domingo, 2 de setembro de 2012

Com dinheiro e com amor.


Mês passado este blog ganhou bastante dinheiro. Duas adoráveis pessoas colaboraram com ele e o saldo ficou significativo como nunca havia ficado. Mas eu recebi a notificação dos depósitos e fiquei... petrificada. Não consegui agradecer. Um telefonema? Um email? Não, nada.
Incrível, porque costumo ser uma pessoa fofa e educada e agradecer é o básico do básico da boa educação. Mas fui uma idiota e me recolhi calada.
O mais engraçado é que, calada, eu fiquei feliz e realizada como não me lembro de ter ficado antes. Sim, porque não é como ganhar dinheiro trabalhando, é ganhar dinheiro fazendo algo que me dá um profundo prazer e que eu nunca na vida pensei em encarar como um "ganha pão" ou algo parecido. Então por quê não telefonar e falar "obrigada" aos meus patrocinadores anônimos?
Na verdade não agradeci porque me senti envergonhada por ter ganho dinheiro com o blog, já que esta não era a intenção inicial deste espaço.
Acho incrível como pessoas me pagam para que eu escreva algo que, obviamente, é de graça. E um detalhe importante é que os doadores não são pessoas ricas que precisam lavar dinheiro num blog qualquer. E (incrível!) não são parentes também! Juro. É gente "apenas" fofa que valoriza meu texto e tenta me recompensar de alguma forma.
Preciso de dinheiro? Muito! Pedi? Não, nunca!! Secretamente, eu gostaria de ganhar dinheiro escrevendo? Claro!
Então por quê fiquei com vergonha?
Não sei.

Além de envergonhada fiquei travada, e é esta a razão do sumiço do blog.
-Sabe, eu tinha um blog onde eu escrevia todos os dias com alegria e entusiasmo. Gostava de receber retorno e ficava muito feliz apenas com os elogios dos leitores. Mas um dia umas pessoas legais decidiram me dar dinheiro e eu, então, parei de escrever. Ah, sei lá entende, achei maldade com elas, tadinhas. Prá quê gastarem dinheiro comigo?

Melôs da Claudinha: "Money, get away!! "
"All you need is love, love..."
Putz... sua tonta, você definitivamente merece ser pobre! Mais fácil um camelo passar pelo buraco da agulha do que a Claudia alcançar o reino da classe média alta. Sim porque ser rica de verdade nem passa pela minha cabeça oca.

Isso é comum em pessoas idiotas como eu: medo de ser uma fraude. Já li algo sobre isso numa reportagem rasa numa revista feminina qualquer: mulheres que são promovidas e tem medo do chefe estar redondamente enganado sobre a capacidade delas em ocupar aquele cargo; gente que recebe elogio e se sente culpada por ter dado a impressão (errônea, claro) de ser competente. E é comum autores terem sucesso com o primeiro livro e, depois, ficarem achando que foi apenas sorte e não encontrarem coragem para continuar a escrever com medo de serem "desmascarados" pelo público.
Fiquei relendo alguns textos do blog neste período de reclusão e pensava: "Puxa, isso ficou realmente bom! Será que eu conseguirei escrever algo semelhante um dia? Será que vou fazer jus ao investimento em mim?"

Mas hoje eu acordei e decidi honrar os constantes pedidos de pessoas pedindo para o blog voltar. Ahhhhhhhhhhhhhh, ADORO o público batendo palma insistentemente depois do show exigindo o bis! Decidi também honrar cada centavo depositado na minha conta e aproveito a ocasião para agradecer e dizer que vocês não fazem ideia de como me senti valorizada e honrada com isso.
DO FUNDO DO MEU CORAÇÃO...

Sei que sou psicóloga e, teoricamente, não deveria ter este tipo de trauma, mas acho que meu dinheiro acabou antes que a minha terapeuta conseguisse exterminar com todas as neuroses.
Mas, mesmo com dinheiro na conta (ai, coitada de mim, que dó!!!)...

THE SHOW MUST GO ON!


7 comentários:

  1. Meu Deeeuusss!! Eu tenho isso que vc falou!! Medo de ser uma fraude!! Qdo alguem me elogia, algo lá dentro me sabota! Claudinha... Vc é uma terapeuta maravilhosa (não só escritora maravilhosa) espero que algum dia vc dique milionária com o blog! Se eu ficar por qquer outro motivo, com certeza te patrocino! Good to have you back!!
    Tania

    ResponderExcluir
  2. O seu blog é uma delicia, deveria virar livro!!!! E os seus patrocinadores devem ter ficado muito tristes por terem na verdade patrocinado o seu sumiço!

    Que bom que vc voltou

    ResponderExcluir
  3. O show não pode parar. É isso aí, minha neguinha. Teus (e tuas) fãs te aguardavam ansiosamente. Também no silêncio, como tu.
    Welcome back!
    Beijos, minha flor de formosura.

    ResponderExcluir
  4. O Silêncio Eterno é muito triste, deixa a vida opaca, sem brilho e sem os coloridos que eu sei que voce tanto gosta! porém algumas pausas são mais longas mesmo, ficou profundamente feliz que voce receba os ciclos da vida com naturalidade e desapego! Até breve! Querida Claudinha!

    ResponderExcluir
  5. Ufa! Ainda bem que acabou sua hibernação de blogueira também . Nos os aficc

    ResponderExcluir
  6. Li isso aqui ontem. Sobre aceitar as coisas dos outros sem culpa. Achei ótimo. 140 anos mais tarde... mas ta aí! Atual como nunca, ando lendo (a)crônicas para as crianças à noite. http://www.janainaramos.com/2009/02/cronicas-joao-do-rio.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Puxa vida, que legal isso!! Um sábio, um "Sócrates dos asfaltos". Agradecer é inútil, boa! Me sinto melhor assim.
      Tks dearest! Love you.

      Excluir

Se você não tiver uma conta Google e quiser comentar: escreva na caixa, assine (para eu saber quem escreveu!) e escolha a opção "Anônimo". Pronto! Seu comentário aparecerá imediatamente no blog.