sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Como lidar com a sua Tereza

Aos 13 anos eu decidi que era hora de abandonar o pop rock dos anos 80 e conhecer o universo adulto. Comecei pela Bossa Nova. Decorei TODAS as músicas e adorei algumas.
A minha preferida era o diálogo entre Dick Farney e Lúcio Alves. Não conhecem?? Link aqui: Tereza da Praia
Eu adorava esta música porque jurava por Deus que eles estavam falando de mim. Hahaha, juro! Pele morena, cabelo castanho, corpo bonito, nariz levantado, olhos verdinhos, e (não menos importante!)... uma pinta do lado. Sou eu, com toda a certeza!!!
Mas também gosto da música por causa do "estilo bossa nova" deles de lidar com uma linda mulher infiel. Quando ambos descobrem que estão se relacionando com a mesma moça, Dick e Lúcio, ao invés de brigarem por ela (ou, pior, concluirem que a Tereza era uma vagabunda) decidem que ela será então... da praia.

"Então vamos a Tereza da praia deixar aos beijos do sol e abraços do mar. Tereza é da praia não é de ninguém. 
Não pode ser tua. Nem tua também." 
(Tom Jobim e Billy Blanco)

Civilizado, né?
Adoro este jeito blasé de olhar para a dor de corno. Sempre tive a impressão de que, juntos, eles decidem preservar a natureza selvagem da moça, possivelmente achando que foi justamente este o grande diferencial da Tereza que os encantou (quem liga para as pintas??). 
Respeitosamente, então, ambos deixam ela seguir o seu curso sexual e afetivo.

Minha mãe, porém, tem um outro olhar sobre a mesma história. Ela contou que, na juventude, tinha pesadelos com esta música porque achava que os rapazes estavam rejeitando a pobre Tereza e que, por ser tão promíscua, ela nunca mais conseguiria se casar com alguém.
 
Em outras palavras: ia dar, dar e morrer na praia.


Tereza é da praia, não é de ninguém.
Até Iemanjá devolveu...rsrsrs, tadinha!

Bom, diz a lenda que a verdadeira Tereza se casou com o autor da música e, provavelmente, o responsável pela civilizadade da letra. Foi morar com Tom Jobim, teve dois filhos e deixou a praia a ver navios (assim como todos os marmanjos que por lá circulavam).  

Uma outra musa da MPB, também Tereza, deixou um cara bastante enciumado e ansioso. Foi sambar no morro sozinha, não avisou e ainda demorou prá voltar!! Que petulância!! Link aqui: Cadê Tereza?
Mas o marido não fica bravo não! Muito pelo contrário: caso ela volte, ele promete deixar de ser um grandissíssimo malandro.

"Eu juro por Deus
Se você voltar eu vou me regenerar
Jogo fora o meu chinelo, meu baralho, a minha navalha
e vou trabalhar."
(Jorge Ben Jor)


Esta segunda maneira de lidar com uma mulher safada é ótima e também não deixa de ser um jeito evoluído e civilizado de encarar um par de chifres. Para quem quiser usar esta metodologia, o raciocínio aqui deve ser: É bem possível que a culpa seja minha!!!
Já vi isso acontecer e aplaudi de pé a sensatez do cara. Depois da punhalada inicial, ele olhou para o próprio casamento e achou que a esposa tinha toda razão em procurar um outro homem. Ele a perdoou pela traição e ela o perdoou por ele ter sido um idiota por longos anos. Hoje estão muito bem, obrigado.
Moral da história:
TE PERDOO POR TE TRAIR. 


Mas é claro que nem tudo são flores no universo da infidelidade. A famosa cabocla chega agora para colocar nossos pés no chão e nos fazer lembrar que os homens, definitivamente, ficam furiosos diante de uma mulher safada. Link aqui: Cabocla Tereza 
PS: não tentem fazer isso em casa!!!

"Senti meu sangue fervê
Jurei a Tereza matá
O meu alazão arriei
E ela eu vô percurá.
Agora já me vinguei
É esse o fim de um amor
Esta cabocla eu matei
É a minha história, dotor."
(Tonico e Tinoco)

E, com isso, aumenta em muito os números de crimes passionais contra mulheres que decidem tomar outro rumo para as suas vidas.
Pois é... 
Ah, minha amada turma da Bossa Nova, se todos fossem no mundo iguais a vocês. 


Bom, mas uma coisa eu tenho que perguntar: qual será o problema com essas Terezas?????

Sim, porque este, definitivamente,
não é o padrão "Tereza" de ser.


-Fernando, arranjei novo amor no Alagoas.
Que corpo bonito, que pele morena!! Que amor de pequena, amar é tão bom.
-Ô Pedro, ela tem um nariz levantado?

Os olhos verdinhos, bastante puxados...

Hum... para resolver este mistério só mesmo chamando o especialista.
E agora com vocês, Dorival Caymmi:

10 comentários:

  1. As Terezas do mundo agradecem esse estudo sobre elas.Parabéns !

    ResponderExcluir
  2. Claúdia,

    Parabéns pelo blog! Gosto muito da música "mil perdões" e estava procurando e caiu direto no post.

    Lu

    ResponderExcluir
  3. Que legal vc vir para aqui por causa da música do chico. Tem várias dele por aqui. Fique a vontade, Lu, e sinta-se em casa. Obrigada pelo elogio ao blog!

    ResponderExcluir
  4. Dna. Claudia
    Favor tirar esse "fichário" horroso no topo do blog, estragou o visual e entrada no blog.

    ResponderExcluir
  5. Puxa, seu Anônimo, mas me deu taaanto trabalho separar os posts por assunto e isso aumentou taaanto o numero de acessos ao blog! Hum, sacanagem.
    Mas... números não é nada, estética é tudo. Seu desejo é uma ordem ;o)

    ResponderExcluir
  6. "Dona Claudia" eu bem que curti o fichario, pela praticidade. Ia lendo os posts antigos pelos "tabs". Agora acabou a farra.

    adorei o post sobre as Terezas. estava com saudade. Vc anda sumida.

    ResponderExcluir
  7. Eu também gosto do fichário! Essa blogueira anda muito preguicosa ! Estamos com saudades das crônicas semestrais.Que tal falar sobre o conceito de trabalho e lazer ?

    ResponderExcluir
  8. Obrigado por tirar os fichários acho que ficou melhor. Tem outros formatos de fichário no blogspot que são mais bonitos e amigáveis.

    ResponderExcluir
  9. O fichario voltou...OBA!

    Inaie

    ResponderExcluir
  10. kkkkkkkkkk,"se você pensa que nós fumos imbora, nós inganemos vocêis! Fingimo que fumos e vortemos. Ói nóis aqui traveiz!!!"
    Foram três votos contra um. Democracia é isso! E não há nada de errado com o lado virginiano nosso de ser. Organizar e catalogar é bom e eu gosto! O outro sistema é nebuloso e bagunçado... não gostei.

    ResponderExcluir

Se você não tiver uma conta Google e quiser comentar: escreva na caixa, assine (para eu saber quem escreveu!) e escolha a opção "Anônimo". Pronto! Seu comentário aparecerá imediatamente no blog.