segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Oba, pode ambicionar a mulher do próximo!

Você acredita em maldade alheia atrapalhando magicamente a sua vida? Eu não, mas algumas pessoas insistem bastante para que eu acredite. Dizem que só assim poderei me proteger contra quem me quer mal.

Detesto essa coisa paranóica de achar que o mundo está conspirando para que sua vida esteja dando errado. Prefiro procurar razões práticas para que a zica esteja acontecendo (e em 100% das vezes elas existem). No máximo acredito no inconsciente pregando peças e botando armadilhas no caminho. Mais do que isso é loucura.
Na verdade eu não entendia muito sobre a maldade, mas outro dia li um texto no jornal que me deu uma noção básica do que é ser uma pessoa ruim. Falava da diferença entre ambição, cobiça e inveja. E a explicação era assim:


 
"Mais dois meses pedalando minha Ceci rosa e eu chego lá."
AMBIÇÃO - Quando alguém te admira e quer ser igual a você. Para isso vai batalhar para ter um namorado igual ao seu, um emprego igual ao seu, para ter um carro igual, fazer sucesso como você, etc. Não vejo nada de errado nisso. Bons exemplos incentivam a gente a correr atrás, estudar, fazer regime, mudar hábitos. Minhas empregadas sempre foram todas ambiciosas e adoro isso nelas. A atual é doida por um microondas igual ao meu. (mas...quem VIVE sem microondas?)







"Snif...de noite, no hotel, eu tento roubar umas 450 gr para mim."
 COBIÇA - Quando alguém quer ter o SEU namorado, o SEU carro, o SEU emprego. Aí a coisa começa a complicar. É um tal de gente querendo passar por cima de você no trabalho, difamando e inventando fofoca para pegar seu noivo, o povo roubando suas coisas na rua e dentro de casa. Uma loucura. Chato mesmo! Nunca sofri com a cobiça alheia, mas conheço muita gente que já.






"Nossa, esse porta alfinete em forma de bonequinho é bem legal"
INVEJA - Quando alguém fica feliz quando você perde o seu namorado, o seu carro, o seu emprego MESMO QUE A PESSOA NÃO SE BENEFICIE EM NADA COM ISSO! Sim, a boa e velha macumba, vudu, olho gordo, e nisso eu não acredito simplesmente porque acho que não funciona e, se não funciona, não me atinge. Fecho meu corpo para a inveja simplesmente negando sua existência.





E a minha filosofia de caminhoneiro de hoje é:
"Minha arma será a indiferença. E minha vingança, a minha felicidade."


Sim, eu disse ontem que fui na mãe de santo e que fiz uma cerimônia pedindo para Nanã me proteger, mas a verdade é que eu estava com Esclerose Múltipla e não estava sendo devidamente diagnosticada e nem medicada. Simples assim. E minha doença não tem nada a ver com a inveja alheia, mas sim com uma maluquice do meu corpo que inventou de comer meu Sistema Nervoso.
E isso sim me deixa com o sistema muito nervoso! haha!!

A experiência na Bahia foi bacana, conhecer os orixás foi bem interessante e a chuva em Salvador foi perfeita para me segurar lá mais um pouco. Mas foi só isso. É bom ter histórias para contar para os netos e é maravilhoso e acolhedor conhecer pessoas que desejam nos ajudar. Tenho a sorte de encontrar gente assim nos lugares e nas religiões mais incríveis.

Hoje continuo tomando minhas injeções e estou ótima. E já me disseram para fazer acupuntura que também pode ser muito bom para mim.
Agradeço a dica, mas, hum... acho melhor não! Injeções para o resto da vida MAIS agulhas da acupuntura fariam eu me sentir a "voodoo girl", personagem surreal das andanças de Tim Burton pelas HQs.

Acabou doutor?


6 comentários:

  1. É, acho que você já sabe se benzer, né? :)
    Adorei as explicações para os tipos de maldade e adotarei a sua filosofia de caminhoneiro.

    ResponderExcluir
  2. Uma criatura bizzarra,ex-esposa de um primo meu,esteve no Rio e fez questão de conhecer minha casa. Enfim ...Morreram os 5 peixes do meu aquário,todas as plantas da casa, meu cachorro ficou doente, minha esposa e eu tivemos dores de cabeça por 3 dias. Que coincidência esdrúxula ! !
    Tirando isso concordo com voce ! hehehehehe

    ResponderExcluir
  3. sua frase de caminhoneiro e minha filosofia de vida ,principalmente quando dei de cara com um bonequinho desses no quarto de "macumbas" da minha cunhado aqui na Suiça ,é amiga aqui o povo tambem é macumbeiro..........
    quero tanto te ver ,e recuperar todo o tempo perdido em que nao passamos horas conversando.........

    ResponderExcluir
  4. Claudinha, adoro o que você escreve. Espirituosa, inteligente. Vou acompanhar sempre.

    Nunca tinha parado de pensar na diferença entre inveja, ambição e cobiça.
    Ultimamente a única coisa que ambicionei foi a cozinha de um amigo que tem aquelas super torneiras que parecem um robô, além de dois fornos diferentes super sônicos, um deles só pra cozinhar a vapor. Eu quero uma cozinha daquelas um dia! Que coUUsa mais dona de casa, neam?

    Beijos

    Pris

    ResponderExcluir
  5. Desculpe informar mas conheço caso documentado de pessoa que vive sem microondas. Não é dessas tecnofóbicas mas alardeia a alegria de ter que aquecer várias panelas para poder comer sua refeição sozinha. Alias, cuidando da vida dela, talvez seja esse o problema: com tanto tempo sozinha, precisa encontrar o que fazer. Com microondas sobra mais tempo.
    Confesso, por último, que por motivo estranho tenho, dessa criatura, felicidade em seus dissabores. Mea culpa, mea culpa, mea maxima culpa.

    ResponderExcluir
  6. Uma vez eu perguntei a um grupo de argentinos sobre a rivalidade, muito cultivada do lado de cá da fronteira: “Os argentinos também ‘odeiam’ os brasileiros? Também fazem piadas e todo o tipo de comparação superlativa máxima?” Eles sacudiram os ombros e disseram: “Não, acho que não...acho que a gente nem pensa muito nos brasileiros...”
    Talvez quando achamos que alguém esteja conspirando contra a gente, desejando todo o mal, deveríamos descer alguns degraus do nosso pedestal da importância e ver a coisa de um outro ângulo. A conclusão provavelmente vai ser de que se existe qualquer sugestão de maldade vinda do outro partido, não é nem contra a gente.

    ResponderExcluir

Se você não tiver uma conta Google e quiser comentar: escreva na caixa, assine (para eu saber quem escreveu!) e escolha a opção "Anônimo". Pronto! Seu comentário aparecerá imediatamente no blog.