quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Sobre Ateísmo e Ovos Cozidos

Toda vez que aqueço água para fazer macarrão coloco dois ovos para cozinhar na mesma panela. Faço isso porque minha mãe faz. E ela faz porque a mãe dela fazia. Meu marido italiano não acha graça e eu mesma não acho elegante uma macarronada enfeitada com ovos cozidos.
Mas não consigo evitar.

Sou atéia porque minha mãe é. E ela é porque minha avó era. Simples assim. E para complicar meu pai é porque os pais dele também nunca fizeram questão. E assim vamos fluindo no decorrer das gerações.

Meus filhos não foram batizados, óbvio. Eles conhecem a história da Arca de Noé e ganharam de parentes queridos uma linda Bíblia para crianças. Já li algumas histórias para os dois. Eles sabem bastante sobre o assunto porque moram numa cidade pequena que respira religiosidade por todos os poros. Na escola as crianças rezam todos os dias antes de começar a aula e este mês precisei comprar um caderno de "Educação Religiosa" para meu filho de 6 anos. Nem quis investigar o que vai ser dado nessas aulas. Não me interessa. É estranho e um pouco chocante, mas existem coisas mais graves do que isso acontecendo na escola dele.

Bom, estou escrevendo para dizer que, embora atéia, não conheço nenhuma família mais cristã do que a minha.
Não, não conheço!
Meu avô ultra, híper ateu (e até bastante polêmico: é a favor do aborto, da eutanásia, da pena de morte indolor e sem drama, do melhoramento genético indiscriminado) é a pessoa mais generosa, fofa e boa que todos já conheceram na vida. Só não digo que ele devia ser beatificado porque ele pode se ofender, haha.

Pensar em religião não me é necessário, não está na minha lista de prioridades. Nunca precisei ter um jet ski, um fogão à lenha ou uma gata no meu sofá. Não preciso de uma TV de plasma. E não preciso acreditar em Deus. E não é porque sou superior ou insensível, mas porque realmente não me faz falta. O que me fazia falta é ter otimismo e crença em meus potenciais e, principalmente, nos meus desejos. Mas hoje sou muito positiva e tenho fé em mim porque Gilberto disse que a fé não costuma falhar. Concordo com Gilberto. Ah, e tive boas terapeutas também!

Mas é claro que adoro quando oram pela minha família numa situação crítica. Já fui em mãe de santo, em templo evangélico, em casa espírita, taróloga e fiz algumas crendices como dormir com o nome do namoradinho debaixo do travesseiro. Tenho uma Iemnajá no meu quarto porque acho ela linda. Ah, e já pulei muito para São Longuinho! Não carrego bandeiras e detesto gente que se acha superior porque é ateu ou tenta convencer os cristãos de que eles estão errados. Há inclusive pesquisas que mostram que os ateus, em média, possuem um QI mais elevado. E 93% da comunidade científica dos EUA é formado por ateus. Eles carregam estes dados com orgulho. A prepotência de House, por exemplo, não é válida e nem bonita. Mas House é assim, e acho ele irresistível!.


Uma vez Cazuza disse uma frase que eu adoro: "Ser Gay não é defeito, ser gay não é virtude. Ser gay não é nada.". Ótima! Posso resumir minha idéia com a mesma frase (acho que a ONG "Viva Cazuza" não se importará): "Ser ateu não é defeito, ser ateu não é virtude. Ser ateu não é nada."

Sou bem feliz. Tenho uma vida rica e linda. Sou amada e repleta de boas pessoas e boas novidades em minha vida. Estamos todos bem. Está tudo bem. E quando não está é porque fazemos parte da natureza, e a natureza nem sempre está florida.

Ano passado meu filho mais novo, com 4 anos, decidiu introduzir aqui em casa o hábito de agradecer antes do almoço (deve ter aprendido na escola). Sua prece foi assim:
"Obrigado chuva que molhou o trigo para fazer o macarrão, obrigado natureza que fez o tomate, obrigado moço que plantou o tomate, obrigado tratorista, obrigado galinha que botou o ovo, obrigado moça do supermercado que vendeu as coisas para a mamãe, obrigado papai que trabalhou para ganhar dinheiro e obrigado mamãe que fez a comida."

Não estou inventando. Ele agora faz isso em todas as refeições. Algumas pessoas já presenciaram. É mesmo incrível.

Gratidão, perdão, fé e generosidade não é uma exclusividade dos religiosos. Para ilustrar esta verdade anexo um vídeo bem interessante que precisa ser visto por todos que chegaram até aqui. Queria um outro, mas aqui em casa não havia filho de Deus que conseguisse inserí-lo. (sim, isto foi uma piada)


Hahaha.... é mesmo uma honra fazer parte do mesmo time que Luciana Gimenez, Harry Potter, Edson Celulari, Biafra e... Diogo Mainardi !!!! (isso foi prá você mesmo, queridinha!)

11 comentários:

  1. Maravilhoso!!!!!!
    Nada como um dia, ops, uma postagem, pra superar a outra!!
    Que orgulho de vc, minha cronista de plantão preferida!
    Só fico devendo o comentário sobre o vídeo, q ainda não vi.
    E sobre o Mainardi, tava na cara que ele era ateu!! Ele só acredita nele mesmo!!! hahaha.
    Te amo.
    Yes, we want more!!!

    ResponderExcluir
  2. No creo en brujas pero que las hay, las hay...

    ResponderExcluir
  3. Fiquei curioso pelo outro link! Compartilhe!

    ResponderExcluir
  4. Clau, na escola do Pedro também rezam todos os dias pela manhã. Os meus filhos foram batizados, também pela tradição de família. Eles sempre agradecem o "Papai do Céu" por tantas coisas antes de dormir, mas também por tradição familiar... Me fez pensar... Repetimos muitos atos por estarem enraigados demais dentro da gente e são tão espontâneos que nem nos questionamos se realmente acreditamos... A propósito, amei seu post hoje...

    Flavia

    ResponderExcluir
  5. Prezada Cláudia! Curioso neste vídeo é que a música de fundo é o 1ºmovimento da Sonata op 27 n 2 (Sonata ao Luar) de Ludwig van Beethoven,compositor Alemão,apelidado de 'Espanhol'.Ele era canhoto,tinha uma cicatriz no rosto por varíola, ficou surdo aos 26 anos e morreu aos 56. Era maçom e acreditava em Deus.
    Um Forte Abraço e que Deus continue abençoando a sua Linda Familia !

    ResponderExcluir
  6. Rogério!!! Nem sabia das suas andanças por aqui. Este vídeo é cafoníssimo e a música de fundo (embora linda) é realmente inadequada. Já tinha pensado nisso. O vídeo que queria postar tinha muito mais conteúdo e Imagine, do nosso querido John, como música de fundo. Completava bem melhor a idéia, mas não consegui anexar! Depois vejo se encontro o link dele. Bjs enormes.

    ResponderExcluir
  7. Claudia. Seus textos extrapolaram o blog. Seu texto pula da tela, mexe nos cabelos de quem os lê. Sério. Vc virou uma de minhas autores preferidas (Vc esta ao lado de Clarice Lispector, por exemplo). Obrigada por dividir seu talento e um pouco de vc. O mundo precisa que pessoas como vc se deixem desnudar.Bjs

    ResponderExcluir
  8. Claudinha, que coisa mais linda a prece do pequeno! E faz muito mais sentido.
    Gostei muito desse post e gosto muito do seu olhar lúcido e respeitoso sobre o assunto.
    Abração bem apertado!

    ResponderExcluir
  9. Oi! Fiquei emocionada com a prece do seu filho... Lindíssima, muito autêntica e verdadeira. Bjos e saudades.

    ResponderExcluir
  10. Oi Claudia,
    Adorei o blog, vai fazer parte das minhas leituras semanais, nos momentos de relaxar e pensar na vida...Parabéns!Ah, vou fazer o macarrão... Beijos, Gabriela

    ResponderExcluir
  11. "...e obrigado filho da Claudia por nos dar o exemplo..."

    ResponderExcluir

Se você não tiver uma conta Google e quiser comentar: escreva na caixa, assine (para eu saber quem escreveu!) e escolha a opção "Anônimo". Pronto! Seu comentário aparecerá imediatamente no blog.