quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Sandy Q

Mês passado fui para a praia e, logo de cara, comprei duas pranchinhas de isopor para que meus filhos pegassem jacaré, mas eles não quiseram... oba!!! Lá fui eu ficar hoooras pegando jacaré com a minha pranchinha de isopor. Só quando eu fui dormir (feliz da vida) é que lembrei do meu post com exatamente o mesmo título.
(Para quem não leu, leia para entender o drama que se segue link aqui)
Sorri sozinha no escuro pensando que, no fim das contas nem preciso ser surfististinha ou me banhar nos mares salgados de Anais Nin. É bem legal pegar jacaré e posso muito bem ficar satisfeita só com isso.

E Sandy também pensa assim.

É infinita a lista de minicelebridades que descambaram para fugir do estereótipo de criança fofa e acabaram exagerando na dose. Posam de transgressores, se metem em polêmicas, drogas e colocam a carreira em risco.

Sandy não.
Cresceu na mídia sendo exatamente o que sempre foi: uma moça comum e reservada.
O problema é que ser assim não a ajuda a vender discos, então Sandy (possivelmente orientada por um acessor) decidiu posar de "Devassa" e deu uma entrevista para a Playboy deste mês, já que aparecer nua na revista seria demais para a moça.
A revista traz Adriane Galisteu na capa, mas a foto da loira magricela e absurdamente bronzeada foi ofuscada por uma declaração de Sandy dizendo que é possível ter prazer anal.
Na minha opinião, qualquer declaração ofuscaria Adriane na capa de uma revista. Frases estúpidas do Guido Mantega, do Boninho, da Fafá de Belém... QUALQUER COISA é melhor do que a Galisteu.

Mas aí, pronto: tava feito o escândalo. Assunto mais comentado do twitter e a moça dando satisfações à imprensa dizendo que a revista foi sensacionalista e que a frase foi retirada do contexto.

Qual contexo? Ninguém sabe porque a revista não foi lançada. E os responsáveis pela história toda devem estar soltando rojões tamanho sucesso do famoso "eu disse, mas não foi bem assim" que atiça a curiosidade da galera.

Até eu fiquei curiosa. Qual será, meu Deus? Qual será o contexto??
Ah, vou ter que comprar a Playboy deste mês!!
Não posso!!! Na minha cidade não tem banca de revista, Juro. Vou ter que esperar aquelas raspas de estoque velho, onde colocam duas Playboys num único saquinho e vendem em postos de beira de estrada. Aí você compra uma revista da ajudante do Luciano Huck de 1993 e a mesma Galisteu em 1995 raspando a virilha. Tudo por R$4,90!!

Ah, se fosse minha filha ia apanhar. Quem se depila em cima de um... sofá...BRANCO???
Hahahah, cada pai e mãe com seus princípios.

Mas o pior da história, para mim, foi a bronca pública do pai da cantora (nunca sei e é o Chitãozinho ou o Xororó, para falar a verdade nunca sei quem é quem destas duplas sertanejas) dizendo a um reporter que não gostou nada do pronunciamento da filha e que "nenhum pai gostaria de ouvir algo assim".
Eu sei bem como é ser adulta, casada e ficar levando bronca do pai por falar uma bobagem ou outra. Não é fácil, querida Sandy, eu sei. Toda donzela tem um pai que é uma fera.
Isso porque ele nem deixou a menina explicar o contexto, tadinha. Já veio recriminando a coitada.

Então eu fico imaginando qual será o tal contexto ao qual Sandy se refere?
Pode ser:

CANDIDATO DA SAUNA GAY
-Mas eu não sou gay!!!
" Meu irmão não é gay. O Júnior é muito perseguido pela mídia que insiste neste assunto, tadinho. Bom, mas se ele fosse, acho que eu não me incomodaria nem um pouco. Meu pai tem muitos AMIGOS gays e isso sempre foi normal para nós. E também acredito que o Jú seria bem feliz desta forma. Um amigo do vizinho do meu primo certa vez contou que é possível ter prazer anal. E eu imagino que possa mesmo, já que não existem ex-gays (risos envergonhados)"




Ou poderia ser:


-Depois dessa, é possível ter prazer anal.
"Sei lá, estes músicos atuais se jogam em drogas, álcool e sentem prazer nisso. Não sei qual é a graça de ficar tonto. Mas, cada louco com a sua mania! Não condeno e nem discuto!! Tem gente que sente prazer sendo pendurado por anzóis. Tem gente que sente prazer sendo espancado. São os mesmos loucos dizem que é possível ter prazer anal."

O tal contexto pode ser que seja algo inocente assim, tirando a "culpa" da mocinha e deixando o pai dela aliviado.

Mas poderia também ser uma declaração bem banal e rotineira:
"Depois de adulta passei a perceber o prazer nas coisas simples da vida. É possível ser feliz cozinhando num sábado à noite. É possível ficar bonita mesmo com roupa velha e sem maquiagem. E é possível ter prazer anal. Eu gosto e meu marido também."

E ponto final!
Nenhuma novidade para uma mulher casada e adulta.
Mas não para Sandy, tadinha... a eterna pegadora de jacaré.
E o pai já veio dando bronca na filha que só quis ser sincera e (por que não?) um pouco apimentada na sua primeira entrevista para uma revista adulta.
É claro que era isso que o público gostaria de ler numa entrevista deste naipe!! Ninguém acharia graça se ela gastasse seu tempo falando do desenho perfeito das suas sobrancelhas.

Mas todos acham que Sandy não está sendo sincera com a sua declaração. Acham que ela tá fazendo o tipo. E se ela estiver sendo sincera, piorou!! Aí é que vão achar que ela enlouqueceu de vez.

O problema da Sandy não é o fato dela ter crescido diante dos holofotes e o povo se esquecer que ela é adulta. Nem a sua estatura pequena e nem o tipinho mignom.
O problema da Sandy é o fato dela se chamar... Sandy! Não dá para ser adulta e ter sex appeal com um nome de poodle.
E o sobrenome dela também não ajuda: Lima Lima. Quem mandou uma Lima entrar para a "Família Lima"? Nada mais sem graça que uma laranja lima...

Se eu fosse ela mudaria de nome artístico. Não baseada na numerologia como fez Wanessa.
Isso está totalmente fora de moda...
Eu aproveitaria o escândalo do prazer anal e usaria a polêmica a meu favor.
Diria que tudo aquilo é mesmo verdade e mudaria meu nome para "Sandy Q" (qiu na pronuncia inglesa)
Aí a coisa ficaria perfeita e todo mundo poderia cantar:

"You say that you'll be true,
You say that you'll be true,
You say that you'll be true,

and never leave me blue, Sandy Q."

(Diga que será sincera, e nunca me deixe triste, Sandy Qiu)

3 comentários:

  1. Clau, eu acho que o nome Sandy tem uma maldição. Sandra Dee era uma atriz dos anos 60 que só fazia papéis de puras e virginais. O apelido dela era Sandy. Envelheceu, mas as pessoas continuaram a pensar nela como menina imaculada. Grease, o filme do John Travolta, retoma a maldição das Sandys. Olivia Newton John é Sandy, a pura, para quem as Pink Ladies (que eram da pá virada) cantavam "Look at me, I´m Sandra Dee", fazendo alusão à atriz virgem eterna. E por fim, Noely e Xororó começaram a namorar assistindo Grease. Daí escolheram o nome Sandy para a pobre moça do post. Fala sério se Jung ou Lacan não fariam a festa? rs.
    Bjos!
    PS: olha o vídeo de grease:
    http://www.youtube.com/watch?v=HGLxJRq-jIY

    ResponderExcluir

Se você não tiver uma conta Google e quiser comentar: escreva na caixa, assine (para eu saber quem escreveu!) e escolha a opção "Anônimo". Pronto! Seu comentário aparecerá imediatamente no blog.