sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Confete

Alguém percebeu que eu voltei?
Sim, voltei. Meu cachorro me sorriu latindo e tudo mais. É que um monte de gente escreveu contando que não comentam aqui no blog por vergonha ou falta de tempo, mas, diante do meu desespero por falta de feedback, me escreveram em off dizendo que lêem tudo e não perdem um post. Mandaram emails, mensagens e até ligaram para dizer que o blog precisa continuar.


"Oh! Joga água que é de cheiro, confete e serpentina!
Lança perfume no cangote da menina."
(União da Ilha, 1989)

Sabe confete? Então, eu acho que precisava disso.
Eu sei: ridículo.

Mas lá no post do desabafo sobre a sobre a minha crise de relacionamento com o blog ("Adeus Cavalinhos"), além de vários comentários fofos e lindos houve também um maluco que, desde então, não sai da minha cabeça.
Lá vai:
"Volta Volta!! Fico com dó das suas futuras noras:):) "


Não entendi. Meu deus, alguém me dá uma luz!!
Sim, tenho dois filhos homens e possivelmente terei noras dentro de alguns anos. Mas... por quê teriam dó das minhas noras? E o que as minhas futuras noras tem a ver com o assunto do post??
Essas duas carinhas sorridentes no final da frase são uma pista de que a coisa era para ser engraçada (inclusive já escrevi sobre isso no Post: "Como ser legal no Facebook"). Bom, mas não entendi a piada.

A única hipótese que consegui formular é que as minhas noras terão um azar danado por ter uma sogra... irreverente. Será isso?
Putz, ferrou. Já fazem anos que me atormentam com a maldição das mães de meninos homens.Toda mãe de filhos exclusivamente homens ouve horrores sobre o futuro reservado para elas:
  1. Existe uma lei que é incontestável: os netos sempre preferem a vó materna. Por isso, caia na real! É certo que você não terá muito ibope junto à eles;
  2. Outra lei: num casamento o marido sempre acaba se aproximando da família da esposa. É bastante provável, então, que você fique sozinha e abandonada depois que seus filhos se casem;
  3. E, fato: na velhice você vai ser cuidada por...noras.
Odiava esse papo por concordar com ele em gênero, número e grau. Realmente, acreditava que estava ferrada! Seria tããããõ bom ter uma família que me ama!
Sim, porque no fundo, no fundo, a gente só quer ser cuidada e querida.
Confete é bom e eu adoro!!

Aí tive uma idéia brilhante. Decidi que nada disso acontecerá se seu for a sogra mais divertida e legal do mundo!!! Minhas noras me amarão e disputarão a tapa quem será a primeira a trocar a minha fralda. Meus netos me acharão a avó mais legal de todas, meus filhos nunca conseguirão ficar longe de mim e minha casa seria um QG de gente feliz e satisfeita. Isso sem falar nos quitutes que eu serviria ininterruptamente para não correr o risco de perder a atenção da galera.
-Fica mais meia hora que o bolo já está saindo e eu vou passar um café.
Bingo!

Mas não contava que a minha simpatia esfuziante e irrestrita seria justamente o estopim para problemas.
Aí já imaginei o diálogo da minha futura nora no celular com uma colega:
-Lu, comecei a namorar este mês. É um fofo e super gracinha, mas tem uma mãe totalmente maluca. Sim, hahaha, nem tudo é perfeito!!! Lembra que eu dizia que não há nada pior do que ter uma mãe viciada em Farmville? Então descobri que existe algo bem pior: uma sogra... blogueira!! Hahahhahahaha, juro! E o pior é que ela é toda engraçadinha e irreverente, metida a ser moderna. Trata a gente com uma familiaridade estranha e é cheia de fazer piadinhas. O Enzo morre de vergonha, coitado.


-Oi, Sra. Gonçalves. Prazer em conheçê-la.
.
.
.
.
.
.

Hum... triste mesmo.

Mas aí lembrei que durante alguns anos da minha vida tive uma sogra irreverente. Alías, ULTRA irreverente! Me deixava no chinelo em termos de dar foras, falar demais e ser destemperada. E eu...AMAVA!!!!
Na primeira vez que me hospedei na casa da família ela me recebeu com um jantar ultra chique. E o menu era: sopa de beterraba!!!! Fria!!
Tenho um problema sério com beterrabas e cometi a super indelicadeza em negar a sopa. Aí ela falou:
-Não tem problema, tenho um caldo de palmito na geladeira que eu esquento para você.
Meu namorado riu:
-A Clau odeia palmito, mãe!

As duas únicas coisas que eu não gosto na vida: beterraba e palmito. Agora, me diz: quais as chances disso acontecer no primeiro dia que você vai conhecer a sogra? Lei de Murphy total!
Para a sobremesa ela tinha preparado um lindo bufê de sorvetes: mil coberturas, confeitos diversos e tinha até casquinha para enfeitar a taça. Por eu ser visita ela foi educadamente preparar primeiro o meu:

-O que você vai querer no seu sorvete? Tem marshmallow, caramelo, chocolate, farofa de amendoim, castanhas, chantilly, granulado, confete, canudinho de chocolate, casquinha de biju...
-Nada não. Quero só o sorvete. Puro.
Silêncio na mesa. E ela lançou:
-Nossa, como você é chata!!!!
Terminou a noite cheia de beliscões embaixo da mesa.

E foi assim o começo dos meus anos intensos com uma sogra bocuda e irreverente. Anos deliciosos! Nossa relação era linda e cheia de pronunciamentos sinceros e bem humorados. Dizia que eu devia prestar vestibular de novo porque a minha cara estava cheia de espinhas, batia papo e falava bobagem em todas as lojas que a gente ia e era a palhaça da família que, depois do almoço, sempre fazia questão de me atualizar de todos os foras dados por ela naquele mês.
A sogra ideal para mim.

Por isso eu acho que é bem capaz de eu ter alguma chance de me dar bem com as noras. Mínimas, mas preciso confiar nisso. Vou mentalizar que os meus filhos encontrarão moças bem humoradas e loucas por um pouco de irreverência na vida delas.
É isso: se as minhas noras jogarem no meu time a nossa vida será perfeita.
Ah, e vou fazer macarronada no dia que elas forem me conhecer. Qual é a chance de uma jovem não comer... macarrão?? E vou deixá-las se servirem de sobremesa sozinha. Se quiserem. E se estiverem de regime eu não vou falar nada!! Juro.
Pronto, Happy End!

Mas ai fico dó dos meus filhos...pobres rapazes perdidos no meio de doidas...



7 comentários:

  1. Amei e me identifiquei com essa proposta de família. Pó favor , me inclua nesse grupo. Posso ser a vovo lele(lele tem acento agudo no ultimo e mas eu nao tenho acento no iPad )

    ResponderExcluir
  2. Bocuda e irreverente ,,,tem dó Claudinha!!!Mas, é mesmo uma relação linda essa nossa de ex-futuras nora e sogra. Amo vc e suas lembranças bem humoradas , descritas com tanta inteligência!!!

    Em tempo: o cardápio abria com creme de beterraba...mas tinha mais coisas, com certeza.kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também guardo boas lembranças da convivência que tivemos naqueles bons tempos. Lembranças a você e ao Serbino

      Excluir
  3. Hahaha olha, vc só precisa ser uma sogra bacana e que cuida bem dis netos (a Nara falou tudo) . Duro é ter uma sogra que SE ACHA IRREVERENTE E É UMA BELA DE UMA MALA! Picture this: "que SOORTE A SUA HEIM NORA, ter uma sogra que TODO MUNDO AMA, eu sou DEMAIS". Agora pergunta pra Karine da minha sogra! Bjussss

    ResponderExcluir
  4. Eu me casei com um cara que so tem irmaos. E a sogra e irreverente. e legal.
    Deu no que deu.

    Reconsidere, por favor!

    PS - a ideia dos quitutes que nunca paramd e chegar tambem e intensamente usada.

    Inaie

    ResponderExcluir
  5. Luciana Volpato Serbinosábado, janeiro 28, 2012

    Clau, lembre-se de que você será a sogra da minha filha, viu!! Ela é tímida, portanto, não exagere! kkkkkk

    ResponderExcluir

Se você não tiver uma conta Google e quiser comentar: escreva na caixa, assine (para eu saber quem escreveu!) e escolha a opção "Anônimo". Pronto! Seu comentário aparecerá imediatamente no blog.