domingo, 18 de março de 2012

El Pelo Largo

Decidi deixar o meu cabelo crescer. Talvez seja a última vez que faço isso antes de ficar velha, porque velha com cabelo comprimdo é muito, muito sinistro.
E sempre que deixo o meu cabelo crescer me dou conta de que existe um manual para a coisa.
Aqui vai ele:

Sobre os cuidados:
Nós, mulheres de cabelo comprido, não nos importamos com o corte. A forma não é importante, por isso podemos, sim, economizar na escolha do cabeleireiro. O que nos preocupa é a textura, e vale dizer que a textura nunca é suficientemente boa. O brilho, o balanço e a maciez do fio nunca é bom como deveria ser e, portanto, temos o direto de gastar muito em produtos para tentar atingir a perfeição.

Nós, mulheres de cabelo comprido, temos o direito de denunciar à uma corregedoria os cabeleireiros que não sabem contar os dedos que deverão ser aparados. São sempre pouquíssimos dedos a serem podados, (no máximo dois!), mas eles ignoram por completo o pedido e fazem um estrago danado na nossa auto estima. Uns idiotas!! Deveríamos ter o direito de amputar em suas ricas mãos a quantidade de dedos extrapolados na operação "cortar as pontinhas". Em geral são gays que tem inveja do nosso incrível poder de sedução. Gays nunca acham que as clientes tem razão! Por isso, Celso Kamura é o únco cabeleireiro gay confiável. Ele sabe a falta que faz cada milímetro das nossas células mortas queratinizadas.

Nós, mulheres de cabelo comprido, temos o privilégio de um passatempo exclusivo: procurar por pontas duplas. Podemos fazer isso na TV, na praia ou mesmo num bate papo informal. É mesmo uma delícia! As mais sensatas fazem isso munidas de uma tesoura para ir cortando o mal pelas... pontas. As insanas, porém, não resistem ao desejo de puxar as duas pontas e, assim, terminam de repartir o fio bifurcado, destruindo não apenas as extremidades mas todo o fio de cabelo que fica ralo e... enrolado!!!!!!!!!!!!!!!!  Por isso, antes de se casar com uma mulher de cabelo comprido (são as melhores, trust me) saiba diferenciar as sensatas das insanas simplesmente observando a maneira dela lidar com as suas pontas duplas. E, esquece, mulher sem ponta dupla não existe!!!

Sobre a queda:
Nós, mulheres de cabelo comprido, não deveríamos nunca ouvir reclamações sobre a quantidade de cabelo caidos pelo lar.  E temos ainda o direito de, como loucas, catar um por um e contá-los diariamente para responder ao dermatologista quantos fios perdemos num dia. Sim, porque nós com certeza iremos ao dermatologista algum dia por conta da nossa queda de cabelos e ele sempre perguntará pela quantidade perdida. Esta resposta é importantíssima!

Nós, mulheres de cabelo comprido, temos consciência que infernizamos a vida do próximo com nossos longos fios espalhados pela casa: no chão do banheiro, banco do carro, ralo do chuveiro, na boca do parceiro, nas comidas... é mesmo um inferno. Mas saiba que, para nós, esta situação é ainda mais irritante porque eles se enroscam em nossos braços e criamos, então, o cacoete de passar a nossa existência levantando o braço para tirar fios imaginários que sempre acreditamos que estão por lá. Nos sentimos paranóicas e perseguidas pelos tais fios inexistentes, como se fosse o início de uma grave doença mental. Triste mesmo.

Nós, mulheres de cabelo comprido, temos o direito de tirar um fio solto e jogá-lo no chão sem culpa e nem vergonha. E isso pode acontecer em restaurantes, casa de amigos ou mesmo na cama do namorado. Não podemos nos dar ao luxo de levantarmos para depositar nossos fios suicidas em um cesto de lixo. São 100 fios por dia e ainda (por incrível que pareça) temos uma vida para tocar!!! Poxa vida, tentem se colocar no nosso lugar! O mundo precisava compreender isso ao invés de nos condenar. Todos suportam pelos de gatos e cachorros nos sofás, mas rejeitam nossos fios caprichosamente hidratados. Nossa vida não é fácil.

Nós, mulheres de cabelo comprido, sofremos de um mal crônico: depois que lavamos a nossa cabeleira precisamos recolher os fios que caem no interior do nosso... bumbum. Sim, é verdade. Ao final do banho precisamos, com muito cuidado, retirar o bolo de cabelo que escorrega por entre o dorso ensaboado e acaba se depositando num compartimento secreto lá dentro, como um lindo novelo de lã. Não se envergonhe, amiga, caso isso aconteça com você. Descobri há pouco tempo que é uma constante. Mas, ó, nunca se esqueça de retirar, tá?

E tem mais: nós, mulheres de cabelo comprido, temos o direito de ficarmos estressadas com esta queda de cabelo que, para nós, é sempre exagerada. Claro que temos consciência que nunca ficaremos calvas (tem que haver algo de bom em nascer mulher, né?), mas o que nos incomoda são os cabelinhos novos que vão nascendo e piorando em muito o efeito "frizz" que nos deixa intimidada ao sentarmos contra a luz do luar. Sim, pensamos nisso num jantar romântico. Por favor ofereça à gente a cadeira de frente para a luz, ok? E nada de velas!!


Sobre os aspectos emocionais:
Nós, mulheres de cabelo comprido, achamos, sim, que nossos cabelos são um importantíssimo órgão que pode e deve ser usado numa relação sexual. Um homem que sabe disso e conhece os comandos de pressão e inclinação para o "senta", "deita" e "morta", consegue bastante.

Nós, mulheres de cabelo comprido, concordamos que Marilyn Monroe era a mulher mais sexy que já existiu na tela do cinema, mas acreditamos piamente que, se o cabelo dela fosse comprido, ela não não teria se matado. Idem com Elis Regina. Cabelos compridos dão segurança e trazem felicidade. Nos sentimos constantemente com as "costas quentes", protegidas, e aí nada nos aflige. É o equivalente a muitos anos de terapia!

Sim, é a mais pura verdade: nós, acreditamos que somos mais atraentes com o cabelo comprido. Na nossa teoria, as mulheres de cabelos curtos querem apenas se auto afirmar desprovidas de vaidade para conquistar o mercado de trabalho. Um homem que diz que gosta de uma nuca aparente, com certeza tem tendências homoafetivas. Não há nada de atraente num cabelo curto e todos nós sabemos disso, mas espalhar esta informação aos quatro ventos seria ir contra a ridícula conquista feminia de escolha. Achamos este movimento ultra cafona e desnecessário, mas não podemos mudar o mundo, não é?

Nós, mulheres de cabelo comprido, odiamos com ódio mortal gente que insinua que precisamos cortar um pouco os nossos fios. Gente que fala que parecemos crente, pobre ou o Primo It da família Adams entra automaticamente para a nossa lista negra. E odiamos também pessoas que teimam em recolher nossos longos fios dos nossos próprios casacos de lã e agasalhos pretos, achando que estão ajudando!!!  A estas pessoas eu poderia dizer:
-Pode deixar, não tem problema. Não me incomodo com os meus fios perdidos. Eles caem naturalmente, não por doença ou estresse. Meu deramatologista disse que estou muito saudável, ao contrário de certas pessoas que invejam os cabelos dos outros e transformam o recalque num... Transtorno Obsessivo Compulsivo.   

Por fim, nós mulheres de cabelo comprido, amamos o filme "Enrolados" da Disney. Pela linda trança dourada da princesa, pela sua habilidade no manejo do cabelo, mas principalmente pelo final que tem como moral:
"Se o seu cabelo for longo ele será o seu poder de sedução e de cura. Mas se for curto, você precisará chorar para conquistar o que deseja!!!"


Hahahah, juro! No ínício do filme os fios dourados tinham poder, mas quando foram cortados eles, além de ficarem... marrons... perderam também a capacidade de fazer mágica. E, desde então, só com lágrimas a mocinha conseguia milagres! Disney, há 84 anos definindo padrões femininos. E sempre impondo longas cabeleiras à meninada... graças a Deus!


PS: tudo é bobagem, ok??? Foi só uma necessidade de honrar meus longos cabelos loiros sendo fútil e tola. Pronto, já passou. Vou ler Proust agora.

8 comentários:

  1. Eu estava ate cogitando deixar meus cabelos crescerem...ate chegar na parte do cabelo no bumbum...desisti geral! To foooora

    ResponderExcluir
  2. O bom de ter cabelos longos e bem cuidados é ver as pessoas o admira-lo, é se olhar no espelho e se sentir mais bonita.
    ... Não sei oque faria sem os meus longos cabelos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, anônima, vc me fez sentir agora bem menos fútil e rasa!! Obrigada por isso!

      Excluir
    2. Cada um sabe onde está seu charme.

      Excluir
  3. O melhor é o conselho da ponta dupla, dirigido aos homens.
    Primeiro: "ponta-o-que????"
    Segundo: Eles não vão passar do primeiro parágrafo deste post, é só pra diretoria kkkkkk.

    ResponderExcluir
  4. Clau, vc é genial, tanto para assuntos profundos quanto para os rasos...amei amei amei!
    Eu também ando numa fase rapunzel, deixando o cabelo crescer!
    Bis,
    Lu S.

    ResponderExcluir
  5. Muito pelo contrário, tem que ser muito bonita e ser muito mulher para ter cabelos curtos... Os homens gostam sim, e, o preconceito é das mulheres... Tenho sido mais admirada pelos homens quando uso meus cabelos curtos... Incrível, né?? E surpreendente...

    ResponderExcluir
  6. Concordo com você, dona anônima, claro! Isso era apenas brincadeira e uma maneira de falar bobagem. Não penso nada disso. Eu também acho lindas as mulheres de cabelos curtos. E a grande maioria dos homens, idem.

    ResponderExcluir

Se você não tiver uma conta Google e quiser comentar: escreva na caixa, assine (para eu saber quem escreveu!) e escolha a opção "Anônimo". Pronto! Seu comentário aparecerá imediatamente no blog.