terça-feira, 27 de março de 2012

Oral B... bê

Só depois que temos filhos é que conseguimos entender Freud, uma vez que o sistema digestivo do bebê é a única coisa que ocupa o seu dia.
E o dia da sua pobre mãe.
Ou ele está mamando, ou ele está arrotando, ou vomitando, ou tendo cólicas, ou fazendo cocô ou sendo limpo. Fim da história. O resto é dormir para descansar. Um recém nascido nada mais é do que um cano com um intestino delicado e temperamental no meio. Um tubo onde a comida entra, é arrotada, digerida (com cólicas e muitos gases) e depois expulsa com sofrimento.
Pronto, isso é um bebê! Algo mais ou menos assim:


Com a diferença que em volta existe pele cheia de dobrinhas, dedos, cabelos e muita baba, resultando em algo paecido com...
hum, deixa eu procurar...
.... ah, assim:



Bom, a vida de um bebê e sua mãe seria mesmo muito chata se não houvesse algo embutido na rotina chamado: prazer. E aí começa a teoria Freudiana aonde a oralidade inaugura a libido deste pequeno ser. O Deus hedonista (se Deus existe mesmo ele deve ser bonzinho) pergunta:
-O que um bebê faz?
-Come.
-Só? Ok, então vamos colocar prazer na alimentação.
E desde então sugar dá prazer. Para o bebê e para a mãe!! Claro que não por obra de um deus, mas para incentivar o povo a se nutrir e permanecer vivo. É o famoso e bem menos fofo instinto de sobrevivência.
A pega, o encaixe perfeito com o mamilo, encher a boca de leite morno, colocar as bochechas para trabalhar, a respiração ofegante, o cheiro do leite, o cheio da mãe... um festival gastronômico várias vezes ao dia!!

Menú:
Entrada: colostro
Primo piatto: consomé de leite no peito direito.
Secondo piatto: peito esquerdo recheado de... leite.
Sobremesa: tapinha nas costas.



Toda a teoria do prazer oral, da relação erótica e incestuosa com a mãe, da inveja do pênis do pai... tudo começa a fazer sentido depois que viramos pais e acompanhamos o processo.
E depois ainda tem a evolução da energia erótica para as fases anal e genital.
-O que um menino de 2 anos precisa aprender a fazer?- pergunta Deus novamente.
-Cagar no lugar certo.
-Ok, então vamos colocar prazer nisso também.

Tudo muito compreensível.

Depois da famigerada fase anal, o prazer então migra para os genitais e aí é um tal de menino com a mão dentro da cueca, menininhas distraídas se esfregando no sofá, uma festa!!
Quando isso termina, as crianças passam por um período de latência onde a sexualidade fica adormecida. Começa lá pelos 8 anos e vai até os 11. É aquela idade onde a molecada não gosta de brincar com o sexo oposto, fogem dos banhos, são desajeitados, relaxados com a aparência e muito preguiçosos.
E então a libido, como um dragão adormecido, desperta com força total na puberdade.
E para aqueles que suportaram a fase apática e sem graça da pré-adolescência latente, a natureza criou um combo promocional, igual aos lanches do Mc Donalds: descubra o sexo e ganhe, junto, os prazeres oral, anal e...genital! Promoção, pague 1 e leve 3!!!
Ou seja, chegando nesta fase da sexualidade já adulta você reencontra todas as outras velhas conhecidas e, agora, reinventa moda com elas.

"Sou contra a moda que não dure. É o meu lado masculino.
Não consigo imaginar que se jogue uma roupa fora, só porque é primavera." 
 (Coco Chanel)

Sacanagem mesmo. Ninguém precisa jogar nada fora na moda do sexo.

Mas, independentemente da atividade sexual, é preciso lembrar que o prazer oral, por si só, continua por toda a vida. E, para algumas pessoas, o anal também. Infelizmente existe gente adulta e civilizada que adora contar as últimas novidades escatológicas do banheiro. Têm orgulho e prazer em relatar detalhes, gostam de se exibir quanto a tamanho e quantidade ou descever as frustrações de um intestino preso.
Bah! Fujo desse povo como o diabo da cruz.

Por outro lado acho o máximo pessoas que cultivam a oralidade como um prazer tão ou mais importante do que o sexo em si. Pessoas que se alimentam eroticamente. Gente que sabe despertar todas as papilas gustativas e coloca a libido a postos para o momento de comer.
Tão bom cozinhar para essas pessoas!
Tenho um filho que é assim: um gourmet. Geme, suspira e sorri sozinho ao comer, e encara as refeições como o melhor momento do dia. Manipula o alimento com as mãos como um selvagem e sempre sai sujo da mesa. Dá até dó de brigar com ele.

Tenho certeza absoluta (apesar de não conseguir provar) que o apetite sexual está intimamente ligado ao apetite por comida. Por isso as moças gulosas são tão atraentes e as inapetentes não entusiasmam. E ainda poderia arriscar dizer que pessoas que tem um gosto por alimentos exóticos são excêntricas justamente por provocar fantasias sexuais naqueles que os assistem comerem.
Por exemplo, acho admirável uma mulher que encara uma dobradinha com amor. Que tem xiliques ao descobrir novas pimentas. Que come todas as espécies de ovas que o povo abandona no festival de sushi. Que sugam tubos e ventosas dos frutos do mar com uma alegria lúdica. Que chupam maracujás azedos direto da casca. Que ficam felizes por experimentar novidades gastronômicas e tem um leque sempre amplo de preferências alimentares. Lindo demais!

Tem uma mocinha num pograma do Discovery Travel & Living que eu acho que foi contratada só pelo prazer que ela demonstra em comer TUDO o que lhe oferecem nas viagens, sem nojo nem preconceito. A menina manda bem. São as cenas mais sensuais que eu já assisti numa TV a cabo. Acho o máximo!
Nigella Lawson idem. Que delícia assitir aquela mulher comendo com as mãos e fazendo biquinho. Tenho certeza absoluta que pessoas assim tem uma vida sexual feliz.
Imagina que frustrante o cara inventar uma brincadeira suuuuper divertida com uma... gema de ovo... e a namorada dele dizer: "Eca, que nojo, vai sujar o meu vestido branco!!!" . Muito decepcionante.







Teria pavor em ser casada com um homem com sérias restrições alimentares. Conheci gente assim: não come cebola, não tolera laticínios, tem azia com tudo, não gosta de vegetais (nenhum!!!), não come carne sangrando, tem medo dos espinhos dos peixes, separa a salsinha no canto do prato... chato prá caramba! Vai num restaurante e fica investigando junto ao garçom os ingredientes do prato, obrigando o coitado a ir e voltar mil vezes à cozinha para perguntar ao chef... um inferno! Almoço perfeito para este tipo de gente é arroz (sem alho aparecendo), feijão, bife bem passado e batata frita. E nuggets!! De preferência em casa.
Tédio. Fala a verdade, você acha um homem desses atraente? Eu não. Acredito piamente que o comportamento gastronômico do cara diz muito sobre o desempenho dele entre 4 paredes.

Bom, resumindo, a energia erótica da oralidade acompanha a nossa existência e é muita sacanagem a gente não honrar ela de acordo. Desde o nascimento os bebês nos ensinam que isso é muito importante para a alegria e o prazer de viver.
E tenho dito.

"Eu me desenvolvo e evoluo com meu filho.
Eu me desenvolvo e evoluo com meu pai."
 (Marcelo D2, o sábio)


E, com isso, provamos que Mc Donalds acerta mais uma vez no marketing:

AMO MUITO TUDO ISSO



5 comentários:

  1. (para eu saber quem escreveu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo, anônimo: asssine para eu saber quem escreveu e escreva algo para eu entender O QUE escreveram!!!!

      Excluir
  2. O programa "Nigella Bites" recebeu o apelido na Inglaterra de "Nigella Swallows".

    ResponderExcluir
  3. Olá Claudia, quem me apresentou o seu blog foi a Inaie e já de cara gostei dos seus textos. Super gostosos de ler. ;)
    Parabéns!

    Achei que estivesse na hora de me conhecer também. ;)

    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cora! Também acho que já estava na hora de eu conhecer alguém desconhecido que lê este blog. Adoro desconhecidos! São bem mais sinceros e despretensiosos, rsrs. Obrigada pelo elogio e pelo prestígio, para mim isso é muito especial. Bjs

      Excluir

Se você não tiver uma conta Google e quiser comentar: escreva na caixa, assine (para eu saber quem escreveu!) e escolha a opção "Anônimo". Pronto! Seu comentário aparecerá imediatamente no blog.