segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Eu te proponho não dizer nada, seguirmos juntos na mesma estrada...

-É, bons tempos mesmo aqueles.- eu falava para um amigo que estudou comigo.
-O que eu tenho mais saudade é da minha banda.- respondeu ele
-Banda?
-Você nunca soube? Eu tinha uma banda na faculdade.
-Jura? E você tocava o quê?
-Nada.
-Como assim? Peraí, vai me dizer que você... cantava!
-Sim. Sou tímido, mas no palco eu me viro bem, hehe.
-Não acredito! Essa eu precisava ver. Tem algum vídeo gravado para eu poder acreditar nisso?
-Eu cantei no meu casamento e um amigo filmou. Um dia eu peço para ele.
-Ai que fofo!! Que música você cantou?


Este foi um diálogo com um amigo que me surpreendeu com esse papo de banda e me maravilhou com a história de cantar no casamento dele.
Acho o máximo o noivo cantar para a noiva. Ultra romântico.

Existem umas músicas batidíssimas que perderiam a graça num casamento pela obviedade.
Fazer coração com a mão já é de matar.
Colocar rosas no meio fecha com chave de ouro.
E essa foto cafona está presente em 100%
dos vídeos de amor do Youtube.
"Ah, como é grande o meu amor por voooooocê!!!!!"
"Eu sem você não tenho por quê. Porque sem você não sei nem chorar..."
"Eu sei que vou te amar. Por toda a minha vida eu vou te amar..."
Blá, blá, blá... tudo parecido!

Tenho uma amiga que tem um sonho: ouvir o cara cantando "Minha Namorada" no dia do casamento dela.
Para quem não conhece,  link aqui com Os Cariocas (o único vídeo menos cafona que eu achei)
Eca!!!! ODEIO essa música. O cara diz:
-Se você quer ser a minha namorada, ai, tá bom, até que você poderia ser uma linda namorada, mas...
E coloca um monte de condições:
  1. Ser somente minha (bom, até aí tudo bem: isso é o que todo noivo espera)
  2. Exatamente essa coisinha, essa coisa toda minha que ninguém mais pode ser ("essa coisinha"??? que bobeira é essa?)
  3. Tem que me fazer um juramento de só ter um pensamento: ser só minha até morrer (ah, nêgo, mandar no pensamento é querer demais) 
  4. Não perder esse jeitinho de falar devagarinho essas histórias de você (em outras palavras: não seja escandalosa e controle sua TPM) 
  5.  De repente me fazer muito carinho (mas tem que ser de repente!!!)
  6. Chorar bem de mansinho sem ninguém saber porque (em outras palavras: chore baixinho e não me conte a razão)
  7. Tem que vir comigo em meu caminho e talvez o meu caminho seja triste prá você (não te prometo um mar de rosas)
  8. Os seus olhos tem que ser só dos meus olhos e os seus braços o meu ninho no silêncio de depois (silêncio de depois= depois do sexo fique quietinha, vira para o lado e me abraçe)
  9. E você tem que ser a estrela derradeira, minha amiga E companheira (além de toda a jornada dupla já embutida na vida das mulheres)
Lista de deveres absurda para ser falada no altar, não é?
Eu, como noiva, daria meia volta imediatamente.
Em compensação, a música que eu sempre sonhei que um dia cantassem para mim no altar era "Dia Branco":



OH MY GOD!!!!! Prá que tanta foto piegas??? O foda é que as não piegas tem um audio péssimo. Saco.
Bom, mas essa lindíssima música, por outro lado, peca pela falta de garantias:
-Olha minha linda, se você vier pro que der e vier vai ser bem legal, mas eu não vou te prometer nada. Ok? Pode ser?

Muito romântica, mas não funciona na vida real.
Na vida real a gente costuma precisar de um noivo que diga:
-Vou cuidar de você quando você ficar numa cadeira de rodas, posso levar seus pais velhinhos para morarem com a gente, vou te ajudar a cuidar da molecada, garanto o básico dentro de casa para você sempre ficar tranquila e vou te beijar ao dar bom dia e boa noite todas as vezes.

Ufa, só isso já seria o suficente para eu ir para a lua-de-mel em paz. O resto a gente dá um jeito.

Por isso, não quero mais essa música descompromissada do Geraldo Azevedo. Linda, mas deixa a gente insegura e angustiada.

-Vem que eu te faço, meu amor, a rainha da escola
de samba que teu nêgo é diretor!
Existe uma ótima que eu, hoje, adoraria que cantassem para mim: Escurinha, do Cartola (link aqui: com Zizi Possi).
O cara promete um barraco, um boteco, 4 paredes (4!!!!), um telhado de zinco e ainda, de lambuja, ser a rainha da escola de samba!!!!
Oferta irrecusável, não é?
Sem falar na fofa que Shrek já adotou para ele: I`m a beliver




Um amigo casou há pouco tempo e cantou fofamente para a noiva. Música linda que eu nunca tinha ouvido. Até chorei. Depois perguntei que música era aquela e ele disse:
-É do "Jamil e uma noites".
Hum...
Se eu soubesse não ia chorar, mas confesso que continuo achando ela linda.

Meu marido havia prometido que iria cantar para mim no nosso casamento oficial.
E a música seria essa:

 
Incrível!!!! Aqui em casa tem TUDO isso: na beira de um rio, tem violão, roseira na varanda, cavalo, papagaio, pomar, passarinhos, galinhas, rádio velho, kodak e fonte que faz chuá-chuá!!!!!
Hum...só não tem jornal e revista.
Hahaha, já disse aqui que no fim de mundo onde eu vivo não tem banca de jornal, né? Im-pres-sio-nan-te. Nunca imaginei que uma cidade sem banca seria possível!! E muito menos que EU iria morar nela.
É, nem tudo é perfeito.
Mas sou feliz demais na minha palhoça com minha Folhaonline e as revistas desatualizadas que minha mãe separa para eu ler depois de longas semanas.
Tá valendo.

E o final do diálogo com o meu amigo foi assim:
Eu tinha dito
-Ai que fofo!! Que música você cantou?
-Staying Alive, dos Beegees.
- .................. mas, mas Staying Alive não é romântica. (sim, é a música do cara revirando o tapete do outro post "Amo tua voz e tua cor")
-Não, não é. Mas por quê? Era para ser??


E foi isso.
Só isso.

"Life goin' nowhere, somebody help me
somebody help me yeah!
Life goin' nowhere, somebody help me yeah!
I'm stayin' alive" (Beegees)

Incrível como conseguem jogar um banho de água fria no nosso ideal de casamento.
Tipo: "Esqueça o romantismo, Claudinha, e tente chegar ao fim da relação feliz por ter alguém que te ajude a, pelo menos, permanecer viva."
Já é o bastante.

E foi assim que meu amigo me convenceu. Decidi então pular essa coisa de música e partir para o que interessa.
Chega de promessas.
Vamos apenas fazer o possível e tentar chegar vivo no final.
"Staying Aliiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiive" é o verdadeiro mantra do casamento!!
Boa sorte para todos!

CURIOSIDADE: Antes de eu acabar com os sonhos românticos de vocês, qual música vocês achavam perfeita para ser cantada em um casamento?

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

A Herança Maldita dos Apaches

O filme é regular mas o livro é absolutamente perfeito: "O Aprendizado de Pequena Árvore"
Numa linguagem infantil e mágica, relata a infância de um pequeno índio órfão que é criado escondido na floresta pelos avós apaches.
E o menino se chama... Pequena Árvore.

Índios são assim: Touro Sentado, Águia Vermelha, Filha do Sol... crescemos ouvindo esses nomes nos filmes de bang-bang e achando graça deles.

A razão da escolha é algo incompreensível para mim. Não é olhando para a carinha do neném porque, se fosse assim, todos iriam chamar Joelho Sangrando.
Com certeza deve ser algo bem corriqueiro como: o primeiro bicho avistado pela tribo depois que o bebê nasce MAIS o jeito que a mãe se encontrava quando a ciança foi parida: vermelha?? sentada?
Algo assim, bem tolo.

Filho da Alícia Pedra de Prata!
Mas os americanos (e seus colonizadores ingleses) devem estar arrependidos de terem exterminado os apaches e acredito que decidiram se redimir, reinventando a cultura dos nomes esdrúxulos e ligados à natureza.

  • O primeiro filho de Alicia Silverstone se chama: Urso Azul (Bear Blue)
  • Os filhos de Jamie Oliver se chamam: Pétala Floresce Arco-Íris (Petal Blossom Rainbow), Margarida Grita Pamela (Daisy Boo Pamela), Papoula Mel Rosinha (Poppy Honey Rosie) e o caçula teve sorte: Amigo Urso (Buddy Bear)
  • A filha de Gwyneth Paltrow se chama: Maçã (Apple)
  • O Filho de Silvester Stalone se chama: Sábio Lua Sangrenta (Sage Moonblood) 
  • A ex-Spice Girl Geri Halliwell tem uma filha chamada: Sino Azul (Bluebell) 
  • Os filhos de Frank Zappa se chamam: Unidade Lunar (Moon Unit) e Diva Muffin Magro (Diva Thin Muffin ).
e por aí vai...

Espero sinceramente que Diva Thin Muffin seja magra... tadinha.


Jamie Oliver chamou seu primeiro filho homem de Buddy, algo como "Meu Chapa" ou "Parceiro". Boa escolha! Você chama o filho e já o cumprimenta ao mesmo tempo.
Aqui no Brasil, Marisa Monte também teve a mesma idéia, chamando o dela de...Mano!
-Fala aí, Mano!!

Aqui no Brasil os pobres tem os filhos com nomes importados (que hoje são considerados cafonérrimos!) e os ricos, uma época, decidiram que o bonito é ressucitar os nomes pobrinhos: Maria, Antônia, João,  Bento, Dora, e por aí vai.
Essa foi a "Era Meu Filho é Gente como a Gente!!!"

E com o tempo foi surgindo a "Era dos Apelidos".

Um dos meus filhos tem um nome que é um apelido: Enzo.
Enzo não é nome! É diminutivo de Viccenzo ou Lorenzo.
Tom, Léo, Theo, Nina, Mel todos seguem a mesma linha.
Não fui eu que escolhi, mas também não discuto. Pelo menos estou na lista dos chiques e famosos, hahaha.

Mas com o tempo, teremos que dar nomes apaches nas crianças.
Não tem jeito: é a nova tendência.

Mas é aí que chegamos onde queria chegar: Incrível como conheço muita gente que já tem um nome apache para chamar de seu.
Meu Enzo, aqui dentro de casa é: Cara de Porca!!!! Sempre foi. Porca de parafuso, não o bicho. Por causa do formato hexagonal de seu rosto.
O outro se chama: Pipi de Carrapato! Juro. É o menino pisar na fazenda que os carrapatos se escondem DENTRO do pipi do pobrezinho. Aí falamos, coloquialmente:
-Pipi de Carrapato, vai pegar sua mochila que tá na hora da escola.

Cada índio com o seu habitat natural de carrapatos
Hum... não devem haver carrapatos no Velho Oeste. Tavez o dele terá que ser um nome Tupi-Guarani:
Pipi Mirim de Carrapato Ubatuba, hahahah.
Tadinho, vou ter que parar com isso antes dele arranjar uma namorada.

Quando eu era pequena meu nome apache era: Abundantes Madeixas. Meu pai me chamava assim porque eu devia ter um belo cabelo.
Hoje o que abunda é outra coisa. Mas o nome correto, atualmente, ficaria um pleonasmo, hahaha.
Não dá.
Mas, como diz meu sábio pai:
"O que abunda não atrapalha"
(eu ia colocar um ilustração aqui, mas desisti!)

E posso dar nomes apaches para todos vocês, leitores queridos: Nariz Torto, Barriga Pelada, Cabelo Verde...
Fácil demais!!! Essa moda com certeza vai pegar. 

O difícil vai ser seguir a tendência de Beckham que nomeou seu filho de... Brooklyn, bairro onde o pequeno foi gerado.
Vixe, seguindo esta idéia, teria que chamar meu filho de Rosolém, um pobre e feio bairro da pobre e feia cidade de Hortolândia.
Não rola.  

Ok, não me seguro, não me aguento. Eu tinha que postar isso aqui.
Tem algum Seinfel´d Fan aí??? Se não tiver, me perdõem, mas até hoje rio sozinha com George balançando a cabeça dizendo:
-A beautiful name for a girl, or a boy... especially a girl... or a boy!



Hahahahha, e no final do episódio um amigo rouba o nome que ele inventou e coloca na filha, matando o cara de raiva!!!!
Vale dizer que George Constanza era uma visionário que estava muito à frente do seu tempo, já que atualmente existe na família do garoto Brooklyn a irmã (ou irmão... ou irmã) "Harper Seven Beckhan"!!!
Sim, incrível, né?

domingo, 21 de agosto de 2011

Ipod POOOOODE!!

Vocês sabem quem é Anthony Bourdain?
Gosto dele. É um cara que tem um charme danado e um emprego de sonho: anda pelo mundo comendo em bons restaurantes e falando coisas engraçadinhas. Ultra crítico, sarcático e rabugento.
Como eu!!
Certo dia perguntaram para ele: "O que não deveria existir na culinária?". E ele foi rápido: maionese!
Ahhh... sacanagem.
Gosto dela no patê de atum. Hahahah, tem gente que chama patê de... pastinha!! Pastinha de atum.

Para mim uma comida que não deveria existir no mundo é mortadela (sim, eu sei 90% do povo fala mesmo mortandela, fazer o quê?).
Bom, nunca comi na vida, mas algo que fede não pode ser saboroso.

A partir daí veio a minha pesquisa interna e ruminante:
O que não deveria existir na música? Simply Red (o mais engraçado é que ultimamente li dois livros em que os personagens também odiavam a banda, hahah. Teve um que, inclusive, quebrou o juke box do bar quando o ruivo começou a cantar)
O que não deveria existir na moda? Calça saruel (qual é o encanto em encurtar as pernas, sumir com a bunda e dar a impressão de que a sua fralda está vencida?)
O que não deveria existir no reino animal? Carrapatos, óbvio! (ando tendo MUITOS problemas com eles)
O que não deveria existir no corpo? Orelhas.
O que não everia existir na escola? Lousa.
e por aí vai...
O que não deveria existir na TV aberta? Zorra Total.

E aí entramos no assunto de hoje: Dra Lorca a nutricionista gorda do execrável programa que falava:

Bom, a verdade é que eu ando me sentindo como ela ultimamente aqui no blog. E confesso que não estou gostando disso nem um pouco.
A cisma começou com o post "Como ser legal no Facebook" onde uma amiga, nos comentários, disse: "Chato mesmo é o povo que vem ditar o que podemos e o que não podemos fazer no nosso próprio mural"

Tóin, óin, óin... minha cara foi no chão.
E ela está certa! É chato mesmo!!!

Me segurei e dei uma maneirada na minha verve crítica.
Mas aí, no post do celular eu descambei de novo metendo a lenha na galera que passa a noite mandando torpedos ou fixados no Blackberry.

Então agora eu me retrato: Torpedo POOOOOOODE! Ipod POOOOOOOODE!!!!!
(hahahaha, eu não via a hora de usar isso: ipod pode é uma pérola dos trocadilhos!!!)

E eu que me dane agora com este meu bloguinho dogmático.
Quer "copiar e colar" mensagens babacas no Facebook?? POOOODE!
Quer pôr o gato no sofá? POOOOOOODE!
Quer usar calça saruel???? POOOOODE!
Quer usar cores cítricas e tirar fotos alternativas? POOOODE!

Proibir... NÃO POOOOODE!!!!
Hahahaha, agora é proibído proibir aqui no blog!

Estou ficando velha e cada dia mais crítica e rabugenta.
Vocês podem tudo, viu?
A titia Claudia deixa.


Mas depois não digam que eu não avisei, hahahahah!!!!!

E diga aí, Dra. Lorca, maionese pode?
-POOOODE!
Mortadela pode?
-POOOODE!!! E falar MortaNdela também!

Anthony Bourdain e eu não temos mesmo espaço neste mundinho permissivo e liberal.

Por isso hoje eu inventei um grupo virtual (que já tem 22 pessoas!!) onde vamos emagrecer juntos e onde EU dito as regras!!!! Oba!
Vou ficar lá o dia todo falando o que POOOOODE e o que não POOOODE, hahahahah, é como um sonho que se torna realidade...

Ufa, agora vou deixar o povo aqui do blog mais relaxado, sem carregar culpa porque a moça do blog disse que não pode.

E para os que não conhecem, eis a nutricionista.
Eu mesma ainda nem assisti (e acho que nem vou, hahahah).
Peguei o vídeo mais curto só para o povo da gringolândia (ou aqueles de bom gosto que não tem a menor idéia do que eu estou falando) entenderem a coisa.
Quer assistir Zorra Total??  Agora você POOOOODE!!!!

sábado, 20 de agosto de 2011

Amo tua voz e tua cor


 Paixão
(Kleiton & Kledir)
Amo tua voz e tua cor
Detalhe: adoro o ritmo deste comercial da Carolina Herrera!
Tenho esta foto guardada desde o início do blog, estava esperando o
momento certo para usá-la, rsrs 
E teu jeito de fazer amor
Revirando os olhos e o tapete,
Suspirando em falsete
Coisas que eu nem sei contar.
Ser feliz é tudo que se quer!
Ah! Esse maldito fecheclair!...
De repente, a gente rasga a roupa
E uma febre muito louca
Faz o corpo arrepiar.
Depois do terceiro ou quarto copo
Tudo que vier eu topo.
Tudo que vier, vem bem.
Quando bebo perco o juízo.
Não me responsabilizo
Nem por mim, nem por ninguém.
Não quero ficar na tua vida
Como uma paixão mal resolvida
Dessas que a gente tem ciúme
E se encharca de perfume,
Faz que tenta se matar.
Vou ficar até o fim do dia
Decorando tua geografia
E essa aventura
Em carne e osso
Deixa marcas no pescoço.
Faz a gente levitar.
Tens um não sei que de paraíso
E o corpo mais preciso
Que o mais lindo dos mortais.
Tens uma beleza infinita
E a boca mais bonita
Que a minha já tocou.


Todos vocês conhecem a música, não é? Música cheia de peculiaridades positivas e bastante negativas. Como falar mal das coisas é bem mais legal do que falar bem, vamos então começar pelas críticas:
  • Descreve o ato sexual de maneira sensual, sim, mas infelizmente peca no excesso de detalhes: "revirando os olhos e o tapete, suspirando em falsete...". Me faz imaginar o cara do Beegees (campeão dos falsetes) revirando a capacho aqui de casa. E eu não gosto nada dessa imagem.
Ah: e ainda bem que ele não sabe contar as coisas que ela diz quando suspira, porque, de verdade, eu não gostaria de saber.
-Vou revirar, vou revirar, A A A A, vou revirar, vou revirar, A A A A, VOU REVIRAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAR!!!
(no ritmo e melodia de Staying Alive... blah!)


  • Ressucita palavras usadas pela minha avó, e isso me faz rir e me tira a atenção: "Ser feliz é tudo que se quer. Ah, esse maldito fecheclair". Penso que a moça está transando com um coroa que daqui a pouco vai começar a falar: "Então ela tirou a calça de brim, eu tirei o meu abrigo, ficamos lelé da cuca e fomos para o alpendre comer uns belisquetes.". Seria melhor dizer: "Ser feliz é híper, vamos logo abrir o zípper!". Hahahah, fica mais moderninho, não?

    -Ahhhhh, alditu rechequér!!!!
    (por favor, digam que esta foto é uma montagem!!)
  • Aí entramos no parágrafo que fez a música ficar famosa como o Melô do "cú de bêbado não tem dono". Hahahaha, adoro essa história! Perceba o absurdo da letra, levando em conta que o sujeito é um homem: "Depois do terceiro ou quarto copo tudo que vier eu topo, tudo que vier vem bem. Quando bebo perco o juízo, não me responsabilizo nem por mim nem por ninguém."
E NO DIA SEGUINTE, DEPOIS DELA REMENDAR A ROUPA
E PASSAR UMA BASE NO CHUPÃO DO PESCOÇO:
-Ué, mor, cadê a garrafa que bebemos ontem para eu jogar na reciclagem?

Esta foto NÃO é uma montagem!
  • Prá terminar, tem o lance de se encharcar de perfume e tentar se matar. Bah!! Se matar por amor é tãããão over e se encharcar de perfume é absurdamente cafona! A música também podia ficar sem essa.

Mas, como sou humana e tenho hormônios circulando em meu sangue, compreendo que Kleiton e Kledir conhecem bem o que é tesão e descrevem perfeitamente um encontro amoroso ansiosamente esperado.
Vamos às partes que eu mais gosto:
  • AMO o lance da Geografia!! Ter a Geografia amorosamente estudada deve ser tudo de bom.
-É querida, pelo que eu vejo a situação em Moçambique não é das melhores. 
O cofrinho está na Europa e a sua Austrália é linda demais!
  • Acho o máximo a coisa de "não ficar na sua vida como uma paixão mal resolvida"! Também detesto paixões mal resolvidas. No regrets!

  • No final da música está tudo o que uma mulher gostaria de ouvir na vida, e os caras conseguiram resumir em poucas frases:
Tens um não sei que de paraíso
E o corpo mais preciso
Que o mais lindo dos mortais.
Tens uma beleza infinita
E a boca mais bonita
Que a minha já tocou.
  • E, por fim, acho o máximo que o principal item de adoração dele é... a voz. Ele não fala: "Amo tua bunda e teu peito"; ou "Amo tua inteligência e teu bom humor.". Não!!!! Tudo isso é secundário. Uma voz linda é mesmo essencial para despertar paixões. E uma bela cor de pele. Ah, a pele... já falei sobre ela aqui, não? Sim, já falei.
E tenho dito, hehe.

Não conhece a música? Ah, precisa então ouvir!!!
Todos os vídeos disponíveis são péssimos e Claudia Leite cantando não dá. Mas como a letra já extrapola o suportável da cafonice, podem deitar e rolar nos vídeos feios do Youtube porque, depois dessa, tudo o que vier vem bem, hahaha:

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Ctrl C, Ctrl V = controle ocê, que eu me controlo ao vê!!

A frase "É proibido proibir" é uma contrasenso em si.
Caetano Veloso fez a música lutando contra os exageros da ditadura, mas hoje em dia ela é absurda e anarquista em proporções patéticas.
Ao proibir as pessoas de proibirem estamos... proibindo. Óbvio.

Só quem possui Facebook é que sabe a vontade que temos de sermos igualmente contraditórios, lançando a seguinte campanha:
"Copie e cole isso no seu mural se você não aguenta mais esta mania de copiar e colar."
Mas como não podemos vencer nosso inimigo do "copie e cole" com a sua própria lógica, vamos então tentar mostar o quanto a coisa é chata.
Um exemplo de 3 "copie e coles" que rolaram por lá só nesta última semana:

PARA QUEM VISITAR A MINHA CASA e reclamar do meu gato, eu explico:
1º) Ele mora aqui, vc não!
2º) Se não quiser pelos na tua roupa, não venha me visitar!
3º) Para vc, é um animal... Para mim é meu filho querido, cabeludo, que caminha em quatro patas, comunica-se claramente e sente como as pessoas sentem!

EU AMO... OS MEUS E TODOS OS OUTROS!!!!! Abençoado seja aquele que respeita os seres vivos
Copie e cole isso no seu mural se você tem um animal de estimação que você ama mais do que tudo.

Em outras palavras: prefiro meu sofá imundo do que ter você sentado em cima dele.
A minha vontade é de comentar abaixo: "Obrigada por me avisar, nunca te visitarei. Respeito seres vivos, mas também respeito muito o meu vestidinho preto e minha meia-calça. Isso, sem falar da minha rinite."
Mas como sou educada, retrucarei a provocação com o seguinte copie e cole:

PARA QUEM VISITAR A MINHA CASA e reclamar do meu marido, eu explico:
1º) Ele mora aqui, vc não!
2º) Se não quiser um homem passando a mão na sua bunda, não venha me visitar!
3º) Para vc, é um animal... Para mim é meu marido querido, peludo, que me faz caminhar de quatro, comunica-se claramente e senta como as pessoas sentam!

EU AMO... O MEU E TODOS OS OUTROS!!!!! Abençoado seja aquele que respeita os seres vivos.
Copie e cole isso no seu mural se você tem um marido tarado que você ama mais do que tudo.

-Puxa querida, que bom que você trouxe sua amiga para o nosso almoço no jardim.

Depois dessa, nunca mais ninguém irá te visitar. Ou pior: talvez muitas amigas agora virão com mais frequência, hahahah.

Veja agora este outro exemplo de um copie e cole:
"Câncer estúpido ... brigamos muito por pequenas coisas, desejamos ter um carro novo ... novo telefone ... casa nova ..... perder peso ... uma pessoa que tem câncer só quer uma coisa ... lutar contra o câncer ... Eu sei que 98% de vocês não vão colocar isso em seu mural... mas 2% dos meus amigos irão. Coloque em seu mural em homenagem a quem está lutando contra isso agora."

PS: Para quê tantos 3 pontinhos?? Afinal, que fim levaram as boas e velhas vírgulas e os pontos finais?
Pela minha experiência no assunto, um paciente com câncer só quer uma coisa: ter os exames e a internação liberados pelo plano de saúde. Mas isso é uma outra história que deve ser tratada em um outro lugar.

Bom, é claro que um texto destes faz a gente se sentir cruel, egosita e culpado por não fazermos parte dos 2% dos amigos que obedecem ao apelo.
-Ai, meu Deus, será que meu amigo vai deixar de gostar de mim se eu me recusar a colar isso no meu mural?
Mas, por outro lado, minha religião não permite que eu seja babaca o suficiente para acatar uma chantagem emocional do "copie e cole".

-Copie e cole isso no seu mural. PLEEEEEASE!
(e olha quem pede: justamento o gato que solta pelos no sofá da dona e desfia a meia-calça das visitas)
Hahahahaha!!!!

Bom, o que fazer diante deste impasse?

A solução é inventar um outro "copie e cole", também com a mesma pontuação maluca:

"Estatística estúpida ... brigamos muito por pequenas coisas, desejamos ter um carro novo ... novo telefone ... casa nova ..... perder peso ... mas o amigo de uma pessoa "copie e cole"  só quer uma coisa ... não ser odiado por não fazer parte dos 2%... Eu sei que 98%  de vocês não vão colocar isso em seu mural... mas 2% dos meus amigos irão. Coloque em seu mural em homenagem aos 98% que não se preocupam em agradar."

Boa, né? Com isso apoiamos e valorizamos as maiorias (só para variar um pouco) que, neste caso específico, são os amigos que NÃO são "maria vai com as outras".
E por falar nisso: apesar do meu bom senso, torço e me solidarizo com os pacientes com câncer, ok?

 
E prá terminar tem outro, ainda desta semana:

"Dizem que amigos verdadeiros podem passar longos períodos sem se falar e jamais questionar essa amizade. Quando eles se encontram, independente do tempo e da distância, parecem que se viram ontem, e nunca guardam mágoas ou rancor. Entendem que a vida é corrida, mas que você os amará PARA SEMPRE. Se você tiver pelo menos um amigo assim copie isto e cole no seu mural, eles saberão quem são....VIVO CORRENDO...mas, adoro meus amigos e não sei viver sem eles!"

Ué? Se você não sabe viver sem os amigos, como consegue se afastar deles por longos períodos?

Este texto é uma bela desculpa por você ter desaparecido e nunca mais ter dado a mínima para os seus amigos. "Eles saberão quem são"???? Claro que não! Se você fica um tempão sem falar com eles como saberiam?
Tadinhos...
Já que está sendo sincero, poderia terminar o texto com a mesma sinceridade e dizer:

"(...)VIVO CORRENDO... adoro meus amigos, mas sei muito bem viver sem eles. E também fico feliz que eles saibam viver sem mim, porque se dependeseem da minha amizade estariam todos mortos.


Fica tranquilo, seus amigos compreenderão perfeitamente!!



E, antes que eu me esqueça: Por favor, não copie e cole isso no seu mural!!
(Mentira! Eu tô doida para vocês copiarem e colarem, mas não posso dar o braço a torcer, hahaha)

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Meteoros e torpedos de... paixão?



Não devemos permitir que as novas tecnologias sejam nossas parceiras nas neuroses e inseguranças.
Deverá ser esta a nossa luta diária na modernidade.





Diz a lenda que Santos Dumont se matou quando soube que a sua invenção estava sendo usada na guerra.

Santos Nokia (ou seja lá qual for o nome do cara) deve estar também arrependido de ter inventado o telefone celular. Sua vida deve ser um inferno, com milhares de reclamações de pessoas que nunca mais tiveram paz na vida.
Se fosse sensato, ele já teria se matado.
Bom, talvez a sua própria invenção dê conta do recado, matando-o silenciosamente com um tumor cerebral. Sim, eu acredito nesta teoria conspiratória de que o celular será o novo "cigarro", matando milhares de pessoas nas próximas décadas.
Hahaha, devo ser a única louca a acreditar nas declarações de cientistas que lutam sorrateiramente contra os gigantes da comunicação mundial.

Bom, além de termos nossos passos seguidos e nossa vida controlada, prá piorar existem as malditas mensagens de texto que aqui no Brasil é apelidada de... torpedo.

Hello??? Torpedo!
Torpedo não é coisa boa.
Não infernize a vida alheia com torpedos.
Se o cara bateu a porta e foi embora, deixe-o ir embora. Sente e chore. Corte os pulsos se quiser, mas nada de mandar torpedos a noite toda!
Se a mocinha foi viajar para um congresso com as amigas, deixe-a livre. Ligar uma vez por dia para dar um oi, até vai, mas torpedos o dia todo não dá.
Parece piada, mas conheço muita gente que faz isso.

Já existe uma pesquisa mostrando que o Google irá mudar definitivamante a anatomia funcional do cérebro, reduzindo áreas importantes de memória e atenção.
E tenho certeza que a expressão "googled" já entrou para os principais dicionários do mundo como um neologismo que veio para ficar. É raro assitir a um filme atual onde uma pesquisa ao Google não faça parte do enredo.

Acredito que o mesmo acontecerá com o uso do telefone celular.

Tenho certeza absoluta que o celular está prejudicando a capacidade de julgamento o potencial de tomada de decisão do cérebro humano.
E, para evitar virarmos seres amorfos, sem iniciativa e dependentes, a única saída é o uso moderado da máquina.
Tem uma dúvida no serviço? Tente resolver com bom senso antes de ligar para o chefe que está de férias.
Está ansiosa porque o filho adolescente saiu prá balada? Veja um bom filme e tome um chá. Namore seu marido, mas não infernize a noite do jovem com torpedos.
Pegou o ônibus errado? Está perdido na cidade? Pergunte, se informe nas redondezas. Nada de ficar ligando para a mãe perguntando como faz para sair da encrenca.
Muita gente se questiona: "Como pudemos viver tantos anos sem celular??"
Viu só? O cérebro já está se acostumando com a facilidade de saber onde alcançar as pessoas e como resolver problemas com rapidez, sem precisar pensar por si próprio.

Sem falar que o celular também prejudica a confiança, o respeito e a serenidade nos relacionamentos.

Uma prova disso: MUITOS pacientes meus só conseguem falar com o celular na mão. Uns inclusive ficam mexendo, olhando para a tela e verificando mensagens, como se o aparelho também precisasse participar da conversa. É tão triste que nem tenho coragem de proibir. Encaro o retângulo como um amiguinho participante do processo e o recebo de braços abertos.
Proibir o celular em terapia seria como proibir o brinquedo inseparável no maternal. Não dá. É sacanagem.

Verificar o celular alheio já é praxe entre casais e um dos principais motivos de brigas na atualidade.
E agora os torpedos, emails e recadinhos nas redes de relacionamento viraram cordões umbilicais, unindo as pessoas por livre e espontânea pressão.
 
Não sou uma grande fã de Rubem Alves, mas ele tem um livro infantil que eu adoro chamado: "A menina e o pássaro encantado".
A menina amava um pássaro colorido e de canto belíssimo que vinha visitá-la todos os dias.
Mas um dia ela cismou que ele poderia não vir mais. O medo de perdê-lo fez com que ela construísse uma linda gaiola dourada onde, no dia seguinte predeu-o.
Preso e triste, com o tempo ele foi perdendo a cor e parando de cantar a ponto de quase morrer. Ela então percebeu que mantê-lo junto dela por obrigação faria com que ele se transformasse em alguém triste e sem graça.
Libertou-o, mesmo correndo o enorme risco de perdê-lo.
E ele se recuperou continuou a visitá-la.
Happy End 




E a moral da história é:
"Não me pegue não, não, não
Me deixe à vontade
Não me pegue não, não, não
Me deixe à vontade
Deixe eu curtir o Ilê
O charme da liberdade
Como é que é?
Deixe eu curtir o Ilê
O charme da liberdade."


Hahahaha, como tenho falado de meninas e pássaros neste blog! Um dia é sabiá, depois um pássaro encantado, e agora a Daniela Mercury com a sua periquita.
Amanhã prometo mudar de bicho, ok?

Bom, na minha interpretação tosca, a gaiola dourada da atualidade é o celular. Mandamos torpedos com a intenção de não perder nossos pássaros de vista, mas acabamos por abatê-los.

E junto com ele, ironicamente, a nossa própria paz.


Resumindo: celulares são perigosos em vários sentidos.
E o Conselho Federal de Psicologia adverte: Use o seu Balckberry com moderação.

Isso porque nem toquei no grave problema de etiqueta e finesse. Mas isso eu deixo para o meu amigo abaixo:

sábado, 13 de agosto de 2011

Sabiá de biquini e... calção de banho??

Ok, o assunto é batido, mas não posso deixar de falar sobre isso aqui: Gente que passa a vida errando letras de músicas. Cantando em plenos pulmões, crente que tá arrasando.
No Orkut existe até uma comunidade sobre isso. Chama-se "Trocando de Biquini", referência à música que fez sucesso numa geração de moleques que não sabiam nada sobre BB King. Existe a variante "Tocando de biquini" que faz mais sentido:

"Tocando de biquini sem parar.
Sinto por dentro uma força vibrando, uma luz.
A energia que emana de todo prazer."
(Claudio Zoli)

Letra totalmente compreensível...

Meu pai fazia aula de violão e, certo dia, sentei para ouví-lo.
Ele então tocou, super concentrado, a música que estava aprendendo:
"Um velho de calção de banho, um dia prá vadiar, um mar que não tem tamanho
e um arco-iris no ar." (Tarde em Itapuã)

Tive uma crise de riso.
-Pai, não é o homem que é velho!! É o calção!! Não há nada poético em um velho usando sunga, vadiando em Itapuã.
Ele ficou bravo. Disse que um velho de sunga tem, sim, muita poesia.
Hahaha, estava defendendo a classe.
Agora vamos tirar a prova. O que é mais poético:

LULA, em:
Um velho de calção de banho





GABEIRA, usando:
Um velho calção de banho?






            ou












E... ponto para a sunga de crochê!!!!

Bom, e eu ontem, lavando louça, tive outra crise de riso lembrando do meu erro.
O CD é "O Grande Encontro 1" onde Elba canta com Geraldo Azevedo. Nunca tinha ouvido a música, então essa versão era a única que eu conhecia.
E, para mim, a letra era assim:

"Prá todo mundo eu dou psiu. Psiu-psiu-psiu.
Perguntando por meu bem. Psiu-psiu-psiu.
Tendo o coração vazio, vivo assim a dar no cio.
Sabiá vem cá também."


Incrível como eu passei exatos 16 anos da minha vida cantando isso sem nem desconfiar que poderia ser diferente. Estranho imaginar que meu querido Geraldo Azevedo se prezaria a cantar algo tão vulgar. Pior, MUUUITO pior que qualquer eguinha Pocotó.
Na minha cabeça oca a música tratava de uma mocinha subindo pelas paredes que estava a ponto de seduzir um sabiá. Minha idéia era algo bem nojento:

-Ei, pequenininho, fiquei sabendo que os sabiás sabem assobiar. Quer assobiar lá em casa?
-Só assobio chupando cana.
Não quero nada com mulheres no cio, enlouquecidas e pervertidas.

E a menina vive a chamar: "Vem cá sabiá, vem cá".

Estuprar uma arara é fichinha perto do absurdo de desejar um minúsculo sabiá. (vide post: Bizarrices aqui no Blog link aqui).
Como, meu Deus, como pude achar que a história era essa?
Mas no mês passado comprei na beira da estrada um CD do Luiz Gonzaga cuja dicção perfeita me mostrou a verdadeira letra da música: sem graça e repetitiva:
"Tendo o coração vazio, vivo assim a dar psiu..."
Dãããr.

Preferia viver na ilusão do que entender a realidade.

Para o meu pai, um velho de calção de banho é um charme. E daí? Deixa ele cantar errado, poxa vida!!!
Paris Histon se tocando de biquini é muito mais bonito que o velho e gordo o BB King (e BB King de sunga, então, deve ser uma coisa!!!)
Amo BB King, mas tocar o mesmo disco, sem parar... a mudrugada inteira?
Ah, me poupe! Que festa mais sem graça.
E a que horas as garotas vão colocar seus biquinis e começar a se tocarem?? Hahahaha....

E até que uma mocinha no cio, seduzindo um sabiá não deixa de ser interessante.

Mas, saiba, garotinha, que um sabiá costuma fazer um buraquinho e voar, voar, voar, voar.
E a menina que gosta tanto do bichinho: chora, chora, chora, chora...
Sabiás não são uma boa idéia.

Flora e Donatela sabem disso...



Patrícia Pillar, como cantora, é mesmo uma boa atriz.
E... ponto para Claudia Raia!!

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Lé com Cré, um sapato em cada pé!


A expressão "tampa de panela", "metade da laranja", é over. Coisa do passado.
O que precisamos ver agora é qual sapato é suportável para a nossa situação atual.
Vejam bem, todos tem os prós e contras.
Vamos analisar juntos:


Homem Mocassim

Não há como negar que ele te trata bem e não temos nada a reclamar do cara. Bonzinho de tudo e sempre sacode a famigerada franjinha na hora que você pede um favor, acompanhando fielmente você pela longa e penosa estrada da vida. É tradicional e respeitoso com seus calos emocionais. Tudo de bom, mas...
...é totalmente sem sex appeal e nunca te eleva a um patamar mais sofisticado e atraente da vida. Careta. Não acompanha suas fantasias sexuais não acha graça na strip tease que você passou horas ensaiando. Você pode ir longe com ele, mas saiba que sua vida será sem glamour. E com pouco tempo de uso você passa a achar ele desgastado, cansadão e sem charme. E, prá piorar, fica mole com o uso... droga.



Homem Plataforma
Acha você o máximo. Te faz sentir superior, a mulher mais poderosa do mundo e tem orgulho de desfilar com você diante dos amigos. Quer te ver sempre linda, gosta de te dar presentes e tem um grande prazer em te ver gastando com salão de beleza. Híper necessários em momentos de baixa auto-estima e crises existenciais, mas...
quando você não está se sentindo bem, ele pede que você, por favor, seja sempre forte e deixe todos os problemas escondidos embaixo do tapete. Dá uma certa vertigem conviver muito tempo com homens assim que não te aceitam deprimida, chateada ou simplesmente gorda. São bons para levantar a moral, mas todos os dias, de plataforma, não dá!
Na verdade o Homem Plataforma sofre de um complexo de inferioridade, tadinho. Hahaha,  na escola sofria bullying, sendo apelidado de "pata de elefante". Exige uma mulher linda e poderosa para se vingar do mundo.


Homem Crocs
Confortável até dizer chega e absurdamente impermeável. Você briga e ele... nada. Você reclama, e ele nem aí. Você quebra os copos na parede e ele só desvia. Nada é problema para um Homem Crocs. Enfrenta tudo e parece que sai sempre ileso das situações mais absurdas. Não estraga, não arrebenta... está sempre bem. Ótimo para mulheres neuróticas e escandalosas.
Mas... por trás de tanto conforto e resistência, habita um ser enganador. Você acha que convenceu o cara, mas você vira as costas e ele faz tudo do jeitinho que planejou. Você acha que emporcalhou ele com suas críticas afiadas, mas ele toma uma duchinha e tá pronto prá outra, como se tudo aquilo não significasse nada para ele. Finge que se dobra, mas volta a ser igualzinho como sempre foi.
Te trata bem porque, na verdade, não tá nem aí para você.


Homem Laboutin
Sério, confortável... perfeito.
Todas as amigas te invejam quando te vêem com um desses homens maduros e sensatos a tiracolo. Te elevam no patamar certo e te completa em todos os sentidos, te deixando a mulher mais elegante e desejada do planeta.
Mas... por trás de todo o glamour, ele está sempre no vermelho. Finge que esqueceu a carteira no fim do jantar, sempre tem problemas ao passar o cartão de crédito, desconversa quando a gerente do banco liga insistentemente e nunca tem um emprego fixo.
Você paga tudo achando que o cara merece cada centavo investido nele, mas depois de um certo tempo o verniz do Homem Laboutin fica desgastado e só conseguimos prestar atenção no seu Lado B: vermelho e bastante irritante.


Homem Rasteirinha
Este é confortável e macio. Te coloca em contato com coisas naturais como uma poeira de uma calçada, formigas num gramado, bronzeia seu pé e seu espírito com Sol e alegria. Não liga para os seus defeitos que ficam todos expostos (unha por fazer, joanete, calcanhar rachado) e te ama do jeitinho que você é.
Mas...o Homem Rasteirinho é barato e cafona. Te deixa, as vezes, em situações constragedoras e e faz passar vergonha (hahaha, como quando um dedinho fica para fora da sandáia). Liso que só ele, não tem vergonha nenhuma de ser pobre.  É o tipo de cara que te leva para um churrasco de fim da ano da empresa e acredita que te proporcionou um programão. Sem um pingo de compostura, não consegue entender nossas necessidades de subir na vida ser chique.


Homem Salto Agulha
Uhhhhh... esse é um perigo!! Cuidado.
Sexy, ultra atraente e absurdamente provocante.
Te joga no chão em questão de segundos, mas você sempre quer subir nele de novo achando que, dessa vez, vai dar conta. Mas você cai novamente.
Te espeta e você... gosta.
Um pouco vulgar, é verdade, mas erótico e lindo de morrer.
Secretamente habita o sonho de toda mulher, mas poucas conseguem manobrar o bicho. Só para as calejadas e experientes, porque um Homem Salto Agulha não aguenta as estradas esburacadas da vida. Não tenha filhos com um homem desses!! Prá falar a verdade nem case.
Indicado só mesmo para passarelas, e olhe lá.    


Homem Thimberland 
Enfrenta de tudo. O famoso pau prá toda obra. Não deixa nada de ruim acontecer com você. Não molha seu pé, não te deixa passar frio, não faz calos e nem bolhas.
Absolutamente perfeito.
Mas é muito rústico, bruto e nada delicado. Em qualquer circunstância já chuta o pau da barraca e acaba logo com o seu showzinho. Ou seja: um brutamontes. Cheio de qualidades e com mil e uma utilidades, mas nada apropriado para uma mulher delicada que deseja ser mimada. Não se apega a detalhes como data de aniversário de namoro ou uma comemoração romãntica pela sua defesa de tese.
Flores? Esquece!
Mas se você conseguir ser um pouco criativa, pode ser sexy e aventureira convivendo com um Homem Timberland. É só se imaginar sendo Lara Croft.


Homem Bico Fino
A não ser que a sua intenção seja matar uma barata no canto
da parede, o Homem Bico Fino não serve para nada.
Feio, cafona, e péssimo para a sua saúde física e mental. Te deixa com joanetes eternas e marcas perenes na sua alma. Se você é complexada porque calça 38, o cara faz com que você pareça que calça 41. Acaba com sua auto-estima e te faz parecer uma bruxa, hahaha.
Todo mundo que te vê com ele pensa que você é louca, tem um péssimo gosto e não sabe escolher.
Mas é incrível como tem gente que gosta do tipo e sempre tem mulher querendo um para si.
Vai entender...


Homem Sapatilha
Poderia ser considerado o homem perfeito: não te derruba, não suja seus pés, esconde todos os defeitos e se sai bem tanto numa festa como num piquenique a céu aberto.
Com ele você pode aposentar todos os outros homens e nunca mais precisar variar de companhia. Bom para a noite, bom para o dia, alegre, sóbrio, confortável e, usando um pouco a imaginação, pode ser até um pouco sexy. Não te faz passar vergonha e te deixa bem em todas as situações.
Mostra ao mundo seu verdadeiro tamanho, sem precisar de artifícios para te deixar bela e satisfeita.
Puxa... que perfeição, hein?
Mas como "quando a esmola é muita o santo desconfia", o Homem Sapatilha deixa a gente insegura por ser perfeito demais. Passamos a acreditar que a vida sem ele não vale ser vivida e que é impossível conviver com outros tipos.
Muito fofo, muito prático, sem nenhum tipo de ameça aparente. 
Quem consegue lidar com um cara tão perfeitinho? 
Aff...deve ter chulé.


Mas, ao contrário do que diz Shakira, eu não quero pies descalzos!!! 
Sou mais do time da Sandy que acha que melhor mesmo é um bom sapato para pés cansados. Mesmo com um ou outro probleminha e alguns tropeços no meio do caminho.
Antes mal calçada do que descalça.

Pés Cansados
(...)
Sem medo de te pertencer.
Volto pra você.
Depois de tanto caminhar
Depois de quase desistir
Os mesmos pés cansados voltam pra você.
Pra você.
Meus pés cansados de lutar
Meus pés cansados de fugir
Os mesmos pés cansados voltam pra você.

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Cada um sabe aonde aperta...

Ontem, ouvindo vinil na garagem, meu pai me ensinou uma coisa engraçada.
Existe uma música que se chama "André de sapato novo" que tem umas paradinhas (apelidadas de breque) que é justamente para o dito André arrumar o sapato novo que lhe incomoda.
Obviamente todos já ouviram a música, mas a história do sapato novo torna os breques engraçadíssimos:

Hahaha, adorei isso.

Odeio quando vamos numa sapataria, experimentamos um calçado desconfortável e o vendedor sempre vem com o mesmo papo: "Mas laceia, viu?"
E até lacear, o que eu faço? Nossa vida não é regida por um chorinho que nos espera para reacomodarmos nossos calos. André tem este privilégio, nós não.
E não dá para esperar lacear sapatos para sermos felizes.

E todo o resto também é assim. Sabemos que as coisas mudam, mas teremos tempo e paciência para esperar?
Uma vez ouvi um amigo meu dizendo algo que eu levo sempre comigo: "Não espere por mudanças. Elas podem até acontecer, mas não podemos contar com elas ao investirmos num relacionamento."

Em outras palavras: um cara paquerador tem grandes chances de ser assim, mesmo depois de comprometido. Uma moça ciumenta pode continuar neurótica depois da troca de alianças e poderá, sim, transformar a sua vida num inferno.

A esperança de mudanças traz as ilusões, e as ilusões podem te fazer investir numa roubada.
Essa idéia de que o sapato vai lacear, de que o namorado vai parar de usar drogas depois de casado... bobagem.
Pode? Pode. Mas contar com isso é que não pode.

E incrível como, mesmo sabendo disso, temos e dom da ilusão. O rapaz acha que a mocinha que não o atrai sexualmete só é assim porque ele ainda não se acostumou com ela. Mas depois do casório... percebe que a coisa não mudará!! E aí? O que fazer?

Esperar o sapato lacear? E se ele não for do seu tamanho e nunca lacear?? E se a fôrma for diferente e seu pé precisar de um outro estilo de sapato?

Aí, neste caso, podemos dar uma de Elis Regina e passar a vida dançando com a ponta de um torturante Band-Aid no calcanhar. Mas aí precisaremos de um belo whisky com guaraná para dar conta do incômodo, hehe.

E a vontade é de ser o André e gritar para o maestro:

"Oh, come on! Give me a breque"


Mas na vida real o breque não existe...
Podemos passar a vida amaldiçoando nossas escolhas erradas e a promessa de que as mudanças ocorrerão com o tempo.
Chato, né?

E tem gente, ainda, que prefere não investir em outro sapato achando que só mudará as bolhas de lugar. Um aperta na joanete, é verdade, mas o outro pode ser cruel com o calcanhar.
Não gostam de trocar o certo pelo duvidoso e ficam incomodados ad eternum, morrendo de medo de encontrar outro problema pior no próximo parceiro.

Mas para algumas pessoas o milagre acontece! O sapato novo fica usado, laceado e tão familiar, tão confortável que nem parece que algum dia foi aquele perrengue todo para conviver com ele.


"É, talvez eu seja simplesmente como um sapato velho,
mas ainda sirvo se você quiser.
Basta você me calçar que eu aqueço o frio dos seus pés."
(Roupa Nova)


É, essa coisa de insistir num sapato que machuca é mesmo um risco. Para estômagos fortes ou para pessoas fracas, depende do ponto de vista.

Neste aspecto, as chinesas têm muito o que nos ensinar:


 -No começo ele me machucava um pouco, não vou negar, mas depois fui me acostumando e hoje parece que fomos feitos um para o outro. Estranho, as vezes acho que nenhum outro sapato serviria para mim.



Ah, parece tranquilo, pode mandar um alcoólatra, violento e mentiroso para mim... se as chinesas deram conta, eu também darei.

sábado, 6 de agosto de 2011

Tigre comendo maçã

Psiquê se apaixonou por Eros no escuro.
E no escuro ficou.
Ele era, literalmente, um anjo. Um homem perfeito e ela ficou bastante satisfeita com o achado.
A promessa dele era:
-Vou te fazer a mulher mais feliz do mundo! Mas você terá que me prometer que nunca irá me ver na luz do dia e nem tentar me enxergar no escuro. Promete?
-Ok.
-Jura???
-No problem. - disse a realizada Psiquê.

Mas aí ela caiu na bobagem de contar para as irmãs que encheram a cabeça da moça de caraminholas.
-Ele deve ser horrível!!!
-Se fosse bonito não falaria isso!
-Eu, se fosse você, tentaria vê-lo para garantir que não dorme com um monstro...

E a Psiquê acendeu uma lamparina naquela noite. O óleo pingou em Eros, ele se queimou, e a ferida nunca mais cicatrizou (mostrando que as traições são perdoadas, mas não esquecidas).
Ela comeu o pão que o diabo amassou para reconquistá-lo. Ainda mais que ele era filho de Afrodite... mas isso é uma outra história.
E o pior de tudo: ao acender e vela, Psiquê descobriu que o marido era o homem mais lindo do planeta e que ele não queria que ela o visse justamente para garantir que a esposa estivesse com ele pelo que ele era, não pela maravilha do seu rosto e corpo.

E o mesmo aconteceu com Bela. Era feliz da vida vivendo com a Fera até que... suas irmãs começaram a falar no ouvido dela e fizeram ela perceber que o cara realmente não era muito especial. No fim da história as duas irmãs intrigueiras viraram pedra para enfeitarem o portal do castelo da mocinha.

Barba Azul casou e era um ótimo marido. Mas tinha uma condição: a esposa não podia entrar num cômodo no segundo andar da casa. Mas... novamente as irmãs fizeram a cabeça da esposa feliz e ela, vencida pela curiosidade, abriu a porta. O terrível segredo do marido foi descoberto e ela teve que ser morta. Azar...

-5:15 da manhã, de óculos ray ban, eu vi
na minha frente aparecer a sua irmã: chapada,
descabelada! De braços dados com um tipo
mascarado. O cara tinha cara de televisão.
-De televisão??? Não acredito!
-Seu novo namorado era um roqueiro super
estrelo, sensação do verão.
-Ai que ódio!!!!!
(Rita Lee)
Isso para não falar nas irmãs da Cinderela: folgadas, difamadoras, invejosas e más.

E na vida real existem pessoas assim. Quando comecei a namorar meu marido fiquei deslumbrada falando mundos e fundos do meu novo namoradinho. Mas muitas amigas já vieram com o mesmo discurso: "No começo é assim mesmo, mas depois todos os homens são iguais."; "Pode esperar que depois virão os problemas, certeza!!"; "Olha direito porque ninguém é assim tão perfeito"... blá, blá, blá.
Incrível como tem mulher que odeia homem!
E na primeira briga já começam: "Não vai ligar prá ele, hein?"; "É bom deixar ele sofrer um pouco."

As "irmãs" dos contos e mitos são essas mulheres que vivem por aí (ou às vezes até dentro de nós) que ficam zicando a relação amorosa e tentando te convencer que a sua escolha está errada. Nem sempre fazem isso por maldade, tadinhas, mas acabam prejudicando nossas certezas.
E o respeito pelo marido, pelas promessas, pelos segredos do casal vão por água abaixo. Trocamos o nosso afeto pela sabedoria das irmãs e, obviamente, magoamos o ser amado.

E qual é o homem que não impõe condições para ser um bom companheiro? Eros não queria ser visto. Barba Azul tinha um quartinho secreto.
Mas todos nós temos os nossos segredos e manias:
-Serei um namorado perfeito, mas você tem que me deixar jogar meu futebol na 4ª à noite.
-Prometo ser o melhor, mas você nunca poderá perguntar se eu gosto mais de você do que da minha ex. 
-Sou um bom namorado, mas por que você fica querendo saber do meu passado? Não pergunte nada do que passou, tá bom?
-Nunca, nunca mexa no meu celular e nem no meu notebook. Pode ser?

Mas as "irmãs" sempre te convencem a fazer bobagem. E você queima seu Eros para sempre, invadindo sua privacidade, falando mal do cara e rompendo promessas.
Depois para reconquistá-lo é um custo...

Não é engraçado o poder que estas mulheres tem? Tá tudo bem no seu namoro, tudo acontecendo às mil maravilhas entre 4 paredes. Mas aí você começa a dar ouvidos às vozes alheias e, subitamente, parece que sua escolha está errada, que você é uma idiota por aceitar as manias do cara e que as condições dele são despropositadas.
E o duro é quando isso acontece dentro de nós. "Irmazinhas" chatas sentam no nosso ombro e nos assolam com suas críticas, fazendo a gente parecer a pessoa mais infeliz do mundo.

Por isso, se no meio de um deserto existencial você encontrar a sua irmã parecendo um tigre comendo uma maçã... tome cuidado.
Hahaha, esta música é doida de tudo.
Mas tem uma frase que eu adoro e que, hoje em dia, Pisquê concordaria com ela em gênero, número e grau:


"Apague a luz prá eu te ver melhor" 
(João Penca e seus miquinhos amestrados) 

Se é no escuro que você se dá bem com seu companheiro, fique no escuro. Nem sempre precisamos de luzes fortes para conhecermos os outros.
E não é ser corno manso ou trouxa. É ser sábio.