domingo, 6 de março de 2011

Hunting High and Low

No post de ontem (feito sob encomenda para uma leitora especial!) falei do reencontro com os desejos infantis que salvam e redirecionam a vida para a auto-realização.

Fui dormir pensando nisso e tentando procurar uma forma de exemplificar a idéia. Consegui lembrar de MUITOS filmes que tratam do mesmo assunto: uma criança inicialmente tola, ingênua e invasiva que se mostra fundamental para tirar um adulto de uma crise existencial séria.

Mas, para mim, o filme que melhor ilustra esta história é uma animação incrível da Pixar: "Up", que no Brasil teve o título complementado por "Altas Aventuras".
Não viram????? Ah...
Não conheço nenhum adulto que não tenha se apaixonado por este filme.

 
"Up" merece uma tese. TUDO nele tem um significado arquetípico: o pássaro mágico, raro e colorido que está em perigo e precisa resgatar os filhotes, os cães que falam e são dominados por um vilão que se deslumbrou com a fama... tudo pode ser teoricamente explicado por uma boa psicóloga junguiana, hehe.

Mas esta animação aparentemente infantil é perfeita para ilustrar o que eu disse ontem porque tem:
  1. Um caderno de projetos, desejos e sonhos (alguém aí lembra do Caderninho de Perguntas do post anterior? pois é...), feito em conjunto pelo casal que se uniu justamente pelos interesses em comuns na infância.
  2. Um velho em crise que passou a vida resolvendo problemas práticos e necessários (a cena dele quebrando o cofre para pagar imprevistos do dia-dia me emocionou... não sei porquê). E a vida fez dele alguém rabugento, amargo e cético.
  3. Um menino carente, na faixa de 8 ou 9 anos, que precisava de atenção e queria ser útil. Ele era incoveniente, esquisitinho, mas foi herói até o último fio do seu cabelo orientalmente espetado.
Com isso já dá para saber o fim da história. Não vou contar e nem me prolongar na chata tarefa de esmiuçar um filme.

... Esquilo!!!!!!.... hahahahah! (a piada foi só para quem viu!)

Mas digo que a cena mais metafórica de todas é quando o velho joga pelos ares todos os bens materiais, os objetos que o faziam lembrar a esposa falecida, tudo o que ele tinha na vida para... salvar a sua vida.
Mas não jogou o sonho! Em momento algum ele abriu mão do seu projeto, por mais maluco que fosse.

Mas, importantíssimo: para o filme dar certo o menino tinha que ter 8 ou 9 anos. E o gordinho tinha!

E também os Cadernos de Perguntas devem ser respondidos preferencialmente nesta idade porque antes ainda existe a total falta de noção do mundo real. É com 9 anos que vários teóricos da psicologia concordam que a criança passa compreender totalmente a diferença entre fantasia e realidade.
Para alguns pequenos a perda da magia pode ser um luto terrível e é por isso que meu consultório sempre esteve cheio de crianças desta faixa etária.

E se demoramos alguns anos para fazermos a investigação do Caderno de Perguntas teremos pré adolescentes que passam a censurar e discriminar sonhos e desejos (só fica o desejo pela namorada!). São contaminados pelo niilismo do adulto. Adolescentes não servem para responder Cadernos de Perguntas e nem para fazer Testes de Orientação Vocacional!! Mas isso é outra história...

Portanto, na minha opinião de especialista em Cadernos de Perguntas, entre 8 e 9 é o período ideal para responder o questionário.

E programem a Máquina do Tempo para voltarem a esta idade antes de responderem o caderno que certamente vocês formularão numa emergência existencial, ok?

Tenho certeza de que os irmãos Gershwin tinham 9 anos quando escreveram esta música:

The Man I Love
Someday he'll come along
The man I love
And he'll be big and strong
The man I love
And when he comes my way
I'll do my best to make him stay
He'll look at me and smile
I'll understand
Then in a little while
He'll take my hand
And though it seems absurd
I know we both won't say a word
Maybe I shall meet him Sunday
Maybe Monday, maybe not
Still I'm sure to meet him one day
Maybe Tuesday will be my good news day
He'll build a little home
That's meant for two
From which I'll never roam
Who would, would you
And so all else above
I'm dreaming of the man I love

Meu regresso aos nove anos de idade aconteceu assim:
Quando tinha 29 anos fui andando até a padaria da esquina de casa, em São Paulo, e parei em frente a uma casa. Fui para frente, para trás, andei prá frente de novo e comecei a sentir um cheiro tão bom, TÃO BOM que eu decidi que nunca mais poderia viver sem ele.
Demorei para descobrir o que era, mas depois vi: esterco de vaca jogado na grama da casa.

Como disse uma amiga esta semana, este foi meu "A-Ha moment"!!!

PS: Nunca tinha imaginado que A-Ha queria dizer isso! Para mim ainda eram os rapazes de mulets que cantavam "Hunting High and Low".
Depois de algum tempo que postei o texto aqui corri e mudei o título deste post. É OBVIO que deveria se chamar Hunting High and Low!!!!!!!!  O velho do filme precisou subir nas núvens para redescobrir seus sonhos de infância. Eu só precisei olhar para baixo e apurar o faro.
Fácil.

Alguém lembra de um episódio do "Seinfeld" em que George sai com uma mulher bonita no Central Park e na conversa ele diz para ela que gosta de esterco de cavalo?
Depois ele entra no apartamento do Jerry inconformado porque a moça não quis mais saber dele. Jerry perguta incrédulo: "You told her you liked manure?"
E Goerge responde bravo: "What's wrong with manure?"

Sim, George, o que há de errado com esterco???



Hahahaha!!! Eu me casaria com George na hora!!!!

George Constanza: The Man I Love!!!



3 comentários:

  1. Agradeço por essa maravilhosa canção, nesta noite fria e triste de domingo de carnaval (que pra mim, esse ano, passa ao longe...).
    Seus posts são meu deleite noturno, quando todos dormem, no silêncio meio claro, meio escuro da casa, ao longe apenas os cães da vizinhança, ao lado meu pequeno príncipe e na telinha, você, xuxu.
    Danke schön.
    E perdão esse choro miúdo.

    ResponderExcluir
  2. Você se esqueceu de contar o happy end da sua estória do esterco: você se apaixonando por um agrônomo e indo morar numa cidade de interior onde cavalos pastam em frente a sua casa.Climene

    ResponderExcluir
  3. Preciso falar duas coisa.
    1- estou aliviada que o caderno vale com 8 anos, pois essa semana, com 4 Anos, o Gabriel me disse que quer ser bandido quando crescer!!!!
    2- Vou confessar algo pela primeira vez na minha vida...eu sempre gostei do cheiro de esterco! Kkkkkk
    Lu

    ResponderExcluir

Se você não tiver uma conta Google e quiser comentar: escreva na caixa, assine (para eu saber quem escreveu!) e escolha a opção "Anônimo". Pronto! Seu comentário aparecerá imediatamente no blog.