terça-feira, 26 de abril de 2011

Step by Step



 "Escada" é um termo usado no teatro de comédia para definir um ator secundário que entrega a piada para o ator principal completar a ganhar os aplausos.
Tipo o Dedé Santana. Ele não tinha a função de ser engraçado. Ele era só o "escada" dos outros três.
E também o galã do quarteto!! Sempre acabava com a mocinha no fim do filme.
Bons tempos do Dedé Santana...

No futebol podemos chamar isso de, sei lá, meio de campo? Ponta esquerda?
Bom, mas todo mundo entendeu, né? É aquele que faz parte do time mas não recebe mérito pelo resultado final.

Hoje eu estava lendo uma entrevista com Miguel Falabella que disse: "A dramaturgia do musical é bastante específica, possui cenas muito curtas, com piadas bem marcadas para entrar a música. Já a comédia permite alternâncias. Exige uma disciplina que o público nunca vai perceber, parece fácil, mas não é. Se você não entra no tempo certo sabe que perdeu a piada antes mesmo de fazê-la, assim como o jogador sabe que perdeu o gol antes de bater na trave. Fazer escada para outro ator é dificílimo e genial. Eu e Diogo fazemos isso o tempo todo em “A Gaiola das Loucas”. Tem que dar o tempo perfeito e se o jogo não for redondo, a gente dança."


Dean Martin era engraçado? Não! E nem era para ser.
Ele só fazia "escada" para Jerry Lewis brilhar. 
Dean era só o galã que ficava com as mocinhas no fim dos filmes

Entenderam?
Ok, mas hoje quero falar de outros tipos de "escadas". Aquele que dá a deixa para você se apaixonar perdidamente a ponto de provocar uma reviravolta no seu casamento!
O famoso terceiro, o outro.
O cara nada mais é do que um "escada". E também um galã, hehe.
OBS: Estou falando aqui de um escada homem para facilitar o meu trabalho escrevendo, mas existem escadas de todos os sexos.

Mas, de acordo com Miguel Falabella, o timing dele tem que ser perfeito. Se o cara chegar antes da hora, a crise no casamento não acontece porque você pode ainda estar dando o máximo de si para a relação dar certo. Se ele chegar tarde talvez você não esteja mais interessada.
Ele tem que chegar no momento certo e dar o impulso necessário para te fazer pular fora.

Depois? Depois o mundo vai dizer que você se separou POR CAUSA do cara, tadinho, mas não é verdade. Ele foi o "escada". Deve ficar nos bastidores, não deveria nem receber a atenção do povo porque ele não tem culpa do show pirotécnico que é um divórcio. Nem créditos ele deveria ter no fim do espetáculo.

Conheço pessoas que querem se separar mas não conseguem. Aí falam: "Ia ser tããão mais fácil se eu me apaixonasse por alguém!"
Hahahah, tem gente que não sabe fazer "stand-up comedy".
Sozinha? No palco? Dizer para o marido que ela não quer mais????
Não consegue! Precisa de um "escada"!

E o "escada" precisa ser bom. Precisa oferecer o material necessário para o "jogo ser redondo", como concluiu Miguel Falabella. Não é em qualquer escadinha que você sobe para sair do casamento. Tem que ser uma escada que transmita confiança, que te dê segurança, que fale: "Pode subir que eu te seguro."


Em outras palavras: tem que ser uma... "Ultimate Ladder"!!!!!!!!!!
Hahaha, meu sonho de consumo!

E o pior de tudo é que tem gente que está tão perdida, tão deseperada que trepa (nos dois sentidos) em qualquer escadinha que aparece pela frente. Escada podre, faltando degrau, amarrada com arame... não dá. Cai, quebra a cara, e ainda coloca a culpa na escada!!
Minha filha, você não reparou que seu "escada" era fraco???

Mas mesmo um "Ultimate Ladder", perfeito, apaixonado, que te assumiria até no fim do mundo, muitas vezes jura que vai dar conta de você e, depois do show, vai embora. Some do mapa
E aí a mulher fica brava, óbvio, mas é importante entender que o "escada" já cumpriu o seu papel. Ele não era, necessariamente, para ser o seu príncipe encantado. Ele te deu o passe para você fazer o gol. Fez a pergunta para você concluir a piada. O show acabou e o "escada" pode se retirar.

Raros são os "escadas" que ficam com os parceiros depois do divórcio. No geral a coisa termina alí.
Dean Martin brigou tão feio com Jerry Lewis que morreram sem se falar. Dedé Santana só voltou agora, depois de anos de cara virada.

E as vezes acontece o contrário. O "escada" acha que depois do divórcio vai virar protagonista e você, tristemente, chega à conclusão que preferia ele como "escada" para sempre!
Vixi...

Mas é que os "escadas" precisam entender o lugar que ocupam.
Jerry Seinfeld era dono do show. Era o nome do programa, o cabeça da galera, mas nunca se incomodou em ser "escada". Sim, porque ele era apenas o pano de fundo para o trio trabalhar. Não dá para negar.

Não estou aqui para fazer apologia ao amante (real ou imaginário). Não pretendo dizer que ele é fundamental e muito menos que ele não tem culpa no cartório.
Tem sim.
E você também.

Mas, se os "escadas" são inevitáveis encare-o como um enviado divino com a função única de te dar coragem. Ele tem uma apenas uma obrigação: ser fofo, charmoso, sexy, educado, ou sei lá o que falta na sua vida afetiva e que, definitivamente, você não encontra dentro do seu casamento.
Mas não exija demais dele. Ele só precisa te dar um chacoalhão, um tapa na cara (metaforicamente, claro) dizendo: "Acorda prá vida!! Olha só quanta coisa boa está te fazendo falta!!!!"
Depois pode sumir, e que ele seja muito feliz.

E muitas vezes, depois de muitos shows, muitas reviravoltas no enredo, mesmo um "Ultimate Ladder", as vezes perde a mocinha para o marido de pijama de bolinha. Gordinho, rabugento, cheio de manias, mas tão familiar e irresistível que nem uma "Stairway to Heaven" seria capaz de te convencer a abandonar o lar.
E o "escada" se torna dispensável, obsoleto. E você e seu marido podem agora fazer uma dupla sem escadas, onde vocês dois são protagonistas e ninguém é menor do que ninguém.
Tipo um "O gordo e o magro".

Audrey Hepburn ficaria com quem? O escada? Ou "O Meninão"?

Ou não! Ou o fim pode ser diferente: milagrosamente o "escada" sobe ao palco, acende os holofotes e se revela a atração principal da sua vida. Já vi casos assim acontecerem. Embora raros, existem sim.



Ai, ai... eu? O que eu gosto mesmo é de uma terra firme.
Escadas me dão vertigens.
Mas não vejo a hora de assistir o final desta temporada.

4 comentários:

  1. Genial a sua metáfora!' Mais seguro ainda e uma escada imaginaria para você subir, olhar a paisagem , dizer ok , cansei e voltar a terra firme que e onde todo ser humano sensato vive. Ninguém mora numa escada.

    ResponderExcluir
  2. E quando a escada aparece, cumpre seu papel, voce percebe que o pijama de bolinhas e "tudo de bom", mas ai e tarde demais por que o pijama de bolinhas olha pra voce e nao te ve mais?

    Tudo parte de uma mesma historia!

    ResponderExcluir
  3. Realmente o escada faz um sucesso no seu EU , resgatando aquilo q8 vc eh, fazendo enxergar q vc faz parte da sociedade, que mesmo com uma ruguinha ou um peneuzinho a mais vc ehhh linda principalmente pelo q8 vc EH e faz neste mundo q8 se tornou tão Maravilhoso , pois subimos no topo da escada, e vemos por cima e não só o dia após o outro.
    O único dilema eh que, o dia FATAL chegara e nossa fará escolher entre voltar ao dia a dia do pijama de bolinha OU pegar a escada....
    E ai , caso escolher_mos o escada , será que Ele se tornará o "gorducho de pijama de bolinhas"????
    Eiso Dilema e a pergunta q8 não quer calar...SERÁ????
    AMIGA,por isso q8 Te Amo , aguardo seu telefonema....como sempre vc ARRASA,!!!!! bjos Claudinha
    PS:[reaalmente ainda estou confusa....mas vc foi Brilhante!!!]

    ResponderExcluir

Se você não tiver uma conta Google e quiser comentar: escreva na caixa, assine (para eu saber quem escreveu!) e escolha a opção "Anônimo". Pronto! Seu comentário aparecerá imediatamente no blog.