segunda-feira, 11 de abril de 2011

Se tu vens, por exemplo, às 4 para um chat...



E foi então que apareceu o Facebook:
- Bom dia.- disse o Facebook.
- Bom dia- respondeu polidamente a Claudinha que se voltou mas não viu nada.
- Eu estou aqui- disse a voz- dentro do seu notebook..
- Quem és tu?- perguntou a Claudinha.-Tu és bem bonita, azul.
- Sou uma rede social, disse o Facebook.
- Vem brincar comigo, propôs a Claudia, estou tão triste...
- Eu não posso brincar contigo. - disse o Facebook. - Não me cativaram ainda.
- Ah! Desculpa, disse a Claudinha.
Após uma reflexão, acrescentou:
- O que quer dizer cativar ?
- Tu não és daqui.- disse o Facebook- Que procuras?
- Procuro amigos. Que quer dizer cativar?
- É uma coisa muito esquecida, disse o Facebbok.- Significa criar laços...
- Criar laços?
- Exatamente- disse o Facebook- Tu não és para mim senão uma garota inteiramente igual a milhões de outras garotas que tenho por aqui. Eu não tenho necessidade de ti. E tu não me conheces e, portanto, não tens necessidade de mim. Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. Serás pra mim a única no mundo. E eu serei para ti a única rede social no mundo...
Mas o Facebook voltou a sua idéia:
- Minha vida é monótona. E por isso eu me aborreço um pouco. Mas se tu me cativas, minha vida será como que cheia de sol. Conhecerei a graça das suas frases, que será diferente dos outros. Os outros me fazem querer sair do ar. Mas tuas mensagens me chamará para fora como música. E depois, olha! Vês, lá longe, o campo de trigo? Eu não como pão. O trigo para mim é inútil. Os campos de trigo não me lembram coisa alguma. E isso é triste! Mas tu tens cabelo cor de ouro. E então serás maravilhoso quando me tiverdes cativado. O trigo que é dourado fará lembrar-me de ti. E eu amarei o barulho do vento do trigo...
O Facebook então calou-se e considerou muito tempo a Claudinha:
- Por favor, cativa-me!-disse ele.
- Bem quisera-disse a Claudia- mas eu não tenho tempo. Tenho trabalho para fazer e crianças para cuidar.
- A gente só conhece bem as coisas que cativou.-disse o Facebook- As mães não tem tempo de conhecer coisa alguma. Se tu queres um amigo, entre no Facebook.
-Que é preciso fazer?
-É preciso ser paciente- respondeu o Facebook- Tu te sentarás primeiro só uma hora por dia no seu notebook, assim, na cadeira. Eu te mostrarei minhas opções e tu não farás nada. Mas cada dia te sentarás por mais tempo.
No dia seguinte a Claudinha entrou de novo no Facebook.
-Teria sido melhor se voltasse à mesma hora. - disse o Facebook- Se tu vens, por exemplo, às quatro para um chat, desde as três eu comecarei a ser feliz. Às quatro horas, então, estarei inquieta e agitada: descobrirei o preço da felicidade!


E foi assim que Facebook me cativou, com promessas de que seria meu amigo, dizendo que meu cabelo era da cor de ouro, que minhas frases eram as melhores, que lá dentro eu descobriria a felicidade...bah!!!!!!
Será que o Pequeno Príncipe nunca ouviu falar que as raposas são espertas, traiçoeiras e mentirosas?
Será que ele nunca leu as fábulas de Esopo, onde elas sempre se dão bem, fingindo ser legais e iludindo os outros?

-Oh, Dona Corva, sua voz é mais linda de todas,
cante para mim!
Mas a Dona Corva não abria o bico.
-Então olha aqui o que eu tenho
para a senhora....hahahahahaha...Sua
trouxa, agora o queijo é meu.
-Puxa, essa raposa não tem a menor graça.

Eu juro que estava feliz antes de encontrar o Facebook neste planetinha maluco chamado internet!
Por quê, meu Deus, por quê fui dar ouvidos para ele?

E o pior de tudo, o Facebook se esqueceu de me contar a parte mais aterrorizante de toda a história:

"Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas."
(Antoine de Saint-Exupéry)




O filho da mãe do Facebook só me cativou porque queria a minha ruína.
Queria só roubar o meu queijo.
"Quem mexeu no meu queijo???" hahahaha!!!
Quem escreveu o best-seller da auto-ajuda deve ter conhecido uma raposa,
ou acreditado na ilusão do Facebook.
Mas isso não vai ficar assim não.
Olha só o que eu pretendo fazer com a minha raposinha nos próximos dias:


I`d rather wear fur than go naked.
Eu prefiro ter uma vida solitária na minha cidadezinha besta do que
ficar esperando os sinaizinhos vermelhos da rede social.


E além do mais, as uvas lá do Facebook estão sempre verdes.
Eu não queria mesmo...


8 comentários:

  1. Claudia, nao entre em hipotese alguma na fazendinha do facebook - la as uvas estao maduras de 12 em doze horas. e se voce nao as colher, elas estragam. E voce fica triste. E se voce as colher, ai tem que fazer vionho, depois arar a terra e replantar as uvas, so para recomecar o ciclo em 12 horas. alem de ter que ir ao mercado comprar a suvas alheias...

    ResponderExcluir
  2. Cláudia,

    gostaria de fazer um pedido (se é que é possível, hehehe): vc poderia falar um pouco sobre o tema "medo"? Como ultrapassar um medão, vindo de algum trauma, como por exemplo a perda de um ente querido que desencadeou medo exacerbado de hospital, etc... E se existem alguns elementos para que esse medo seja trabalhado, amenizado na psicologia. Acho um tema muito abrangente nos dias de hoje... Quem não tem medo de algo né? É isso! Desde já agradeço! Bjokas

    ResponderExcluir
  3. Acho que vc está precisando de um psicólogo...kkkk

    ResponderExcluir
  4. Por isto estou escrevendo pra um!!!!!!!!!!!!!! hahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahaha
    Mas pra ficar claro aqui, em nenhum momento me descrevi (até pq se fosse um caso particular, escreveria um email particular! rss)! Só dei exemplos aleatórios com uma sugestão que acho fundamental nos dias de hoje! Onde vemos nos noticiários pessoas em pânico por tantas brutalidades que andam acontecendo... Enfim! Sugestão dada!

    ResponderExcluir
  5. PS: E como adoro os seus textos Cláudia, gostaria de ver sua abordagem sobre este tema! Acho que vc acrescentaria bastante! bjokas

    ResponderExcluir
  6. Eu achei que o anônimo tava falando comigo, hahahaha, porque eu desejo sair por aí matando raposas e lambendo a faca. Bom, talvez eu precise mesmo, antes que o PETA queime minha casa.
    Nossa anônimo, pega leve com a primeira leitora que me encomenda algo na vida. Lana, eu tive faniquito de alegria aqui na cadeira quando li seu pedido. Pedido amorosamente anotado!!!! Bjs

    ResponderExcluir
  7. Oi Cláudia!!!
    Sou a primeira leitora que te faz um pedido? Obaaa!!! Adoooro! =)
    Obrigada pela sua receptividade viu?! Vou esperar ansiosa seus novos textos, e claro, dentre eles o meu pedido! hehehehehe ;)
    Bjokas.

    ResponderExcluir
  8. querida : amei suas ultimas cronicas.As vezes voce anda pensando em abandonar seus leitores .Por favor nao nos abandone.FALE SOBRE RELACAO PAIS e filhos atraves da internet.

    ResponderExcluir

Se você não tiver uma conta Google e quiser comentar: escreva na caixa, assine (para eu saber quem escreveu!) e escolha a opção "Anônimo". Pronto! Seu comentário aparecerá imediatamente no blog.