terça-feira, 25 de outubro de 2011

I WANT YOU!


Meu avô tem 90 anos e não tem email e nem celular, mas ninguém obriga ele a ter.
Meu sogro tem 60 anos e também não tem nenhuma das duas coisas, e todo mundo fica puto da vida com ele por causa disso!!! É um absurdo ele viajar de carro, sozinho, e ninguém conseguir acessá-lo na estrada simplesmente porque ele não tem celular. Os seus amigos dizem: "Dá o seu email para eu lhe mandar as nossas fotos.", mas o meu sogro sorri e diz que não tem.
E o povo fica chocado.
Bom, ele também não tem Facebook, mas ninguém exige isso dele.
Minha amiga tem 40 anos. Tem celular e email (claro!), mas não tem Facebook. E todo mundo fica bravo com ela por causa disso!

Conclusão:
  • Se você nasceu depois de 1901 você precisa, obrigatoriamente, ter certidão de nascimento.
  • Se você nasceu depois de 1921 você precisa ter telefone celular (de preferência também precisa saber usar e deixar carregado fora da gaveta!).
  • Se você nasceu depois de 1951 você precisa ter email. É uma exigência profissional e social e vc precisa cumprir.
  • E se você nasceu depois de 1961 você, obrigatoriamente, precisa ter Facebook.

Entenderam?
Não é uma questão de filosofia de vida. Não é uma questão de ter ou não ter tempo livre para a rede social.
Tem que ter e ponto final. Igual RG, igual CPF.
É de graça, não é difícil de abrir uma conta e não dói nada. Dica: se você tiver alguma dificuldade para entrar, peça ajuda para o seu sobrinho de 7 anos.

Mas é incrível como tem gente jovem que ainda não entendeu esta exigência moderna. Tenho 4 super amigas que não estão no Face e nunca nem entraram para ver como a coisa azul funciona.
Elas (engraçado isso!) não se sentem... obrigadas!!!! Acham que é uma escolha. Que elas tem todo o direito de se excluirem do movimento Facebuquístico.
E agora eu lhes digo:
-Não, este é um direito que vocês NÃO TEM, ouviram?
Quem mandou viver na atualidade?

Há uma festa sendo organizada neste exato momento entre 40 amigos meus que moram em cidades e até países diferentes. Pessoas da minha idade.
Metade da festa estava sendo organizada via email (chato!!!!!) e a outra metade via Facebook. O povo que não tinha Facebook (existe isso, eu conheço!) se sentiu excluido e reclamou. Exigiu que o email fosse a única forma de comunicação para que a coisa fosse compartilhada entre todos, democraticamente.
Bom, analisando a queixa deles posso dizer sem sombra de dúvida: eles estão errados e não podem reclamar.

Quem tem menos de 50 anos e não está no Facebook está em dívida com os seus parceiros de vida e não cumpre uma exigência da modernidade.
Email é uma forma de organização para excursões da terceira idade. Se bem que acho que até eles se ofenderiam ao me ouvir falando assim.


-Levanta a mão quem aí tem Facebook???

Ops, foi mal.

A geração que passou a infância ouvindo Balão Mágico e dançando música lenta nos bailinhos das garagens não pode mais organizar uma festa por email. Tem que criar um grupo privado no Facebook, inserir os convidados no grupo e, então, começar a troca de opiniões sobre data e local.
Tãããão mais fácil para os organizadores.

Fui este mês num evento familiar (enterro é evento? é, né?) onde revi pessoas queridas que eu não via há muito tempo. Na hora da despedida não houve troca de telefones e muito menos de email.
O papo agora é assim:
-Qual é o seu nome no Facebook? A sua foto tá no perfil? Ah, então tá, Claudinha, vai ser fácil te achar. Tchau querida.
E em menos de 1 hora já havia convites sendo feitos via rede para iniciarmos a amizade virtual.
Fácil demais.

Agora reparem bem: ninguém, em momento algum me perguntou:
-Claudia, você tem Facebook?
Pergunta estúpida! É claaaaaaaaaro que eu tenho Facebook já que tenho menos de 50 anos.
É uma informação que está subentendida.
Se perguntassem isso para mim eu poderia, inclusive, me sentir ofendida por alguém achar que eu tenho cara de velha.

-Como assim: "Você tem Facebook?"  ?
Hahahahahaha! 

E olha, esquece esse papo bobo de que o povo que tem 800 amigos no Facebook, às vezes, não tem nenhum amigo de verdade.
Nada de sentimentalismos, ok?
E nem venha também com a história de que você prefere conversar com os seus amigos ao vivo do que vê-los numa tela.
Ahhhhhh, jura????
Dãããããr.
Isso é óbvio.

Não é disso que se trata a coisa.
Facebook é um endereço pessoal como qualquer outro. Que nem celular, que nem email. É uma maneira de facilitar a vida das pessoas que precisam te achar ou que apenas (apenas?) gostam de você e sentem saudades.
E é claro que você não precisa gastar horas no negócio e nem se dar ao trabalho de ver todas as gracinhas e fotos dos seus amigos.
Não!
Deixe isso para quando você já estiver viciado na coisa, muáááááááááááá (risada macabra, levantando a cabeça e tremendo os dedinhos das mãos)

Ou seja:

"Rede social é que nem bunda. Todo mundo tem que ter, mas o que você vai fazer com ela é de responsabiliade inteira sua. Se você vai usar ela para joguinhos babacas, se vai abrir para um ex-namorado, se vai deixar qualquer um entrar... azar o seu!"

Hahaha, excelente a comparação (modéstia à parte)!

Mas é fundamental que você abra o seu Face de 3 em e dias, no mínimo, para responder as mensagens direcionadas à sua pessoa e aceitar as solicitações de amizades de gente que deseja entrar em contato com você.
Entenderam?

Ah, e vale lembrar: como sou psicóloga, tenho muitas colegas de profissão que não tem Facebook porque acham que não podem se expôr na web. Acreditam que perderiam a privacidade, o distanciamento profissional e comprometeriam a relação com os pacientes.
A estas pessoas eu digo: existe nos bastidores uma coisa chamada restrição aos "não amigos".
Fácil demais.



6 comentários:

  1. -Como assim: "Você tem Facebook?" hahaha!
    E vale acrescentar, que é muito mais fácil postar um comentário nesse teu blog super especial. Adoro te ler, Claudinha.
    Vc me deixou pensando em Balão Mágico e dançando música lenta nos bailinhos das garagens. Muito bom!

    ResponderExcluir
  2. eu tenho UMA amiga que nao tem facebook. Ela e professora de ciencias politicas na Unicamp e nao tem, nao tem, nao tem facebook.

    E ai o que acontece?

    Ela nao recebe, nao recebe e nao recebe as fotos ( que ela fica pedindo por e mail).

    As vezes uma alma caridosa (NUNCA EU) manda as fotos pra ela. mas eu acredito em opcao. Voce opta por se excluir da rede social, voce fica excluida...kkkk

    Bj

    inaier.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Cláudia, eu sou uma das amigas que não tem facebook ainda... rssssssss
    agora estou até pensando em entrar no facebook... bjs Tiemi

    ResponderExcluir
  4. Facebook para postar fotos? Me faz lembrar as sessões de slides de amigos do meu velho voltando de viagem. Que mais que tem?
    que precisa tanto ter um?
    tão comoventes perfis com tiradas filosóficas meia-boca?
    Já as revoltas por ai, combinadas via rede social. Aí é outro papo. Vale. De repente deste caos surge algo emocionante e que pode mudar coisas. Este processo tipo Avatar eletronico pode ser legal. Estou esperando as palavras de ordem!

    ResponderExcluir
  5. E ferias do facebook? Isso leva a alguma coisa? Talvez a uma paz social/familiar real e a uma tremenda saudade real tambem (saudade NUNCA e' virtual...) E' como naquela epoca do ginasio que a gente chegou a achar que escola era bom: A gente so' fica torcendo pras ferias acaberem logo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paz é sempre bom, mesmo que o preço seja salgado para você e para os seus amigos que ficam confusos sem entender o seu desaparecimento. Mas vale a pena dedicar-se à família e à vida real um pouco... boas férias!

      Excluir

Se você não tiver uma conta Google e quiser comentar: escreva na caixa, assine (para eu saber quem escreveu!) e escolha a opção "Anônimo". Pronto! Seu comentário aparecerá imediatamente no blog.