terça-feira, 2 de agosto de 2011

Estamos procurando chifres em cabeças de camelos!!

Continuo tentando ler a Bíblia. Passei a encarar a coisa como um desafio. Vou incluir na minha lista de coisas que se precisa fazer na vida: ter filho, plantar uma árvore, escrever um livro (um dia escreverei, já escrevi um capítulo, vale?) e ler a Bíblia.
Sofro horrores, mas tento ler todos os dias um pedacinho. Me sinto um adolescente que se gaba de ler 1 capítulo inteiro de um livro recomendado pela escola e fica contando quantas páginas faltam para terminar, hahaha.
Minha boa e velha literatura policial vai ter que esperar mais um pouco.
Sempre me senti inferior por gostar de literatura policial, mas depois que soube que Rita Lee passa suas horas vagas se entregando ao gênero, me senti menos rasa.
Ou não. Rita Lee não é muito parâmetro para ditar a normalidade.

E ontem na Bíblia eu li algo que me deixou perplexa. Deve ser piada velha para vocês cristãos, mas para mim foi uma bela novidade. A história do camelo no buraco da agulha.

"É mais fácil passar um camelo pelo buraco de uma agulha, que um rico entrar no reino dos céus!"

O que me preocupa na história não é a crendice besta de que é impossível servir a Deus e ao dinheiro simultaneamente. Nem a a loucura de um camelo passar pelo buraco de uma agulha.
Já passei da idade de acreditar em bobagens.
O que me preocupa na coisa é que as péssimas traduções nunca são corrigidas. Com humildade, com cuidado e respeito pelos leitores.
Todos os dias jornais, revistas e grandes editoras lançam uma errata, desculpando-se de erros, inevitáveis no decorrer do processo editorial. Afinal, errar é humano.

-Agora acho que ele entra!!!!!
E porque não há uma errata na Bíblia? Ou uma nova edição corrigida e comentada por... sei lá... por mim! Hahahaha!
Ah, já sei, já sei: porque quem escreveu a Bíblia não erra, não é humano.
Sim, eu conheço este pequeno detalhe, mas quem traduziu era o famoso tradutore traditore (tradutor, traidor) que é bem humano e bastante descuidado com os regionalismos de linguagem.
E como nem todos traduziram a partir do original, a coisa foi só piorando, como numa brincadeira de telefone sem fio.
Mônika Pecegueiro do Amaral não cometeria tantos erros assim. Ela sabe que Donut não é uma rosquinha, hahaha, e saberia que camelo é um cordão feito com o pêlo do bicho.
Dãããã, tão óbvio.

E aí me deparo com mil outros erros de tradução na Bíblia:
"Vinde a mim as criancinhas" não tem nenhuma conotação intantil. "Crianças" são as pessoas inferiores do ponto de vista espiritual. Ahhhhhh. Então escreve direito, caramba! Não deixe as crianças irem atrás de religiosos que se baseiam na Bíblia para dizerem que estão cobertos de razão.
Tenho outros absurdos das traduções: espancar a esposa, abandonar a família... coisas que nunca deveriam ser levadas ao pé da letra e nem podem ser consideradas metáforas.
São erros!

Bom, o primeiro livro adulto que li na vida foi "The Physician", de Noah Gordon, absurdamente traduzido para "O Físico" quando na verdade devia ser "O Médico".
Bom livro!  Trata da trajetória linda da vida de um...médico!
Foi um erro grosseiro, mas não prejudicou em nada o andamento da humanidade. Duvido que as inscrições nas faculdades de Física aumentaram devido ao livro. Dúvido também que houve uma guerra na comunidade médica que se sentiu ofendida com tamanho desplante.

Mas um erro na Bíblia pode ter repercussões sérias e é por isso que alguém precisa fazer algo.

Afinal, Bill Gates, que doa uma enorme parte da sua fortuna para avanços tecnológicos, médicos (Thank you, Mr. Gates!!!) e para a Fundação Melinda Gates não pode, nem por um minuto, lamentar o fato do camelo ter nascido com duas corcovas...
Ainda bem que, pelo que eu saiba, ele não está lá muito preocupado para quantos deuses, afinal, ele está servindo, contanto que sirva bem para servir sempre!!!

Aliás, as ilustrações desta passagem Bíblica está errada. Será que este povo nunca ouviu a música? Será que não perceberam que colocaram um dromedário no lugar do camelo???
Mônika Pecegueiro do Amaral saberia disso, hahahaha, tenho certeza. Ela tem cara de quem foi num show dos Titãs na adolescência.

"Há uma questão que há muito tempo me incomoda
Qual será a vantagem de se ter uma ou duas corcovas?
O que iremos formular é somente um questionário
Qual diferença haverá entre o Dromedário e o Camelo?
E entre o Camelo e o Dromedário?
Postos frente a frente causam a mesma impressão
Mas quando postos de lado faz-se logo a correção
O Camelo difere do Dromedário que só tem uma corcova
O Dromedário já difere do Camelo por ter lá suas duas corcovas..."
(Titãs)


ADORO a lenda de que o mascote do cigarro Camel nada mais é do que uma tentativa subliminar de ilustrar... um pênis!!! Já ouviram isso?
Se formos ver por este lado a idéia de um camelo entrando num buraco até que tem um certo charme, hahaha.
"Ei, vamos ver se o seu camelo entra no buraco da minha agulha para alcançarmos o reino dos céus?"
Uhhhhh...  sexy!

6 comentários:

  1. Nada como ter a sorte de acumular dois posts para uma noite só...hehe.
    Delícia, neguinha. Boa noite, bom dia, Liebling.

    ResponderExcluir
  2. Genial! Você merece publicar um livro ou rceber um dinheiro por esse trabalho que nos enriquece a existência. O Radio Head postou um disco na Internet ,autorizou o down load e sugeriu que pagassem o que quizessem. Receberam um monte de dinheiro sendo que só 10 por cento pagou uma media de 6 dólares

    ResponderExcluir
  3. Voce ja se perguntou se não existe um apelo divino para sua inquietação em ler a Biblia ? Por que será que voce, mesmo se declarando atéia, insiste em ler este livro ? Que Deus abençoe a sua leitura ! Inté !

    ResponderExcluir
  4. Alguns comentaristas bíblicos procuraram minimizar o efeito paradoxal da expressão “passar um camelo pelo fundo de uma agulha” reinterpretando o significado dos termos “camelo” e “fundo de uma agulha”. Por exemplo, há quem diga que a palavra “camelo” se refira aqui não ao próprio animal conhecido por esse nome, mas a um “cabo” ou “corda” de navio. Os defensores dessa teoria se baseiam no fato de que alguns manuscritos bíblicos, produzidos vários séculos depois de Cristo, trazem nesse verso a palavra “cabo” em vez de “camelo”. Como no original grego os termos “camelo” (kámelos) e “cabo” (kámilos) possuem certa semelhança entre si, é provável que alguns copistas e tradutores do Novo Testamento tenham substituído intencionalmente o termo “camelo” por “cabo”.
    As palavras “passar um camelo pelo fundo de uma agulha” são, sem dúvida, uma expressão proverbial semelhante a várias outras usadas no mundo antigo para descrever uma completa impossibilidade.
    Cristo decidiu contrastar o maior dos animais da Palestina (o camelo) com o menor dos orifícios conhecidos na época (o fundo de uma agulha).
    Em Marcos 10:13-16
    Jesus nos diz que, para entrar no Reino de Deus, devemos ser como crianças, e isso inclui ser impotentes. Ele disse: "Eu afirmo a vocês que isto é verdade: quem não receber o Reino de Deus como uma criança nunca entrará nele."
    Em qualquer sociedade, as crianças são membros mais dependentes; não têm nenhum poder natural para se auto-proteger. E as crianças confiam de modo natural.
    Se queremos curar algo em nossa vida, temos de admitir que somos verdadeiramente impotentes. Não significa que tenhamos que transformarmos em vítimas. Reconhecer a impotência é uma apreciação franca da nossa situação na vida e um passo positivo para a recuperação.

    ResponderExcluir
  5. Claudinha, amei esse post! Só uma minima correção: a tradução de O F´sisico é essa mesma. Físico era o nome dado nos primordios da Medicina para seus praticantes quem buscavam uma formação (como narrado no livro). Então esse termo estranho, de fato existiu. Não tinhamos a palavra médico ainda naquela época.
    Beijos, amei!

    ResponderExcluir
  6. Nas muralhas das antigas cidades havia pequenas aberturas ao rés do chão, fácilmente dfensáveis e que permitiam a passagem de pessoas .Como tinham a forma de um buraco de agulha é a esta impossibilidade de um camelo utilizá-las a que se refere a Biblia..

    Kurt Gillmeister - Santa cruz do Sul RS

    ResponderExcluir

Se você não tiver uma conta Google e quiser comentar: escreva na caixa, assine (para eu saber quem escreveu!) e escolha a opção "Anônimo". Pronto! Seu comentário aparecerá imediatamente no blog.