quinta-feira, 7 de abril de 2011

Aulinha Sobre o Amor

"Você diz não saber o que houve de errado, 
e o meu erro foi crer que estar ao seu lado bastaria."
(Paralamas do Sucesso)

Hahahaha, ADOREI esta imagem! Já ganhou o prêmio da melhor do blog.

Bom, ouvi esta música ontem no carro e me lembrei de um programa que fiz na rádio.
É didático e não tem graça nenhuma, mas dá margem para muitos questionamentos.
Aos críticos de plantão, já adianto: tudo aí tem que ser redimensionado pela cultura, pela educação familiar e por mil outras facetas que definem um ser apaixonado.  
De qualquer forma acho a informação bacana e, por isso, envio o meu texto para vocês.

Existem diversas maneiras do amor romântico se manifestar.
Todas válidas, todas reais.

As vezes, num casal, cada um ama de um jeito e é essa a razão de tanto desentendimento.
As vezes acontece de uma pessoa achar que o companheiro não o ama porque “se me amasse não faria isso”; “agiria diferente”... mas a verdade é que cada um define o que é amor de uma forma diferente do outro e, por isso, não dá para dizer que a sua forma de amar é a correta e a da outra pessoa é errada.
Vou tratar aqui de 5 formas conhecidas de amar que os estudiosos do assunto dizem existir:


Eros: Para algumas pessoas é absolutamente possível se apaixonar perdidamente por alguém sem que haja nenhuma razão para tal. Primeiro elas se apaixonam para depois se conhecerem melhor. É o famoso amor a primeira vista!
-Por que você ama seu marido?
-Porque eu vi ele na rua e tive a certeza de que ele era o homem da minha vida. 

Ponto final!! Para algumas pessoas isso já é explicação suficiente. A pessoa não precisa “merecer” o seu amor e a atração física, a química, é fundamental para manter o amor. Este amor é o mais comumente retratado nos filmes e livros.
Lado positivo: são absolutamente românticos e vivem intensamente suas emoções.
Lado negativo: podem se apaixonar por pessoas erradas e sofrem muito ao terem que se separar.

Pragma: Mas existem pessoas que amam de uma maneira mais, digamos, exata.
-Amo ele porque ele é um bom pai... amo ela porque ela cuida muito bem de mim... porque ele soma na minha vida. 
São pessoas práticas, que nunca correriam o risco de se apaixonarem por pessoas não apropriadas para viverem junto delas. As pessoas possuem uma lista dos pré- requisitos que alguém precisa ter para ser amado e só embarcam numa relação se vêem garantia de futuro.
Lado positivo: são poucas as chances desta pessoa errar ao escolher o parceiro.
Lado negativo: sofrem em silêncio porque sempre acham que deveriam usar menos a cabeça e mais o coração. Sempre têm a impressão de que não viveram um “amor de verdade”... como se o amor delas não valesse.

Philia: Existem pessoas que cujo amor ao ser amado supera inclusive o amor próprio. Para estas pessoas, a felicidade é ver a pessoa feliz, não importando o preço que se pague para isso. A pessoa se entrega de corpo e alma na relação e abre mão de vontades próprias em prol do sucesso da relação.
Lado positivo: não esperam nada em troca pelo amor dedicado ao outro e, por isso, não se frustram com decepções amorosas. É comparado ao amor de Cristo, incondicional.
Lado negativo: podem perder referências próprias e aí, quando ficam sozinhos, têm um grande trabalho resignificando a vida e relembrando seus desejos. São muito criticadas pela comunidade.

Storge: O amor nasce de um profundo companheirismo, sentimento de empatia e amizade. Aos poucos ele vai deixando de ser uma simples amizade e passa a ter atração física, ou não. As vezes as pessoas envolvidas nem sabem dizer quando é que a relação deixou de ser uma amizade e passou a ser romântica. Alguns casais foram amigos antes de se apaixonarem.
Lado positivo: A relação já se inicia baseada em confiança e companheirismo  Os amantes sofrem menos com a ansiedade tão comum quando ainda não se conhece direito o parceiro.
Lado negativo: Passam muito tempo decifrando se o amor é real ou estão apenas acomodados com a amizade profunda que unia o casal. Temem que tudo seja uma ilusão e o relacionamento realmente não passe de uma amizade.



Ludus: Existem pessoas que amam o jogo divertido que envolve uma conquista amorosa. Amam a conquista, mas depois que conseguem atrair o ser amado, abandonam a relação para se aventurarem em outra história amorosa.
Muitos homens possuem este perfil, mas também muitas mulheres vivem da mesma forma sua vida romântica. São pessoas que sofrem dentro de uma relação cheia de garantias e compromissos porque a tranquilidade, a calma, a rotina mata o tempero do amor que é justamente a conquista.
Lado positivo: em geral são sedutores, divertidos e gostam de inventar novidades para fugir da rotina do relacionamento. Possuem em geral uma sexualidade ativa e gostam de descobrir diariamente novidades acerca do parceiro.
Lado negativo: sofrem demais com rotina e mesmisse, inevitável a todo relacionamento mais duradouro. Tem grande dificuldade em manter um relacionamento por muito tempo, ou então não conseguem se manter fiéis.


Segundo as pesquisas, existem pessoas que amam, inclusive, duas pessoas ao mesmo tempo. E de formas diferentes!! Amo um porque é um bom pai e outro porque me atrai sexualmente. As pesquisas mostram que isso é possível e na vida é muito comum as pessoas acharem que estão amamando duas pessoas em intensidades iguais, cada um por um motivo, mas ambos são amados e ambos são importantes.

Na verdade, quis falar sobre tudo isso hoje porque percebo no consultório, quando trabalho com adultos, pessoas angustiadas porque se cobram demais no jeito de amarem o(a) parceiro(a). Sempre acreditam que estão em dívida, que deveriam amar de um jeito melhor.

Existem cobranças de todos os lados e os romances da TV e cinema deixam todo mundo frustrado porque não se reconhecem naquele amor arrebatador, que vence obstáculos, que supera distância e tempo. O amor tipo “Eros” domina o imaginário popular e faz com que todos acreditem que, se não estão constante e perdidamente apaixonados, então devem estar errados acerca do seu próprio amor!
Lembrem-se de que existem vários tipos de amor, e o seu certamente é lindo e muito válido e serve bem para você e seu companheiro(a).

Preciso agora tocar essa música que traz uma mensagem muito importante.


O "amor" da música pode ser interpretado como o "ser amado", mas eu gosto de encará-lo como sendo o seu "estilo de amar".
Quer dizer, fique em paz com o seu jeito de amar.
Deixe-o ser exatamente o que ele é, sem cobranças, sem angústia. Deixe-o "dormir em paz.".
Quer coisa melhor?
Seu(sua) companheiro(a) agradece.

7 comentários:

  1. Amo minha esposa de todas essas maneiras. Impressionante ainda sentir tanta paixão, tesão, amor e amizade por tanto tempo...

    ResponderExcluir
  2. aiaiai....amor.....vive 8 anos uma delicia de amor ,acho que posso hoje dizer que foi Storge e tambem posso assumir que morro de saudades e que so Eros mesmo para mudar o rumo das coisas , é claro que a distancia tambem ajuda pois alem da atraçao fisica inevitavel sempre da uma saudade do meu amigo.....sempre achei que essa historia merecia uma boa terapia ,um dia quem sabe.....

    ResponderExcluir
  3. Linda Musica, ela traz uma mensagem no final " Ser o que ele é" acho que essa é a melhor forma do entendimento do amor, pois este é muito relativo e individual. Todos nos somos "livres para amar" e muitas vezes, nem conhecemos a nossa grande capacidade de amar e suas mutabilidades ao longo do caminho

    ResponderExcluir
  4. Se você é amada, você é admirada,é especial!
    Não criticada o tempo todo.

    ResponderExcluir
  5. Lindo! E que música maravilhosa! Mas acho que o cinema, com as grandes paixões, é mesmo culpado por fazer com que casais normais achem que a rotina da vida de um casamento longo se confunde com diminuição ou falta de amor. E tem também aquele blablabla da diferença entre amor e paixão, que todo mundo sabe. Prefiro acreditar que o amor vai amadurecendo e mudando com o tempo, mas continua ali!
    Lu

    ResponderExcluir
  6. faltaram dois tipos de amor: o amor ágape e o amor fileo.

    O AGAPÉ, é o amor de Deus. É incondicional, não está dependente de uma resposta positiva: Eu amo-te, se tu me amares também.

    Não! O amor de Deus diz: Eu amo-te, mesmo que tu me rejeites, que fales mal de mim, que me persigas, que tu me faças mal.

    Este amor diz: Eu amo aquela pessoa de qualquer jeito, tal e qual como ela é. Eu amo aquela pessoa quer ela me tenha feito bem ou não quer ela me venha a fazer bem ou não.

    É um amor que não é baseado nos sentimentos, nem em interesses pessoais. Veja que Jesus o amou a si, mesmo sem você O amar. Nós fazíamos coisas desagradáveis aos seus olhos, porém, ele continuou a amar-nos esperando que um dia, nos reconciliássemos com Ele, e fizéssemos a Sua Vontade.

    O Amor Agapé considera uma pessoa valiosa e preciosa independentemente, da sua maneira de ser, daquilo que ela é ou faz.

    Conta-se de uma história que se passou durante a segunda Guerra Mundial. Aconteceu num Campo de Concentração "Nazi", que um prisioneiro fugiu. Quando as autoridades descobriram, forçaram os companheiros da cela a confessarem como ele tinha fugido. Mas, como ninguém ousava falar, então o oficial mandou fuzilar metade daqueles prisioneiros. A lista foi feita, e entre os condenados estava um homem, que costumava maltratar os cristãos que estavam com ele na mesma cela.

    No dia seguinte, levaram todos os prisioneiros a assistir. Exclamou o oficial: "Assim acontecerá, a todos aqueles que tentarem fugir deste Campo...". Quando um destes cristãos que estava na mesma cela, o interrompeu dizendo: "Eu não fui condenado, mas se me é permitido, eu tomo o lugar daquele homem que sempre me criticou por eu ser crente ...".

    Assim aconteceu há 2.000 anos atrás. Jesus não era condenado, nem tão pouco prisioneiro. Ele era livre, mas nós estávamos condenados. Ele tomou sobre si a nossa condenação e deu-nos a sua liberdade. Ele morreu em nosso lugar, desceu ao inferno no nosso lugar. Mas, ao ressuscitar Ele venceu o nosso opressor (o diabo). Hoje, todo aquele que recebe Jesus passa da condenação para a liberdade, da morte para a vida. Este é o Tipo de Amor de Deus.

    I Coríntios 13:1-7 - O amor é muito paciente e bondoso, nunca é invejoso ou ciumento, nunca é presunçoso nem orgulhoso, nunca é arrogante, nem egoísta, nem tão pouco rude. O amor não exige que se faça o que ele quer. Não é irritadiço, nem melindroso. Não guarda rancor e dificilmente notará o mal que outros lhe fazem.

    Nunca está satisfeito com a injustiça, mas se alegra quando a verdade triunfa.

    Se você amar alguém, será leal para com ele, custe o que custar. Sempre acreditará nele, sempre esperará o melhor dele, e sempre se manterá em sua defesa.

    ResponderExcluir
  7. (Continuando)

    AMOR FILEO(O Amor Humano)

    A pessoa retribui o amor na medida de amor que recebe. Muitas pessoas dizem: Eu amo-te se me deres um bom salário; Eu amo-te se me fizeres ... bons e grandes favores ...

    As pessoas amam-se umas as outras de acordo com os favores que recebem dos outros. Por vezes dizem assim: "se alguém me fizer bem, eu gosto dele, se não não gosto dele"; sou simpático para quem for simpático primeiro para mim ..."

    ALGUNS EXEMPLOS deste tipo de Amor

    Mães - Segundo a opinião de muitos, o amor de mãe é o amor mais puro. No entanto, pode antes ser um amor bastante egoísta!

    As mães protegem e decidem de tal modo a vida dos seus filhos, que mesmo que eles atinjam a maioridade continuam a ser os bebés da mãe quer tenham 5 meses, 5 anos ou 50 anos.

    Uma vez uma senhora pediu-me: " Pastor, ore pelo meu bebé, coitado! ". Logo pensei num bebé de colo! Quando ela trouxe o dito bebé, ele tinha só 27 anos ...

    Famílias - Existe um amor mais profundo, mais compreensivo, que o amor normal, superficial que outras pessoas experimentam.

    Entre casais, verificamos o seguinte: enquanto namoravam o coração deles batia, batia... Depois casam: o coração ainda bate um bocado até que se habituam à ideia e deixa de bater. Passados uns anos, se as meias estiverem fora do sítio ou o arroz queimado, parece que o amor voou, fugiu naquele dia. O marido já não trata a sua esposa com muitos beijinhos; a esposa já não parece muito contente.

    Muitas esposas quando estão zangadas com o marido dão-lhe o tratamento do silêncio. O marido pergunta-lhe qualquer coisa, fala com ela, e ela ... nada ... fica calada (amuada).

    Este tipo de amor chama-se FILEU.

    Beijo e fica com Deus!

    ResponderExcluir

Se você não tiver uma conta Google e quiser comentar: escreva na caixa, assine (para eu saber quem escreveu!) e escolha a opção "Anônimo". Pronto! Seu comentário aparecerá imediatamente no blog.