sábado, 30 de julho de 2011

A difícil arte de fatiar a sua pizza.


Dia 10 de Julho foi o dia da pizza. Parabéns!!! Eu estava viajando e não pude usufruir o dia como merecia.
Acho mesmo que a data devia ser mais divulgada.
Melhor: devia ser feriado.
Pizza é um alimento sagrado, assim como o pão que Jesus repartiu na santíssima ceia. Pizza mata a fome diária de milhões de pessoas em todo o mundo. E, no Domingo, a demanda nas pizzarias aumenta justamente por ser dia santo, hahaha.
Óbvio!
Um alimento globalizado, amplamente aceito e perfeitamente adaptado às diversas culturas.

Mas a pizza tem que ser boa para valer a pena. Pessoas tolas dizem que sexo é que nem pizza: mesmo quando é ruim, é bom.
Frase estúpida.
Pizza ruim é ruim prá caramba!!!! E sexo ruim, idem.

A frase deve ter sido inventada por um carioca ou um australiano que não entende nada de pizza (prá não falar dos mineiros que colocam maionese e ketchup nas redondas).
Ou deve ser uma frase do japonês doido que se entope de comida para ganhar troféus.

"Takeru Kabayashi, seis vezes campeão mundial de comer cachorros-quentes, comeu cinco pizzas e três quartos em seis minutos. O evento foi patrocinado pela Pizza Hut."
Há!
Quero ver ele fazer a mesma coisa com 5 Chessy Pop de peperonni na massa pan!!!
Duvi-de-o-dó!
Kabayashi ganha fama comendo pizza indiscriminadamente. Muitos politicos, esportistas e artistas famosos estão hoje na mídia por também fazerem sexo indiscriminadamente.
Mas este povo não vale porque não entendem nada de qualidade.

Pizza e sexo tem que ser bom para valer as calorias consumidas e gastas, respectivamente.

Tem quem goste de massa fina, crocante. Outros preferem as grossas, com bordas gordas para ter onde pegar.
Uns gostam de pouco recheio. Outros adoram a abundância.
Uns gostam de noite, no meio da madrugada. Outros preferem de manhã ao acordar.
O mesmo com o sexo.

PIZZA BORDA FINA





                                           PIZZA BORDA GROSSA






E prefiro não entrar nas metáforas dispensáveis sobre calabresas finas, grossas ou mesmo sobre a péssima textura daquilo que eles insistem em chamar de Catupiry.
Mas digo só uma coisa, calabresa cortada grossa não dá!! Tem que ser fina o suficiente para envergar quando assa.

Hahahah, me perdõem pela foto, mas não pude evitar.
Me fez lembrar do post "Mister M. dos Bogueiros", para mim o melhor de todos.
(reparem na tomada atrás da moça)
E para concluir, a pizza (fina ou grossa, não importa) tem que ser fálica, ereta.
Pizza que desaba quando a pegamos pela borda não está com nada. Está provavelmente encharcada por um molho muito aguado ou crua pelo forno mal regulado.

Bom, é enorme a relação entre pizza e sexo e eu poderia ficar o resto do dia achando correspondências entre as duas maravilhas da humanidade.

Mas nem é sobre isso que eu queria falar.

Queria mesmo é dizer que a nossa vida nada mais é do que uma pizza, com fatias bem definidas para cada uma das áreas. O trabalho é uma fatia, o amor é outra, os filhos são outra, a saúde outra, os hobbies uma fatia importante, e assim por diante.
Mas no meu consultório eu percebo gente que tem uma única fatia em sua pizza. SÓÓÓ filhos, SÓÓÓÓ namorado, SÓÓÓÓ trabalho, SÓÓÓÓ doença. E todos os dias chegam para falar da única fatia de suas pizzas, em geral sobrecarregada de recheio e bastante indigesta.
E eu sempre lhes pergunto: e o resto??? cadê o resto?
Não tem resto.


-Vejamos... aqui termina o assunto da sua doença
no coração. Agora comece a falar do seu bordado.
Pode começar.
A vida deles se restringe a uma única fatia e É ESSE o grande problema. Não a qualidade da fatia em si, mas o fato dela estar sozinha, sem outros sabores para dar uma equilibrada na vida.
E é por isso que, em geral, pedimos as pizzas meio-a-meio. Para não enjoar do sabor, para variar, para conhecer novas combinações e, ao mesmo tempo, nos garantirmos com as tradicionais.
E tem gente que passa a vida toda experimentando a mesmíssima pizza por toda a vida. Não é péssimo isso? Reclamando e sofrendo por ela, mas mesmo assim insistindo na mesma fatia...

E meu trabalho em terapia é fatiar a pizza com técnica e criar novos horizontes.

Uma vez uma pizzaria de São Paulo se gabava de ser a única da cidade a vender pizzas com 10 fatias.
Hahahaha, nunca compreendi a vantagem disso.
E além de tudo sempre imaginei a dificuldade do pizzaiolo em dividir uma circunferência em 10.

Mas é bom agora você parar e se perguntar: quantas fatias tem a sua pizza?? Você gosta dela? O recheio está sufiente? A massa segura bem o tranco?
E como seria cortar sua pizza em mais pedaços?? Variar o recheio... experimentar uma massa mais fina...
Não lhe parece tentador?

Então vistam a camisa da minha "Terapia da Pizza" e tirem o dia para refatiar a sua vida.
Você não é nada além de uma pizza.
E o seu namorado é só uma fatia dela, ok?
ENTENDEU???

Tá bom, sua hora terminou. Pode ir embora agora.

7 comentários:

  1. Olá Cláudia,
    Tem também aqueles que vivem a pizza "tudo em cima", não conseguem fazer escolhas nem renúncias e nem aprofundar...

    ResponderExcluir
  2. Eita, que ela voltou com tudo e não está prosa!!!
    Maravilha, adorei o post! Divertido, agudo, surpreendente. Vualá, madame. Nada como voltar em alto estilo!
    As férias sob o guarda-sol tomando aquela maravilhosa caipirinha te fizeram muitíssimo bem! hahaha.
    Beijos, continue sempre firme na 'fatiação'.

    ResponderExcluir
  3. Querida, amei, amei, amei.
    Passei uma vida tentanto explicar esse conceito a algumas pessoas que amo e pra mim mesma. Só com a maturidade (what??) é que estou realmente pondo em prática essa coisa multipla que carregamos. Acho que vc escreveu tao bem sobre isso porque tem essa capacidade.
    Quanto ao catchup que profana pizzas mudo afora, impossivel nao pensar em seu simbolismo. Pra mim, é como deixar tudo com o mesmo gosto. É impor o sabor a tudo que é novo, recusando a novidade, anestesiando do paladar para outras nuances gustativas.
    Vc é incrível. Adoro seus textos, nunca enjoô e ainda releio. Alguns eu envio para amigos que precisam daquela mensagem, de um cutucão sedutor e inteligente. Obrigada por dividir sua mente maravilhosa conosco.
    Beijos da fã numero 1 (familia não conta)

    ResponderExcluir
  4. AH, esqueci de dizer que ri litros aqui com suas fotos. Nem imagino as palavras-chave que vc usa para achá-las rsrsrsr Vc é muito criativa, é impressionante.
    PS: sou mais uma borda grossa rsrsrrs e NADA como pizza na manhã seguinte rsrsrsrsr beijos

    ResponderExcluir
  5. Querida:vovo diz que as pessoas devem ter muitos interesses. Quando não da para se dedicar a um , sobram utros.Adoro ir a uma pizzaria e ser surpreendida por um sabor inusitado .Excelente metáfora! Parabéns pelo blog !

    ResponderExcluir
  6. hummmm gostei do post, otima ideia variar o sabor da pizza..rsrsrsrsrs

    ResponderExcluir

Se você não tiver uma conta Google e quiser comentar: escreva na caixa, assine (para eu saber quem escreveu!) e escolha a opção "Anônimo". Pronto! Seu comentário aparecerá imediatamente no blog.