quinta-feira, 16 de junho de 2011

O draminha chatinho da vida privada.

Ando fuçando em alguns blogs. Nunca fiz isso, mas depois que inventei a moda quis conhececer outros. E descobri que tem muita gente que usa o espaço para falar da vida pessoal, tipo: "Fiquei horas no telefone, tentando convencer o meu convênio médico a liberar um exame que eu precisava para... blá, blá, blá".
Descreve detalhes do que a atendente respondeu, do que o médico pediu.
Tédio.
Aí vai a mesma coisa que eu disse sobre as redes sociais (post: "Como ser legal no Facebook"). Quem disse que a sua vida é diferente da vida dos outros? Quem nunca teve problemas com convênios médicos? Quem nunca teve problemas com entrega de produtos comprados na net? Todos nós, né?  E por quê, então, um pobre coitado precisa ler detalhes da situação vivida por um blogueiro?

Para não ser ególatra ao tentar socializar um assunto pessoal, seja pelo menos criativo. Como o cara que teve a guitarra quebrada pela United Airlines. Ele reclama com estilo e um refrão bonitinho que está há mais de um ano grudado no meu cérebro.




Se você não tem talento e nem amigos que topem pagar um mico desses, então eu tenho uma dica: Procon.

E as mães que tem um blog só para contar detalhes dos filhos? Tããããão chato! Quem, além das avós, se interessa por uma coisa daquelas? E será que as crianças, depois de adultos, perdoarão os pais por exporem suas mini vidas daquele jeito?

Aqui no blog eu cito situações mundanas que aconteceram comigo, sim, mas é só para dar impulso para entrar num assunto geral. E tomo o máximo de cuidado para não expôr ninguém e nem idolatrar meus filhos. Que, sim, são fofos e espertos, mas não precisam de confete.

Bom, falo tudo isso porque estava inundada de assuntos pessoais nos últimos dias. Sobrecarregada de coisas minhas e de mais ninguém. Portanto, não havia jeito de escrever num blog. Eu poderia escrever num diário, mas também estava sem paciência para isso.
E acho ótimo poder poupar o mundo dos meus assuntos pessoais.

Essa coisa de redes sociais, reality show, paparazzi, culto às celebridades faz com que nossa vidinha particular seja assunto para divagações coletivas.
Ficamos expostos num gigantesco aquário. E os assuntos realmente coletivos ficam em segundo plano, abandonados no meio das preocupações mundanas:
"Carolina Dieckmann é flagrada tomando sorvete com o filho." Flagrada???? Achava que flagra fosse coisa proibida do tipo: beijando um colega de elenco, cheirando cocaina no Leblon, tirando meleca do nariz...
"Maitê Proença vai à India se preparar espiritualmente para um grande amor."
Bah....

E nas redes sociais então? Uma mulher adulta, acorda, vai para o net e escreve: "Acordei malzinha." Prá que tanto diminutivo, meu Deus? E ainda coloca no fim aquelas carinhas que eu odeio!!!
Tipo: :ó( 
Aí todo mundo enche a mensagem de comentários: "O que foi????????"; "Tadinha..."; "Se precisar de mim estou aqui."... ai que cansativo!

Bom, resumindo, não faz meu estilo.
Portanto este espaço não é para contar notícias minhas e nem para descrever detalhes de histórias cansativas.
Por isso ele estava interrompido.
Mas agora..... we`re back!

"Yeah, baby, yeah!!"


Um comentário:

  1. Que bom que voltou, Cláudia! Fez falta seus escritos por aqui... Bjo.

    ResponderExcluir

Se você não tiver uma conta Google e quiser comentar: escreva na caixa, assine (para eu saber quem escreveu!) e escolha a opção "Anônimo". Pronto! Seu comentário aparecerá imediatamente no blog.