sábado, 7 de maio de 2011

Fio Terra


Sabe aquele povo que diz que compra Playboy para ler as entrevistas?
Então, eu sou deste tipo.
Nunca comprei, mas lia todas as entrevistas das revistas que caíam na minha mão. Adorava em especial um questionário rápido que havia no final: "20 perguntas para...".
Uma vez li um desses com um cara descolado da música. Não me lembro quem era (Supla? Evandro Mesquita? Lobão?), mas no meia da entrevista perguntaram: "
-Qual foi o lugar mais estranho que você já transou?
E ele foi bem rápido:
 -Na cama

Exato!!!!
Sou também desta opinião. Não consigo associar cama com sexo. Cama é lugar para ler livro, tirar uma soneca, descansar quando se está gripada, chorar quando se está deprimida, para as crianças pularem e bagunçarem quando você acabou de arrumar... MIL coisas, menos sexo.
Tive uma longa juventude cheia de experiências improvisadas, longe das camas. Olho para outros tantos lugares e penso em sexo.
Cama não!

E, sem sombra de dúvida, a coisa melhor para se fazer numa cama é dormir abraçadinho, mesmo sem sexo nenhum envolvido na história.

Cheguei à conclusão que o bom sono é aquele desencadeado quando a energia do seu corpo migra para um  corpo alheio e, aí, as energias se neutralizam e dá para se dormir em paz.
Mas não adianta abraçar só com o tronco. Não descansa o suficiente! É preciso de um fio terra, é preciso encostar os pés, e ISSO é algo que só pode ser feito numa cama.
O ideal mesmo são três pontos de contato com o corpo do outro: rosto, barriga e perna; mão, quadril e pé; ombro, braço e joelho... não importa, mas tem que ser, no mínimo, três!
Na minha cabeça leiga deve ser um "fio" positivo, um negativo e um terra, neutralizador.
Sei lá, mas façam a experiência e comprovem. Depois me digam.
Não adianta só dar as mãos para o parceiro ou jogar os braços por cima dele, tem que se enrolar de acordo.

Algum dia um físico chegará a esta conclusão e revolucionará o conceito da bioenergética.

Tenho pena das pessoas que estão solteiras há muito tempo. Não pela falta de sexo em si, mas pela falta desta neutralização das energias. Falta de contato corporal deixa a pessoa tensa, irritada e mau humorada.
Eu acho isso.
E não adianta ir num massagista ou abraçar os amigos. Tem que abraçar deitado, com o corpo todo.
E junto com o abraço tem a sensação infante de se sentir ninado e acolhido.
Boa demais.

Uma vez assisti a um filme (Frankie and Johnny, 1991) em que Al Pacino paga uma prostituta para passar a noite com ele. A moça chega toda fogosa perguntando: "Qual posição você vai querer?", e ele responde: "Conchinha.".
Abraça a prostituta e dorme com ela a noite toda.
Entendo o Al Pacino. Eu também pagaria alguém para, literalmente, dormir comigo.
Definitivamente não nasci para dormir sozinha.

Nos tempos em que fiquei sozinha quase contratei um "Personal Teddy Bear" para as noites de inverno. Aliás, é uma profissão digna, que deveria existir e ser valorizada.

Personal Teddy Bear correndo entre um serviço e outro.

E não adianta comprar boneca inflável ou aqueles travesseiros bizarros em forma de braços e pernas. Já viram? Deprimente!
E eles não devem resolver nada, porque o que nos faz dormir bem não é o formato do corpo alheio mas sim o calor, a pele, a respiração, o cheiro e a energia. Nenhum boneco ou travesseiro dará conta das sutilezas energéticas de um parceiro de verdade.

Entendo bem essa história do homem que transa e vai embora rápido para não correr o risco de dormir ao lado da moça. Dormir junto é infinitamente mais íntimo do que o sexo para algumas mulheres. Dormir junto provoca cumplicidade. Há trocas mútuas de amparo e zelo na escuridão da noite.
Dormir junto, portanto, configura compromisso e afeto, e se não for isso que o cara quer demonstrar, então que vá embora mesmo!!
"Um pequeno passo para o homem,
mas um grande salto para uma mulher."





Sexo na cama? Ok, tá bom... mas só se for para dormir abraçada depois. Nada de sexo na cama sem compromisso sério e "conchinha" no fim da noite.

Se for para sair correndo depois, prefiro sexo em outro lugar. Cama é um território sagrado demais para encontros fugazes e passageiros.

Uma leitora maluca acaba de me perguntar se já fiz sexo em cima da árvore. Putz... nunca, e nem imagino como isso pode acontecer.
Agora então faço uma entrevista com meus adoráveis leitores.
Mantendo o anonimato (comentário anônimo, sem assinar) digam aí: qual foi o lugar mais estranho que vocês já fizeram sexo?
Vamos esperar para ver quem ganha a disputa de bizarrice!!!!! Em cima da árvore eu truco...

5 comentários:

  1. Fala sério! Não consigo dormir de conchinha, aliás detesto! Até que ficar abraçadinho depois do sexo é gostoso, mas dormir = no way! Só gostamos de encostar os pés, depois cada um pra o seu lado... Boa noite!

    ResponderExcluir
  2. Eu sou o pesadelo do pobre Fabio ( o meu, fique tranquila). No meio da noite eu me mexo muito... e a cada virada, dou um tapinha no ombro dele pra ele virar comigo. E pior - ainda faco isso dormindo.

    Pra mim, se a cama e de casal, e por que e pro casal dormir JUNTO, nao separado na mesma cama...

    Apoiadissima!

    Ja transou em cima de arvore?

    ResponderExcluir
  3. Signora Claudia, sai che ha fatto un bravissimo rapporto! Complimenti! Una volta ho conosciuto una bellissima ragazza dal quale mi sono innamorato e ho potuto vivere questa bella esperienza da cui ha parlato; Fino adesso non mi sono dimenticato!

    Saluti!

    Gino.

    ResponderExcluir
  4. Sério?! Só nos cutucamos no meio da noite se for por uma boa causa...

    Acho que tem que ter um teste de compatibilidade antes do casório: Gostar ou não de dormir de conchinha! rsrsrsrrsrs

    Tenho um casal de amigos que dorme em quartos
    separados (porque ele ronca e ela tem sono leve), estão super bem juntos, mas as camas são separadas..

    BTW Fiquei curiosa pra saber se é bom em cima da árvore... rsrsrsrsrs

    ResponderExcluir
  5. Vivien, acho que em cima da arvore so e bom aos 17 anos...kkkk

    ResponderExcluir

Se você não tiver uma conta Google e quiser comentar: escreva na caixa, assine (para eu saber quem escreveu!) e escolha a opção "Anônimo". Pronto! Seu comentário aparecerá imediatamente no blog.