segunda-feira, 5 de março de 2012

Tudo Métrica e Rima.

Vocês já viram o filme "O Feitiço de Áquila"?
É assim: uma maldição danada separou para sempre um casal apaixonado. Durante a noite ela é uma lindíssima mulher, mas quando o Sol nasce é condenada a se transformar em uma águia. De noite retoma a sua identidade humana, mas, por uma enorme sacanagem, nesta mesma hora o seu amado vira um lobo. Bom, resumindo: desta forma eles só podem beijar e se abraçar por poucos segundos no dia.
E estão condenados a ficar separados para resto da vida.

-Puxa, mas que cilada o amor me armou!!
Dois animais. Um diúrno outro noturno. Um mamífero e, o outro, uma ave. Um terrestre e outro aéreo.
Com isso Ladyhawke está sempre acompanhada pelo amante lobo durante a noite e o capitão Etienne Navarre cavalga carregando a águia no ombro.
Bom, talvez eles até consigam fazer alguma coisa na calada da noite, mas de dia fica mesmo difícil. A não ser que ele seja um louco pervertido.
Quer dizer, estão sempre juntos... mas não do jeito que gostariam.

E eu odeio quando as coisas não são do jeito que gostamos.



-Caraca, mas que cilada o amor me armou!!
 Existem outros filmes que falam também sobre casais com os destinos fora do eixo. O que eu mais me lembro agora é "Em algum lugar do passado" onde o Superman se apaixona pela moça do retrato que viveu no passado. Sempre com a fatídica musica ao fundo.
Acho a maior maldade!!!
O desencontro... e a musiquinha chata!!!
Pior do que isso só "Irmão Sol, Irmã Lua" onde a mulher cometeu a insanidade de se apaixonar por São Francisco de Assis!!!!!
E em "O estranho caso de Benjamin Button" eles vão na contramão do tempo. Enquanto ela envelhece, ele vira neném. Bom, pelo menos eles se amaram decentemente no meio do caminho.

Não dá raiva desses desencontros da vida? Justo quando você volta para a sua cidade o cara resolve se mudar do país. Ele se separa no mês que você casa. Ou vocês se apaixonam quando já é tarde demais.
Odeio.

E Caetano Veloso descreve os descompassos do amor de forma linda, porém irritante, na música abaixo. Sim, a vida é real e, na maioria das vezes, de viés!!!!
Eu sempre soube "O Quereres" de cor. Não sei porque usamos importantes áreas corticias decorando bobagens. E o Ciclo de Krebs, que é bom... nada!

De acordo com a música, onde o parceiro quer massagem, vc é:
a) shiatsu
b) tatame
c) mãos
d) TPM
e) óleos essenciais

Onde o parceiro quer sonhos, vc é:
a) travesseiro
b) silêncio
c) Kurosawa
d) pernilongo
e) Rivotril

E a resposta, para Caetano, é sempre "D".


"Eu queria querer-te amar o amor
Construir-nos dulcíssima prisão
Encontrar a mais justa adequação
Tudo métrica e rima e nunca dor
Mas a vida é real e é de viés
E vê só que cilada o amor me armou..."

Vejam o vídeo abaixo.
Hahaha, minha área cortical funciona melhor que a do Chico Buarque!!
E enquanto escutam a música, acompanhem as respostas que facilitam o encontro ao invés de serem obstáculos.

PS: essa versão é muito ruim, mas não há outra decente no Youtube. Sorry. 
Caetano tirou as dele de lá (verdade!) e as editadas por gente cafona eu estou dispensando.

-Isto é uma arma atrás de você ou você está feliz por me ver?


O quereses
Onde queres revólver, sou Nikita
E onde queres dinheiro, Athina Onassis
Onde queres descanso, uma rede
E onde sou só desejo, queres tudo
E onde não queres nada, vou nadar
E onde voas bem alto, eu sou a águia
E onde pisas o chão, sou Havaianas
Que te protege do calor da estrada.


-Mas você sabe mesmo montar e segurar a crina??
-Errr, bemmm...
-Vixi, cowboy tímido.

Onde queres família, estou fértil
E onde queres romântico, sei chorar
Onde queres Leblon, sou Manuel Carlos
E onde queres eunuco, "Farinelli"
Onde queres o sim e o não, depende
E onde vês, eu enxergo com você
Onde o queres o lobo, eu sei uivar
E onde queres cowboy, eu sou o... Woody.
Onde queres o ato, eu sou atleta
E onde queres ternura, cafuné
Onde queres o livre, liberal
E onde buscas o anjo, sou Win Wenders
Onde queres prazer, eu sei te dar
E onde queres tortura, eu sei também
Onde queres um lar, sofá e TV
E onde queres bandido, Bonnie Parker

Onde queres comício, eu sou Maluf
E onde queres romance, rock n roll
(Essa resposta permanece. Será que Caetano não sabe que os metaleiros também amam??)
Onde queres a lua, Apollo 11
E onde a pura natura, eu sou tofú
Onde queres mistério, eu sou mulher
E onde queres um canto, escaleno
Onde queres quaresma, bacalhau
E onde queres coqueiro, Itapuã.


Tão mais fácil, né? Prá que complicar?
Eu sou legal. Sou como Tim Maia: quero o povo...JUNTINHO!!

"Eu e você, você e eu...juntinho"
(Tim Maia)


Para que, juntinhos, aconteçam então todos os outros problemas.
Hahahah, pensou que era fácil?
Mas aí é uma outra história que deve ser contada em outro lugar...

Vocês se lembram de quais outros filmes sobre os desencontros do amor?

10 comentários:

  1. Adorei tuuuudo!! Menos o Maluf!! Argh, eca, plect, pluct!
    Também sou do teu time, neguinha, das velhas e boas alcoviteiras, casamenteiras! Ainda bem que elas existem! Ainda bem que a gente persiste!!
    VIVA O AMOR, JUNTINHOOOOO!!!!
    Até sexta, xuxu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maluf é fim de carreira, mas para quem quer comício ele é perfeitinho.

      Excluir
  2. Se eu lembro de outros filmes com desencontros amorosos? Uai, quase todos os dramas e comédias românticas, desde Casablanca até os filmes com a Meg Ryan hahah Mas sobre o timing tem um que eu adoro, que é o Serendipity (Escrito nas Estrelas, aqui). Já viu esse? Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. adoro esse filme, Silvia e também lembrei dele, mas já havia falado dele aqui no blog antes:http://brasilicus.blogspot.com/2011/03/havia-um-anjo-no-meio-do-caminho.html
      É vc tem razão, os desencontros do amor são o tema central da indústria cinematográfica, mas no "The End" eles sempre terminam juntos. Os da Meg Ryan principalmente! O difícil dos filmes acima é o final triste. Lembrei também do fim do Casablanca (tristeeeee) e do maravilhoso "O Amante"... lembra desse?

      Excluir
    2. Lembro sim! Mas vem cá, o Feitiço de Áquila tem final feliz ;)

      Excluir
  3. Toda verdadeira história de amor (romântico, veja bem) é feita de desencontros. "Romeu e Julieta", veja só, e até o "nosso" "Um dia" fala de desencontros. Acredito que há todo um encantamento pelo amor que não se concretizou ou que, por alguma razão, foi "abortado" no meio do caminho. Bjos, Clau.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Le, ontem li na revistinha da Mônica: Por quê as coisas que perdemos sempre se encontram no último lugar em que procuramos?? Dããã, porque se estivesse no segundo lugar que procuramos, o segundo lugar seria o último!!
      A lógica do amor é essa também: por quê o melhor amor é sempre aquele que não deu certo?? Justamente por não ter dado certo e não ter dado tempo de mostrar os problemas!
      Ou não... nem sei. Bjs e saudades de você

      Excluir
    2. Lembrei sabe de qual filme? "O segredo de Brokeback Montain". Chorei litros assistindo. Morri de pena dos meninos. Para um deles, a vivência daquele amor era impossível. Bjinhos, saudades tb!

      Excluir
  4. Nao e' bem um filme de desencontros do amor, mas um personagem que vive eternamente desencontrado. E' a Rogue, do X-Men. A Rogue e' um dos meus super herois favoritos, nao somente por ser um piteu e por ter aquele invejavel talento de poder causar dor nas pessoas somente pelo toque. O lado ruim disso e' que ela vive num eterno desencontro, pois jamais podera' tocar, beijar, abraçar, a pessoa que ama....E' um destino terrivel...

    ResponderExcluir
  5. Um outro desencontro amoroso dos mais famosos nao e' de bem de filme, se bem que tem um belo filme (Stealing Heaven) sobre essa historia real. E' o casal Abelard & Heloise. Ele tomou o habito de monge, emasculado pela castracao fisica a que foi submetido por ter "seduzido" Heloise. E ela se recolheu a um convento tambem. Amavam-se por cartas...
    ...
    Que sina ter sido personagem de tamanha tragedia.....................................................e que privilegio ter sido protagonista de tao grande amor......

    ResponderExcluir

Se você não tiver uma conta Google e quiser comentar: escreva na caixa, assine (para eu saber quem escreveu!) e escolha a opção "Anônimo". Pronto! Seu comentário aparecerá imediatamente no blog.