domingo, 2 de setembro de 2012

Bipolar


Os ursos polares adoram o frio.
Os bipolares, às vezes sim... às vezes não.



O gigantesco crocodilo do Nilo, no final das chuvas, cava uma toca rente o rio e se fecha lá dentro durante toda a seca. Seu coração mal bate para poupar energia. Durante meses ele não se mexe, não se alimenta, não defeca e seu metabolismo praticamente para. Porém... quando as chuvas começam e a água se infiltra na terra, uma única gota é capaz de acordar o crocodilo do sono profundo.
E ele acorda faminto...
                                               
foto: Helmut Newton
PS: esta famosa foto sempre me lembra uma piada "Dois gays foram acampar no Pantanal e, enquanto um foi fazer xixi, o outro foi abocanhado por um jacaré, ficando apenas com a cabeça para fora do animal. Quando o amigo dele volta, vê a cena e exclama (com voz de gay): 'Nossaaaaaa, você está um arraso neste sleeping bag da Lacoste.' " Isso é uma piada. Juro. E eu juro que ainda acho graça dela toda vez que me lembro. Pois é...


Bom, a hibernação do crocodilo do Nilo é uma constante entre os animais. Depois de meses ativos: convivendo com o grupo, comendo, engordando, acasalando, brigando e construindo lares, os bichos passam meses isolados, emagrecendo, arredios e aparentemente tristes.
São bipolares!
Na verdade a bipolaridade é o padrão basal de comportamento do mundo. A existência do Polo Sul e do Polo Norte deveria servir de ilustração para mostrar aos habitantes da Terra que a bi-polaridade é uma regra básica para se viver neste planeta.
A constância, a mesmisse, é que deveriam ser patológicas.

E a flora, claro, também é sazonal:
No inverno a minha trepadeira aparenta ter morrido, deixando a nossa casa com um aspecto decadente. Mas é só o calor começar que as folhas crescem em poquíssimos dias. E ela passa o verão inteiro feliz da vida deixando minhas paredes verdes.
Numa certa semana de Agosto o ipê amarelo fica absolutamente espetacular. Na semana seguinte ele está só com galhos secos e... voilá... na terceira semana a mesma árvore já está coberta de folhas ternas e novas.

E assim funciona para tudo na natureza. Menos para nós, pobres humanos.


Não sei quem foi o idiota que determinou que a raça humana estava imune a estas inconstâncias do temperamento e da aparência física. A única herança que me sobrou disso é receber a informação do dermatologista que meu cabelo cai mais no outono. Pffff, grande coisa.
Preciso de mais!
Preciso de cientistas me dizendo que devo comer o dobro no inverno. Preciso de técnicos afirmando que devo me deitar ao sol todos os dias depois do café da manhã. Preciso de uma prescrição médica dizendo que devo passar semanas na cama comendo, dormindo e me acasalando. Vou pesquisar no Google para ver qual foi o médico que recomendou isso para a Yoko e o John.
-Hã? Os jornalistas é que devem vir aqui? É isso, doutor? Posso ficar pelado, inclusive? Eu e a Yoko devemos continuar na cama.... sei...ah, e nos beijando sempre, tá bom. Ok, doutor, entendi, vou avisar o meu agente. 

Tenho certeza absoluta que temos nossa hibernação, nosso cio e nosso período de engorda como todos os outros bichos. Agora, o problema é que o homem se considera acima dessas minúcias irrelevantes do ciclo da vida e, com isso, acaba não respeitando a sua própria natureza.
Por quê o Zé Colméia tem o direito de ficar meses dormindo numa caverna enquanto eu preciso acordar todo santo dia do ano para organizar a mesmíssima rotina doméstica? Por quê ele pode engordar no verão e eu tenho que ficar linda para caber no biquini?
Já sei a resposta: porque os ursos não são semelhantes ao homem. Sim, sei disso, mas o engraçado é que na hora de ficarem com uma cânula na barriga gotejando bilis para nos doar, nossos metabolismsos são bem parecidos!

Se fico no quarto sem desejo de me socializar, me chamam de deprimida, mas talvez eu esteja apenas hibernando. Já pensou nisso? Imagina se os amigos do crocodilo ficassem infernizando a vida dele para ele vencer a preguiça, sair da toca e dar um rolê? O réptil não ia ter energia para encarar o verão.
Se um homem perde o desejo sexual já tacam um Viagra no pobre, mas talvez ele esteja apenas esperando pelo cio da fêmea. Esperando pelos ferormônios certos. Se uma moça fica com muitos caras nas férias de verão a coitada já é rotulada de biscate. Tsc, tsc, tadinha. Tenho certeza que o cio da fêmea humana acontece em Janeiro para, depois de 9 meses, ela dar cria exatamente na... Primavera, como na linda floresta do Bambi!

Cultura inútil: no hemisfério sul, mais mulheres perdem a virgindade em Janeiro do que morreram pessoas na guerra do Vietnã. Juro, li esta estatística estranha há mais de 10 anos em um jornal. Bom, hoje em dia o número deve ser maior. Hoje em dia já deve estar equivalente ao número de mortos na segunda guerra, seguindo a lógica da comparação bizarra. 
Minha explicação para isso é: mulheres perdem a virgindade em Janeiro porque forças maiores exigem isso delas. Simples assim.
Bom, passei o inverno inteiro sem nadar e ouvi recriminações por isso, mas hoje entendo que eu estava, tal qual um crocodilo, guardando energias para a primavera. Neste final de semana retomei os treinos e foi muito mais fácil e gostoso. Nada como poupar calorias e engordar alguns quilos!

Abaixo a natureza humana! Vamos oficializar a hibernação e respeitar o ciclo da vida.
A razão deste post?  Uma conversa com uma amiga hibernadora hoje cedo e esta foto maravilhosa de uma paródia do bebê-caramujo da fotógrafa de fofuras, Anne Geddes.





Ahahahaha, ótima, não? Gosto do detalhe dos pés sujos da moça dorminhoca.
E ela ainda hiberna... dormindo de conchinha!!! Sortuda.




7 comentários:

  1. Nossa, minha amiga hibernadora!!
    Ultimamente ando assim, com vontade de hibernar, ficar quieta em casa, fazendo coisinhas, arrumando, cozinhando, curtindo. Tô nem aí pro que as pessoas me taxam quem sabe um dia irão entender sua teoria e me deixar em paz.
    Adorei!! Vou divulgar, rsrsrsrs
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Sim, minha teoria será comprovada e revolucionará não apenas nossa rotina como toda a classificação de doenças psiquiátricas. Trabalharemos apenas metade do ano e a falta de emprego será coisa do passado! Ah, e os invernos serão deliciosos!!

    ResponderExcluir
  3. Kkkkkkk... adorei e me identifiquei. Posso declarar o outono inverno como época oficial de se comer chocolate e vinho, amar sua cama mais do que todo mundo e só eventualmente (muito de vez em quando) sentir uma vontadezinha de socializar com o resto da humanidade?

    ResponderExcluir
  4. Saudades do seus escritos. E o filhote do Brasilicus? Pensou no caso? ;-)
    bjos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Filhote? Filhote??? Qual seria mesmo esse filhote, Lê?

      Excluir
    2. Inspirado naquele blog fofo que você gostou... em que a moça confecciona coisas... ;-)

      Excluir
  5. Gostei! Acredito mesmo que sabotamos vários lados "bichos" do homem, em nome do status quo.

    ResponderExcluir

Se você não tiver uma conta Google e quiser comentar: escreva na caixa, assine (para eu saber quem escreveu!) e escolha a opção "Anônimo". Pronto! Seu comentário aparecerá imediatamente no blog.