva na caixa, assine (para eu saber quem escreveu!) e escolha a opção "Anônimo". Pronto! Seu comentário aparecerá imediatamente no blog.