terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

A Escolha da Sofia



Ontem recebi um telefonema de manhã bem cedo. Era a Sofia nos convidando para o seu aniversário de 7 anos. E ela logo avisou: vai ser da Hello Kitty!
Sofia é uma amiga do meu filho que mora aqui na cidade onde vivemos. Compramos os presentes, nos arrumamos e, de noite, fomos à festa amorosamente preparada pela família da menina.

Aqui na região, depois do "Parabéns prá você" as crianças não tem o hábito de cantar "E prá Sofia nada? Tudo! Então como é que é? É!!!! É pique, é pique..." etc e tal.
Aqui não tem isso. Já dei alguns foras iniciando a gritaria sem obter respostas do público. Aqui também não tem a brincadeira de fazer um pedido no momento de cortar o bolo. Minúcias interessantes nas diferenças culturais do nosso pais grandalhão.

Mas aqui todos aguardam ansiosamente por dois momentos na hora do parabéns:
1- A resposta do "Com quem será? Com quem será? Com quem será que a Sofia vai casar????"
E na festa de ontem, no escuro do parabéns, fui surpreendida por uma resposta em coro de toda a família e amigos da menina: "É com ninguém! É com ninguém! É com niguém que a Sofia vai casar!!". Alto e forte, como se já tivessem planejado a resposta em segredo e estivessem ansiosos para revelar o combinado.
"O que eu quero? Sossego."
(Tim Maia)
Sorri sozinha.
Sofia tem mesmo este lema: não vai se casar e nem ter filhos quando crescer. Diz isso o tempo todo, gesticulando as mãozinhas morenas e dizendo de um jeito afetado e agudo:
-Deus me livre ter filhos!!! Eu quero sossego!!!!!!!!!! SOSSEGO!!!
Sim, foi-se o tempo que as fãs da Hello Kitty eram garotinhas românticas e tranquilas. Hoje são mulherzinhas estressadas que aos 7 anos já anseiam por, apenas, uma vida sossegada .



E aqui vai o outro momento esperado nos aniversários do interior de Minas Gerais:
2- A hora da criança decidir de quem vai ser o primeiro pedaço do bolo.
E ontem esta escolha foi bem estressante.
TODA a população adulta da festa era formada de parentes e todas as crianças eram priminhos ou vizinhos das casas ao lado. Eu e meus dois filhos éramos os únicos "estrangeiros" da casa. Apesar de oficialmente convidados, éramos bicos numa reunião familiar.

-O primeiro pedaço é meu!!!
-Não, é meu!
-Eu que mereço mais!!
Bom, Sofia tem duas irmãs adolescentes que encheram os balões e arrumaram a festa. Tem uma mãe fofa que fez o bolo e todas as comidas. Tem um pai ultra alegre e bem humorado que peregrinou na cidade procurando por... pães para o cachorro quente (rsrsr, vocês não tem idéia da cidade onde eu vivo!!!). Tem duas avós que largaram suas rotinas noturnas de senhoras velhas para prestigiarem a neta. Tem madrinha e padrinho. Tem tias que colaboraram com a festa: uma fez o pão de queijo, outra fez os brigadeiros e uma terceira trouxe as Hello Kittys de outra cidade para decorar as paredes (eu falo que fazer festa aqui é difícil!!!). E, por fim, tinha uma fileira de amiguinhas e primas com vestidos bem passados e lindos sorrisos banguelas. Todas ansiosas pelo posto de melhor amiga e merecedora do primeiro pedaço do bolo.
E agora??? A quem agradar? E como lidar com a frustração inevitável de todos os outros preteridos?



O clima foi tenso. Juro.
Demorou uns 5 minutos para a pequena Sofia se decidir. Nos primeiros minutos houveram gritos brincalhões do pai, das irmãs e das amigas exigindo o primeiro pedaço para si e se vangloriando de tudo o já que fizeram pela menina. Depois ouvimos as tias acalmando a aniversariante, lembrando-a que ela poderia escolher quem ela quisesse e que elas juravam que não haveria problema. Mas aí aconteceu um silêncio longo onde os olhinhos da Sofia se encheram de lágrimas. A mãe, percebendo o sofrimento da filha, iniciou um cafuné em sua nuca suada e infantil, morrendo de dó ao assistir a filha resolver, publicamente, talvez o primeiro grande dilema da sua vida.

Pronto. Meu cérebro cheio de sinapses que trabalham em momentos inapropriados já logo lembrou do filme onde uma outra Sofia tem poucos segundos para também escolher a quem agradar e a quem sacrificar. Dilema light, coisa tranquila: qual filho será levado ao campo de concentração nazista e qual será salvo junto com ela?
-Não me faça escolher. Eu não posso!!- grita Meryl Streep.
-Cale a boca, basta! Eu disse para você escolher!!! Se você não escolher eu levo os dois.
E, estranhamente, Maryl Streep entrega ao guarda uma loirinha de 3 anos que estava em seu colo (essa aí da foto), seguindo a sua viagem apenas com o filho de uns 6 anos de idade.
E a dúvida que assombrou o público na época foi: Por que ela entregou justamente a menina? Quais foram os critérios que ela usou nesta rápida tomada de decisão?
Ninguém nunca respondeu. Não há respostas para um drama desta intensidade.

E a pequena Sofia de ontem, antes mesmo de fazer 7 anos, também já aprendeu que a vida é feita de escolhas difíceis. E mais do que isso: desagradar aos outros, apesar de inevitável, é sempre dolorido e nos enche de culpa.
Bom, depois de muito pensar, Sofia finalmente fez a sua escolha:
-O primeiro pedaço vai para a Tia Cláudia.
Todos procuravam. A tal Tia Claudia era eu.

Hahahahah, eu ganhei o tal prêmio. Eu!!! A única pessoa neutra da festa inteira. A única a quem ela não precisava agradar.
Ninguém entendeu. Só eu. Minha querida Sofia honrou o nome que recebeu no dia em que nasceu, se enchendo de sabedoria ao optar por não escolher ninguém.
Privilégio que Meryl Streep não teve...

Mas hoje eu precisava contar esta história porque, ao receber a fatia do bolo de chocolate da Hello Kitty, a pequena Sofia satisfez um desejo infantil que eu, sem nunca nem desconfiar, carregava dentro de mim: ganhar o primeiro pedaço de um bolo.
A história me fez dormir feliz ontem a noite. Descobri, sorrindo na cama, que todos nós precisamos nos sentir especiais uma vez na vida e deve ser muito triste a gente passar a existência sem nunca receber o primeiro pedaço de algum bolo. Ou nunca ser homenageada. Ou nunca ser amada. De preferência em público, para que todos saibam que você é mesmo especial.


Todos os dias meu filho mais novo senta no meu colo e me pergunta: "Quem é o seu filho mais bonito? Qual filho você ama mais?". Minhas respostas são sempre vagas e bem humoradas. Finjo que não levo a sério a dúvida dele e, por ter dois filhos, pensava que eu nunca poderia responder o que ele deseja ouvir.
E o que ele quer é o primeiro pedaço do meu bolo.
Tadinho...
Mas depois de ontem, minha meta agora vai ser contar aos dois que, cada um deles é o único filho amado que eu tenho. Ah, e é o mais bonito também! Preciso afirmar isso com verdade na voz, no olhar e no coração. Sem margem para dúvidas. Ambos merecem. Ambos precisam ouvir isso de mim pelo menos uma vez na vida.
Mas como dizer isso sem que nenhum dos dois se frustre? Como resolver este dilema???
Vou ter que pedir ajuda à minha pequena e sábia amiga Sofia...

7 comentários:

  1. esses dias estou conseguindo ter um tempo para ler seus textos no momento que vc posta.... tenho uma proposta.... VAMOS EDITAR O PRIMEIRO ANO DO SEU BLOG JUNTAS?? Eu me encarrego de fazer as fotos. Os filmes serão impossíveis, mas vamos fazer este projeto em 2012?? Que acha?! Minha fantasia é ser ecritora!!! KKKK Ah e já ganhei meu primeiro pedaço de bolo mais de uma vez, será que é por isso que sou bem resolvida?! KKKKKK Bjs Má

    ResponderExcluir
  2. Ah, que lindo, Claudinha!
    Tem toda a razão :)
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Claudinha,
    eu gostei muito do seu texto. Realmente nas pequenas coisas da vida se jogam grandes questões, como vc ilustrou. Aqui em casa, minha filha mais nova fez 6 anos. Bjo, Patricia.

    ResponderExcluir
  4. A Anita passou a vida esperando ouvir que e a mais amada. Mas como amar um filho mais que o outro?

    ResponderExcluir
  5. Não é a toa que Sofia significa sabedoria! Eu já ganhei um pedaço de bolo, pelo que eu lembre foi só uma vez, eu tinha uns dez anos.

    ResponderExcluir
  6. Clau, que coisa mais linda! E que Sofia sábia mesmo!!! Parabéns pelo seu bolo, rsssss, e pelo texto com uma análise tão verdadeira! Eu costumo brincar com minha mãe dizendo que tenho certeza que eu é que seria sua escolha de Sofia, kkkkk,
    Bj,Lu

    ResponderExcluir
  7. Infelizmente existe uma generosidade nao justificada na hora de distribuir os pedaços de bolo. O primeiro pedaço vai sempre pra pessoa que esta' sentada mais longe. Que ficou conversando com outros desinteressados ali no terraço e nem foi cantar parabens... Os que estiveram ali do lado do aniversariante o tempo todo, cantando parabens, dividindo todos os momentos de risos e lagrimas, esses ficam cortando o bolo pra todos os outros e sao os ultimos a comer.

    ResponderExcluir

Se você não tiver uma conta Google e quiser comentar: escreva na caixa, assine (para eu saber quem escreveu!) e escolha a opção "Anônimo". Pronto! Seu comentário aparecerá imediatamente no blog.