terça-feira, 18 de outubro de 2011

Eu Tanásia, Tú Tanásias, Eles Tanasiarão...

... se quiserem.

Já escrevi aqui sobe o aborto e apaguei. O que sobrou foi a explicação do porquê eu apaguei ("Quebrando ovos e não fazendo omelete nenhum"). Já defendi a escola pública, já redimensionei o bullying, já disse que House é o meu deus supremo e absoluto.
Deixa eu ver... o que sobrou aqui no meu kit "Sou Polêmica Pacarai".
Deixa eu pensar.
Eutanásia?

Não!!!!!!
Enfiar a eutanásia goela abaixo dos meus leitores seria tão amoroso e sutil quanto alimentar um ganso para preparar um foie gras.
PS: pobres gansos!!!!!!
Eutanásia ou a pena de morte seria indigesto demais para um bloguinho superficial como este que vos fala.
Eutanásia é para o Dr. Kevorkian ou a enfermeira fofa que ajudou no suicídio assistido de dezenas de velhinhos. Não, não estou sendo irônica! Ela era fofa mesmo!!
Eutanásia é para blogs profundos e polêmicos.

Aqui hoje, vou dissensibilizar o povo com a ortotanásia.

Ortotanásia é o que eu poderia chamar de eutanásia passiva. Não há a intenção de provocar a morte num paciente terminal, mas sim de interromper todo e qualquer procedimento médico que o mantenha vivo, deixando a natureza seguir seu curso.
A ortonanásia, é o famoso "desligar dos aparelhos" para proporcionar uma morte indolor.

Concordo com ela e acho isso importante para respeitar a dignidade de um paciente que avisou antecipadamente que não desejaria pagar qualquer preço para ter um coração batendo. Acredito ser importante para libertar a família da angustia da espera e fundamental para desafogar as UTIs tão saturadas de pacientes resistentes à uma morte inevitável.

Claro que o paciente precisa estar realmente nas últimas (cá entre nós, para mim não é tão claro assim, mas a gente começa falando que é claro para não provocar pensamentos complexos demais na galera).
Existem diferentes níveis de estado de coma. Existem prognósticos óbvios e outros mais incertos. E um prognóstico indubitavelmente fechado, nulo, "morte certa" é um bom começo para pensarmos em abreviar a morte de um parente querido.
Mas, para complicar a coisa, existem milagres que fogem à compreensão científica.
Um homem em 1984 sofreu um acidente de carro e ficou 20 anos em coma profundo. Acordou um belo dia e pediu uma Pepsi. Ia ser o melhor merchandising do mundo se alguém tivesse filmado.
Sim, milagres acontecem!!
E o cara, incrivelmente, pode preferir Pepsi do que Coca-cola, hahahaha.

Mas vale lembrar que o homem era saudável e estava apenas sofrendo danos localizados em seu cérebro. O resto do corpo estava bem.
E se o fígado já começa a falhar, os rins precisam de diálise o pulmão exige a ajuda de uma traqueostomia?? O que pensar nessa hora? Que o cara vai acordar e pedir uma Pepsi?? Bah...


Há anos atrás um submarino russo afundou nas profundezes de algum mar gelado. Ficaram lá por dias, semanas até que desistiram do resgate e usaram o comprimido de cianureto reservado para momentos críticos.
Os astronautas também viajam com um desses.
Cianureto: "Não saia da estratosfera sem ele!!"

E agora a pergunta: Porque soldados na guerra, astronautas e tripulação russa do submarino podem se dar a este luxo e ninguém acha ultrajante eles quererem abreviar o próprio sofrimento?
E, na minha modesta opinião, mesmo se suicidando e, teoricamente, violando a lei divina, tenho certeza absoluta que eles foram abolvidos no julgamento final. Claro!! Imgina a sacanagem julgar o cara na porta do céu depois de todo o perrengue que ele passou.
-Você foi um bom homem, trabalhou bem pelo seu país, mas, ao invés de ficar 28 dias embaixo do oceano vc preferiu ficar só 23. Merece o inferno por isso e vai reencarnar como um rato.   
Não, Deus não seria tão mau.

"Em caso de emergência quebre o vidro!"
Será instalado um destes em todos os
 presídios, hospitais, asilos e
shows de axé!! 
Então a minha dúvida é: Por quê não oferecem comprimidos iguais a estes nos presídios, asilos e hospitais? Qual a diferença entre um astronauta perdido no espaço e um velho doente cansado de sofrer?
Além de tudo proibem as pessoas de se suicidarem nestes estabelecimentos colocando grades nas janelas altas e retirando no local todo objeto que possa se transformar em corda ou faca.
Super sacanagem! Algum órgão defensor dos direitos humanos deveria lutar contra esta proibição e deixar as pessoas decidirem sozinhas o que é mais suportável para elas.
E até o cara já condenado à pena de morte não tem o direito de se suicidar. Não é um absurdo??
Hello!! O rapaz já vai morrer mesmo!! Mas não, deixam ele gastando dinheiro público no famoso corredor da espera sem fim. Isso sim é sadismo!

Bom, eu fiz a eutanásia na minha cachorra e foi bem bacana. Fiquei com ela no colo fazendo carinho, dando beijinhos e dizendo que libertaria ela do sofrimento. E ela morreu. E eu continuo indo para o céu depois da cadela morta e tenho certeza que encontrarei ela por lá (esse papo de céu é só para ilustrar a coisa, tá?).
E fizeram a ortotanásia na minha avó quando as complicações dela mostraram que o caminho não tinha volta. E foi bonito e sereno. E ela certamente estará me esperando com seu cheiro doce e seu carinho suave com as unhas, tão característico dela.
A eutanásia na minha cachorra e a ortotanásia da minha avó não prejudicou nossa trajetória espiritual nesta vida e nem nos fez regredir no complexo sistema de pontos das reencarnações.
Sabem por quê? Foi amoroso. Foi um gesto de respeito e carinho, e não um assassinato cruel.

Agora pergunto: Por quê podemos fazer isso em cachorros e não em humanos?
Porque apenas os cães podem ter este privilégio??

Ok, vou parar por aqui porque o ganso já está afogando de tanta informação. Prometi não falar de eutanásia, mas falei. Mas foi com amor, não é? Foi gentil e suave.
Meu foie gras será feito com carinho nos meus leitores. Vou parar por aqui. Darei outras informações importantes apenas amanhã para facilitar a digestão.
Prometo.

2 comentários:

  1. Tambem nao vou falar de eutanasia. mas nao resisto a um bom debate sobre o aborto.
    Minah avo morreu depois de um aborto mal sucedido. Fundo de quintal, 55 anos atras, vergonha da familia, humilhacao por estra trazendo ao mundo mais um bebe que ela nao teria condicoes de sustentar. O marido um tranqueira, que bebia e nao trabalhava. Ia trazer mais uma crianca ao mundo pra depender das irmas? Abortou. Abortou escondido, e morreu.

    Na minha opiniao, a proibicao ao aborto e a maior hipocrisia do mundo. So e proibida pra quem nao tem grana. Com uns tostoes, qualquer um faz um aborto clandestino no Brasil ou um aborto legal no exterior.

    Entao me diga: quem aborta no Brasil vai pro inferno e quem aborta na Nova Zelandia vai pro ceu por que nao cometeu nenhum crime?

    inaier.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Fantastico. Brilhante. Que sensivel, que sensacional. E quando fico achando que nao da' pra ficar melhor...

    ResponderExcluir

Se você não tiver uma conta Google e quiser comentar: escreva na caixa, assine (para eu saber quem escreveu!) e escolha a opção "Anônimo". Pronto! Seu comentário aparecerá imediatamente no blog.