quarta-feira, 25 de maio de 2011

Uma cereja para a minha banana.

Ontem meu filho não quis a cereja da banana-split. Eu estava me sentindo a mãe mais especial do mundo ressuscitando aqui em casa um clássico dos anos 50 quando... o pequeno negou a cereja. Dispensou o objeto principal da decoração. Ignorou o ícone das lanchonetes Art Déco.
E eu tinha comprado a cereja SÓ para enfeitar a taça. (óbvio, por qual outra razão alguém compra um vidro de cerejas?)
- Não gosto de cereja. - disse ele - Cereja tem gosto de remédio.

Sacanagem.
Cereja não tem gosto de remédio! É o remédio que tem gosto de cereja!!!! A Novalgina e o Tylenol infantil se acharam no direito de roubar o sabor da cerejinha e marcá-lo para o resto da vida como sendo o "gosto do remédio da minha infância".

E quer saber? Para mim essa coisa de minimizar os problemas da infância deixando os remédios com gosto bom não ajuda em nada os pequenos a compreenderem as adversidades da vida. A moda de amortecer os problemas e tornar tudo fofo e cor-de-rosa deixa as crianças despreparadas e mal acostumadas.
Eles, definitivamente, precisam com urgência saber o que é bom prá tosse!!!

"La vie n`est pas rose"
(PS: esse quadro do palhaço chorando é o fim da picada. Cafona!!!!)

Remédio tem que ter gosto de remédio: ruim, amargoso e traumático. Para as crianças nunca mais quererem ficar doentes e nunca mais se meterem a besta de tomar um vidro de remédio escondido dos pais. A cada 3 horas uma criança se intoxica com medicamentos dentro de casa. Tudo culpa do remedinho doce. Você beberia no gargalo um vidro inteiro de Óleo de Fígado de Bacalhau? Você entornaria uma garrafinha de Biotônico Fontoura? Não, né? Mas tem remédios que são tão gostosos que até eu já me peguei lambendo a colherinha depois de dar para a molecada. Chupando o resto do copinho de dosagem.
Atire a primeira pedra a mãe que nunca fez isso!

Mulher Cereja 
A cereja poderia processar os laboratórios por danos morais e materiais.
Claro! Imagina o tanto de cerejas que deixarão de ser compradas porque a indústria farmacêutica se achou no direito de destruir a reputação da coitada. Jogou na sarjeta um sabor que a natureza demorou anos para aprimorar. Quanta petulância! E aí, prá piorar, veio a Mulher Cereja e esculhambou de vez com a fama da frutinha vermelha.






Mas o mais triste é saber que minhas crianças nunca conhecerão a união perfeita entre uma cereja e um chocolate. Nunca saberão a delícia que sentimos ao perceber que...


...dentro do bombom há um licor a mais.


Bom, mas eu só estou contando essa história porque homens tolos dizem que umas conhecidas minhas são mulheres muito afetadas. Dizem que, por isso, elas parecem... gays.
Não!!!!!!!!! As mulheres não parecem gays, os gays é que parecem mulheres!!! Vemos aqui, novamente, a mesma injustiça. Agora não podemos ser afetadas, gesticular, sermos peruas porque vamos parecer gays????
Ah, me poupe.
Esses gays é que deviam criar um estilo próprio ao invés de roubar nossos trejeitos tão fofos e femininos.

Homens: deixem as mulheres serem afetadas, caramba. Se a coisa continuar assim eu vou ter que chamar a minha amiga Mulher Cereja, que já destruiu a reputação da fruta, para ela começar também a danificar a imagem masculina:

"Passei a vida inteira tentando não ser descuidado. Mulheres e crianças podem ser descuidadas, homens não."
(Don Vito Corleone)
Mulheres podem ser descuidadas. E escandalosas, afetadas e peruíssimas!!!
Entenderam?

2 comentários:

  1. Cereja?!?!?!?! Aiiiii, concordo com seu filho: "não gosto de cereja". Ô saborzinho ruim...nem com chocolate fica bom! hehehe
    Mas em relação ao conteúdo do texto em si... A sociedade exige cada vez mais, principalmente das mulheres. Temos que estar cheirosas, magérrimas, na moda, com a cutis cada vez mais jovial, temos que ser inteligentes, bem-humoradas, excelentes profissionais, simpáticas, ótimas filhas, super mães, esposas então, temos que ser a "mulher maravilha"... dentre tantos outros atributos que nos são exigidos. É mole ser mulher não! Sinceramente, digo mais, nunca entendi essa questão de direitos iguais entre mulher e homem...A mulher único ser " multi " deveria ser remunerada de forma múltipla!!! rss ;)

    ResponderExcluir
  2. Amiga, uma cereja "de verdade" com chocolate então... é como um beijo que não dá pra descrever mas como "gosto não se discute, lamenta-se" deixa pra lá, quanto aos homens , coitados estão ficando confusos com a invasão do terceiro sexo e algumas mulheres andam confundindo firmeza com falta de feminilidade infelizmente. Direitos iguais sim mas cada um com seus trejeitos.
    Viva a peruisse explícita!! mulheres nós temos todo o direito rss

    ResponderExcluir

Se você não tiver uma conta Google e quiser comentar: escreva na caixa, assine (para eu saber quem escreveu!) e escolha a opção "Anônimo". Pronto! Seu comentário aparecerá imediatamente no blog.