segunda-feira, 16 de julho de 2012

Melodramas da vida cotidiana.

O post de ontem sobre os pés gelados me fez lembrar desta história da formiguinha com o pé preso na neve. 


Minha avó contava e me fazia dormir deprimida. Ela, toda orgulhosa, dizia que o meu pai também chorava com o sofrimento da formiguinha quando ele era pequeno. Sim, minha avó era perfeita em interpretar a angústia com a sua voz fraca de formiga. E também devia ser meio sádica.
A Coleção Disquinho (acima) eternizou o melodrama.
Ainda não conclui nada sobre a moral da história. As vezes acho que ela é paternalista e que os personagens deveriam virar para a chata da formiga e dizer: "Se vira, neguinha! Coisa chata essa mania de pedir tudo prá todo mundo!". 
Já quis, inclusive, fazer uma versão atéia da história. 
"(...) E a Morte impassível respondeu: Mais forte do que eu, é Deus que me governa!!!! A formiga esperou, esperou mas a mão de Deus não surgiu por cima das montanhas. A Primavera não apareceu com o seu carro de veludo e ouro e nem nadica de nada aconteceu. A formiguinha ficou chateada, claro, mas teve a brilhante ideia de comer a neve que estava em cima do pé dela. Finalmente saiu de lá. Foi para casa calçar uma meia e tomar um chá."

Hahaha, final perfeito! Com exceção da inútil meia...

Mas hoje acho a história apenas burocrática, irritante e repetitiva. E é claro que isso me fez lembrar de um outro dramalhão... 
A Formiga e o Celular

Certa manhã de inverno, uma formiguinha saía para o seu trabalho diário quando lembrou que precisava cancelar o número do seu celular. Sabendo que não poderia continuar nem mais um dia com aquele telefone, a formiguinha decidiu pedir o cancelamento:
-Daiane, com quem eu falo?
-Ó Daiane, tu que és tão forte que trabalha no 0800 da Tim.... cancela o meu celular!
-Não posso, senhora. Mais forte do que eu é o departamento de cancelamentos. Vou estar transferindo....

A formiguinha ficou satisfeita.

E na sala de atendimento da TIM
-Rafael! Tô mandando um cancelamento prá você!
-Tá, vou jogar na musiquinha e fazer um xixi.
(PS: reparem que incrível esta foto de
formigas ingerindo corantes )
-Rafael, com quem eu falo?
-Ó Rafael! Tu que és tão forte, que trabalha no departamento de cancelamentos, para quem a Daiane me transferiu... cancela o meu celular!!
-Mais forte do que eu, é a música de espera que me interrompe.

"Plim, plim plim plom. Obrigada por ligar. Sua ligação é muito importante para nós. Neste dia dos pais, surpreenda aquele que nunca esquece de você...."

A formiguinha achou a música bonita e muito relaxante. Voltando-se para ela, a formiguinha pediu:

-Ó Música de espera, tú que és tão forte que interrompe o Rafael, para quem a Daiane do 0800 me transferiu.... cancela o meu celular!!!
-Mais forte do que eu é a ligação que cai e me corta ao meio.

Tu-tu-tu-tu-tu......

Já cansada, a formiguinha suplicou à ligação que cai:
-Ó ligação que cai, tú que és tão forte que corta ao meio a música de espera, que interrompe o Rafael, para quem a Daiane transferiu.... por favor, cancela o meu celular!!!!
-Mais forte do que eu é o número do protocolo que me refaz.

E, neste momento, uma onda de alegria encheu o coração da formiguinha. Sim! Ela havia anotado o número do protocolo. Nada estava perdido! Logo, logo, o seu celular "estaria sendo" cancelado, como prometeu a gentil Daiane. Ligou novamente.

-Qual o número do Protocolo, senhora?
- 97532-006.
-Pois não?
-Ó número do protocolo, tú que és tão forte que refaz a ligação que cai, que corta ao meio a música de espera, que interrompe o Rafael, para quem a Daiane me transferiu.... canceeeeeela o meu celular!
-Mais forte do que eu, é a repetição que me inutiliza!!!!

Vou estar transferindo. Tecle 3, tecle 8, "Plim, plim plim plom. Obrigado por ligar, sua ligação é muito importante para nós. Neste dia dos pais, surpreenda aquele..." Pois não? Só um minuto. Qual o seu nome, senhora? Vou estar transferindo. Pois não? Qual o protocolo? Do que se trata??

Já aflita e chorosa a formiguinha implorou à repetição:
-Ó repetição, tú que és tão forte que inutiliza o protocolo, que deveria refazer a ligação que cai, que corta ao meio a música de espera, que interrompe o Rafael do cancelamento, para quem a Daiane do 0800 me transferiu.... PELO AMOR DE DEUS!!!! Cancela o meu celular!!!!!
-Mais forte do que eu são os novos planos que a senhora precisa conhecer.
Já fraca, sem energia e sentindo o coração gelar, a formiguinha juntou as suas últimas forças para conhecer os novos planos.
-Para o Infinity e além!!!!!!!!

"Plano Infinity Mais. Fale com os seus amigos pagando apenas 25 centavos no primeiro minuto. Plano Infinity Plus. Precisa ligar para fixos? Com este novo plano isso custará, blá, blá, blá..."
Trêmula de medo, depois de ouvir todas as ofertas, a formiguinha suplicou:

-Ó novos planos, tú que és tão forte que eu preciso conhecer, que está acima da repetição, que inutiliza o protocolo, que deveria refazer a ligação que cai, que corta ao meio a música de espera, que interrompe o Rafael do cancelamento, para quem a Daiane do 0800 me transferiu.... PELO AMOR DE DEUS!!!! Cancela o meu celular!!!!!
-Mais forte do eu é o questionário obrigatório do motivo do cancelamento.
A formiguinha já estava sem forças quando foi transferida para o questionário. Com voz fraca implorou:
-Ó questionário obrigatório, tú que és tão forte que acontece depois dos novos planos que eu preciso conhecer, que está acima da repetição, que inutiliza o protocolo, que deveria refazer a ligação que cai, que corta ao meio a música de espera, que interrompe o Rafael do cancelamento, para quem a Daiane me transferiu. (suspiro....) Cancela o meu celular?
-Alô!!! Alôôôuuuu???
E neste momento o questionário fez a pergunta mais importante de todas:
-Por que você deseja cancelar o seu celular, senhora?
-Porque dificilmente consigo sinal para ele.
-Tudo bem, senhora. Só mais um minuto.

E então, magicamente, as nuvens se abriram e uma mão divina tornou o chip inativo.
-Mais alguma coisa, senhora?
-Sim: por que raios eu precisei pedir a mesma coisa para TANTA gente?
-Olha, esta resposta eu não tenho, senhora, mas posso estar transferindo para o setor responsável...

"Plim, plim plim plom. Obrigada por ligar, a sua liga...."











sábado, 14 de julho de 2012

Autossifuciência

No último final de semana recebi visitas aqui em casa, e uma delas falou algo que me surpreendeu:
-Claudinha, não adianta você calçar uma meia com os pés frios. Você pode vestir quantas meias quiser que seus pés nunca se aquecerão. Você precisa, primeiro, esquentar os seus pés para, só depois, calçar a meia. Entendeu?
-Bom dia, galera!!! Dormiram bem?
Puxa! Por isso que eu durmo E acordo com os pés gelados?? Entendi...
Sempre achei que as meias serviam para aquecer os pés, mas hoje, com quase 40 anos nas costas, aprendo que não, que as meias só servem para manter o calor de pés previamente aquecidos.
-E como, então, eu devo fazer então para esquentar os meus pés?
-É só esfregar.
Ah, tá.

Pfffff....
Odeio essas pegadinhas da vida! Sempre depositei minha inteira confiança nas meias e só agora me contam que elas nunca serviram prá nada.
Só hoje soube que precisamos ser autossuficientes no aquecimento dos pés.


Igual a quando eu li o meu primeiro livro de auto-ajuda. Neste dia também descobri algo igualmente irritante:
"Para encontrar um grande amor você precisa, antes de mais nada, ser feliz e se sentir completa na solidão. Só depois o grande amor, magicamente, aparecerá."
Não é chato isso? A gente crente que o amor virá para nos trazer felicidade e, num belo dia, descobrimos que a ordem dos fatores altera o produto:
  • SEJA FELIZ PARA ENCONTRAR O SEU GRANDE AMOR. (certo)
  • ENCONTRE O SEU GRANDE AMOR PARA SER FELIZ. (errado)

-Ma oê!!!!!
E tem mais! Se a sua felicidade não for genuína e completa, corre-se o risco do cara não ser o famoso "grande amor". Se você não estiver verdadeiramente feliz, você poderá atrair oportunistas, cafajestes ou, (pior!!) apenas bons amigos. Por isso nem adianta fingir uma alegria contagiante ou mentir dizendo que você está ultra feliz, jantando sozinha num sábado à noite.
Tem que sentir a paz interior no fundo do seu coração solitário.
E aí, depois que você finalmente encontrou o seu grande amor, os livros de auto-ajuda dizem ainda que nunca, JAMAIS devemos depositar a nossa felicidade nas mãos dele. Diz o lenda que ele não tem a responsabilidade de suprir as suas expectativas.
Pfffff... então os grandes amores também não servem prá nada!!
Se eu já me sinto feliz e completa, por que preciso de alguém ao meu lado? Correndo o risco prejudicar a minha felicidade, tão duramente conquistada??
Temos, portanto, que ser autossuficientes com a nossa felicidade.
E com os nossos pés quentes.

Orgasmo é a mesma coisa. Precisamos primeiro descobrir sozinhos o prazer para, só depois, encontrá-lo numa relação a dois. Mulheres que procuram o prazer no sexo, sem antes conhecê-lo sozinha, geralmente se dão mal porque acabam não sabendo do que precisam. Aí não dá nem para exigir ações e atitudes do pobre coitado do parceiro.
Quando eu era adolescente, era comum esse tipo de conversa:
-Não sou mais virgem! Eu e o Paulo agora fazemos sexo!
-Puxa, que legal! E você goza?
-Hum.... não sei. Ainda não entendi direito o que é isso.
-Será que gozei? Será que não?
Onde devo procurar o Nemo??
Nemo... quem é Nemo?
MUITO comum meninas terem a primeira relação sexual sem terem a menor idéia do que deveriam sentir. E o pior é que, quando sabem, concluem que, sozinhas, o prazer delas é bem melhor! Muitas descobrem que os parceiros não servem para muita coisa, afinal.
Temos ser que autossuficientes com o nosso prazer sexual.
E com a nossa felicidade.
E com os nossos pés quentes.
-E como, então, eu devo fazer para conhecer o prazer sexual?
-É só esfregar.

Hahaha.






Na psicoterapia também temos que ser autossuficientes.
Não adianta você se arrastar pelo chão, ter crises de pânico na rua, desejar cortar os pulsos... tsc, tsc.
Isso é só o começo.
Para você realmente ter sucesso na terapia, você tem que se olhar no espelho e dizer: "Quero mudar" (o AA e os Narcóticos Anônimos também exigem este primeiro passo).
Aí, então, tem que pedir ajuda para alguém. Tem que pesquisar nomes de terapeutas, tem que se dar ao direito de abrir uma brecha no orçamento para pagar o tratamento (isso é o mais difícil!!), tem que ir na consulta (juro! não basta marcar, tem que ir MESMO!) e, chegando lá, precisa
conversar com o psicólogo e dizer que quer ser cuidado.
Parece óbvio para vocês? Pois não é.
Ah, e depois tem que voltar na segunda sessão, viu?! Tecer um parecer sobre o que o cara te responde, chegar à algumas conclusões sobre a sua vida, pensar em mil coisas entre uma sessão e outra... muito trabalho!
Para fazer terapia precisamos ser autossuficientes ao organizar as nossas idéias. Um dia alguém chegará à conclusão que os psicólogos também não servem para nada, hahaha.
A verdade é que temos que ser autossuficientes com a nossa saúde psíquica.
E com o nosso prazer sexual.
E com a nossa felicidade.
E com os nossos pés quentes.

Mas o pior ainda está por vir: segurem-se.
Pedir prá Deus... também!!! Não adianta só pedir. Pedir é a parte mais fácil!! Tem que saber o que pedir, e quando pedir. E assumir todas as benfeitorias depois.
E saiba que nem o onipresente Deus pode te dar uma mãozinha nessas horas. O desejo tem que partir de você. É preciso ter inteira responsabilidade pelas próprias preces.
Não adianta dizer: "Ó Deus, coloque suas mãos divinas sobre a minha vida."
Nada disso!! Tem que saber o que você quer. E como quer. E prá quê você quer tudo aquilo.
É óbvio que, depois disso, muita gente acaba concluindo que Deus também não serve prá muita coisa.
Temos que ser autossuficientes com as nossas bençãos.
E com a nossa saúde psíquica.
E com o nosso prazer sexual.
E com a nossa felicidade.
E com os nossos pés quentes.

-Droga! Sifudemo...